Ninkasi, a Deusa da Cerveja

Ninkasi é a antiga deusa sumeriana da cerveja, que transformou uma mistura de água e cevada em um líquido dourado, conhecido hoje como cerveja.

Era uma deusa muito popular que fornecia cerveja aos deuses. Ela era considerada a própria personificação da cerveja.

Receba as postagens do Ninkasi Beer Club no seu e-mail!

domingo, 31 de maio de 2015

Lançamento: Kasteel Trignac XII


A Cerveja Trignac XII é uma cerveja única, de coloração dourada, importada da Bélgica. É a Kasteel Tripel envelhecida em barris usados anteriormente na maturação de conhaque. Não há como escapar do doce aroma de uvas e do impacto do álcool, dando uma leve impressão de vinho, com um sabor tendendo para o conhaque. O álcool preenche plenamente a boca e dá uma sensação agradavelmente quente. É uma cerveja safrada, numerada, com produção de apenas 30.000 garrafas por lote. Cerveja única, com toda a tradição Van Honsebrouck. Apresentação diferencia, em estojo de alta qualidade.


11 - Essencial Banca 83 do Mercado Público

No tradicional ponto turístico de Porto Alegre - o Mercado Público - oferece rótulos de aproximadamente 50 cervejarias gaúchas (Foto: Divulgação)

Conta com opções de cerveja de aproximadamente 50 cervejarias gaúchas que se revezam em 6 torneiras, além das bebidas comercializadas em garrafas. Localizado em um ponto turístico da capital gaúcha, o tradicional Mercado Público.

Endereço: Mercado Público, Centro de Porto Alegre

Horário: 2ª a 6ª, das 11h às 22h, sábados das 11h às 18h

10 - Bife Hamburgueria

Com foco nas harmonizações, traz uma boa carta de cervejas para serem apreciadas acompanhando os hambúrgueres da casa (Foto: Divulgação)

Ambiente descolado e descontraído, oferece uma ampla carta de cervejas artesanais que harmonizam bem com os tradicionais hambúrgueres da casa.

Endereço: Rua Miguel Tostes, 371

Horário: 2ª a sábado, das 18h às 23h30min

9 - The Pint Brewpub

Pub da Babel Cervejaria oferece cervejas da casa e de cervejarias convidadas (Foto: Divulgação)

Instalado no coração de um dos bairros mais boêmios de Porto Alegre, a Cidade Baixa, o The Pint oferece 10 torneiras com diferentes opções de cervejas, entre elas as cervejas da casa, produzidas pela Babel Cervejaria, do mesmo proprietário.

Endereço: Rua José do Patrocínio, 366 – Cidade Baixa

Horário: 3ª e 5ª, das 18h às 23h30min e 6ª e sábado, das 18h às 1h30min

8 - Regional Cervejas Artesanais

Empório especializado em rótulos artesanais gaúchos (Foto: Divulgação)

Inaugurado recentemente em Porto Alegre (28/4), é um empório especializado em cervejas artesanais gaúchas. Localizado no bairro Menino Deus, conta com uma "Frigidaire" de 1953 adaptada com duas torneiras para servir o chope.

Endereço: Múcio Teixeira, 329, Menino Deus

Horário: 2ª a sábado, 10h às 21h

7 - Solar da Coruja

Não é apenas um bar, mas um espaço cultural com uma área para apreciar as cervejas da marca ( Foto: Divulgação)

Localizado em um prédio centenário no centro histórico de Porto Alegre, não é apenas um bar, e sim um espaço cultural, com uma área para apreciar as cervejas da marca. Na decoração, tonéis, balanças e outros instrumentos antigos usados no processamento de maltes e lúpulos espalham-se por todos os cantos.

Endereço: Rua Riachuelo, 525 - Centro histórico

Horário: de 5ª a sábado, as 18h às 23h

6 - Apolinário

Instalado no bairro Cidade Baixa, o bar oferece vários estilos de cervejas locais, nacionais e internacionais (Foto: Divulgação)

Bar clássico no bairro boêmio de Porto Alegre, Cidade Baixa, oferece vários estilos de cervejas locais, nacionais e importadas. Cheio de personalidade, o ambiente combina azulejos de demolição, retalhos de papel de parede e quadros alusivos ao mundo cervejeiro.

Endereço: Rua José do Patrocínio, 527 – Cidade Baixa

Horário: 2ª a sábado das 18h à 0h

5 - Lagom Brewpub

Matriz e filial receberam o mesmo número de votos na preferência dos jurados (Foto: Divulgação)

Na matriz, no Bom Fim, 12 torneiras despejam diferentes variações de chope. Na filial, o número de alternativas sobe para 35. Os bares nasceram da amizade e do interesse de cervejeiros caseiros que já faziam algumas brassagens juntos. Em agosto de 2010, abriu suas portas para público e hoje também conta com uma microcervejaria instalada no bairro Anchieta.

Moinhos de Vento: Rua Comendador Caminha, 312

Horário: 3ª e 4ª das 18h à 1h e 5ª a sábado das 18h as 2h

Bom Fim: Rua Bento Figueiredo, 72

Horário: de 3ª a sábado, cozinha até 23h e cervejas até 23h30min

4 - Hidden Brewpub

Na Zona Sul de Porto Alegre possui uma grande carta de rótulos artesanais (FOTO: Divulgação)

Escondido (como o nome diz em inglês) em uma rua sem saída no bairro Nonoai, abriga uma variedade de rótulos artesanais na Zona Sul da Capital. São 18 artesanais da região, oito deles exclusivos. É o caso da Hidden Dry Stout, que combina quatro tipos de malte, e da Irish Red Ale, mais suave.

Endereço: Rua Gregório da Fonseca, 680, Nonoai

Horário: de 3ª a sábado, às 18h. A entrada é permitida até as 23h, mas o bar funciona até mais tarde, especialmente às sextas e aos sábados

3 - MaltStore Padre Chagas

Localizada na tradicional Padre Chagas, o local é um misto de empório e bar (FOTO: RICARDO JAEGER/REVISTA BEER ART)

Um misto de empório e bar, tem um variado cardápio de rótulos especiais. Em um ambiente aconchegante e descontraído, dispõe de uma carta criteriosamente selecionada, além de acessórios como copos, camisetas, kits, bonés, livros e revistas.

Endereço: Rua Padre Chagas, 339, bairro Moinhos de Vento

Horário: de 2ª a 6ª das 16h às 24h, sábado das 14h às 24h e domingo das 16h às 23h



2 - Bierkeller

Para entrar no bar, é preciso ser convidado por algum frequentador ou pelo próprio dono (FOTO: RICARDO JAEGER/REVISTA BEER ART)

Popularmente conhecido como o bar escondido em Porto Alegre, é considerado um lugar emblemático. Isso porque, segundo a tradição, para entrar nele é preciso ser convidado por algum frequentador do lugar ou pelo próprio dono.

Endereço: Rua João Abott, 596 – Petrópolis

Horário: de 2ª a sábado, das 17h às 23h

1 - Biermarkt Vom Fass

O mais votado, o Biermarkt Vom Fass está localizado no elegante bairro Moinhos de Vento (Foto: Ricardo Jaeger/Revista Beer Art)

Localizado no elegante bairro Moinhos de Vento, é referência em variedade de cervejas on tap. A bebida sai direto do barril e, como fica armazenada dentro de uma câmara fria, chega à mesa sem passar por resfriadores, as populares serpentinas.

Endereço: Rua Barão de Santo Angelo, 497 - Moinhos de Vento

Horário: de 2ª a sábado, das 18h às 23h30min


Roteiro de lugares imperdíveis em Porto Alegre/RS

A lista foi elaborada a partir de uma enquete com 14 personalidades do meio cervejeiro




Como o X Encontro Nacional das Acervas - que ocorre de 4 a 6 de junho - tende a atrair visitantes que pela primeira vez vêm a Porto Alegre, a revista Beer Art elaborou um roteiro de lugares imperdíveis na cidade. As dicas também servem de referência para quem não é turista, mas aprecia cerveja de qualidade e gostaria de saber onde encontrá-la na capital gaúcha. Para fazer esse levantamento, a Revista recorreu a uma enquete proposta a 14 personalidades cervejeiras da capital gaúcha.

Participaram da votação: Andréa Altenhofen (VinoBier), Caroline Bender (Cervejaria Seasons), Claudio Beck Leite (Drinkability), Christian Bonotto (Cervejaria Tupiniquim), Diego Cartier (Beer Hunter), Fabian Ponzi (Bebendo Bem), Ketlyn Zim (BeerCode), Herbert Schumacher (Cervejaria Abadessa), Humberto Frölic (Babel Cervejaria), Marcelo Daniel Silveira (Premiado cervejeiro caseiro), Rafaela Brunetto (Embaixadora da Brooklyn no Brasil), Rafael Rodrigues (Fundador da Cerveja Coruja), Rosaria Penz Pacheco (Sommelier e consultora de harmonização), e Thiago Galbeno (Cervejaria Perro Libre). Os lugares mais bem cotados entre os 70 votos (cada entrevistado sugeriu 5) são ao todo 12, que receberam mais de uma indicação. Você confere nos próximos posts, e na ordem na votação.

Fonte Revista Beer Art

Baden Baden Stout - Degustação nº 237


A Baden Baden Stout harmoniza perfeitamente com uma sobremesa à base de chocolate, como petit gateau e brigadeiro. Será uma experiência indescritível! Experimente também com pratos condimentados, ostras, grelhados, feijoada, queijos como Gorgonzola, Reblochon, Pont –l’évêque.

Baden Baden Stout conquistou a medalha de ouro no European Beer Star 2008, na Alemanha. A degustação reuniu 65 degustadores de 15 países do mundo todo que a elegeram com "A melhor cerveja Dry Stout do mundo". 

Cervejaria: Baden Baden (Grupo Brasil Kirin)
País: Campos de Jordão-SP (Brasil)
ABV(%): 7,2
Estilo: Dry Stout
Embalagem: Garrafa de 600 ml

É uma cerveja de coloração preto intenso e opaca. Sua espuma de cor café apresentou ótima formação e duradoura, com uma boa transição de renda no copo. 

No aroma intenso, o malte remete a tostado, café e chocolate amargo. Lúpulo bem leve. Presença de álcool equilibrado ao aproximar o copo do nariz. O sabor acompanha o aroma. Ao degustá-la sente-se o amargor pronunciado em função da tosta do grão. 

O aftertaste é amargo e seco. Com bom corpo, cremosidade e rescência baixa. A cerveja é muito boa, encorpada e tem o álcool muito bem inserido. Uma das melhores da Baden, sem dúvida! vale o repeteco.

Saúde!
Luiz Araújo 


Warsteiner Premium Verum - Degustação nº 236


A Warsteiner é produzida desde 1753 por uma das maiores fábricas de cerveja de propriedade privada da Alemanha. A Warsteiner é uma das marcas mais conhecidas e celebradas da Alemanha, isso dentre as mais de 1.300 cervejarias.

Fabricada exclusivamente à base de cevada, lúpulo, levedura e água, conforme a Lei Alemã de Pureza de 1516. É uma Cerveja tipo Pilsen, de baixa fermentação e alta concentração de lúpulo.

Cervejaria: Warsteiner Brauerei
Origem: Alemanha
ABV(%): 4,8
Estilo: German Pilsener
Embalagem: Garrafa de 660 ml

É uma cerveja de coloração dourada, com corpo claro e borbulhante. Sua espuma de cor branca apresentou média formação, com boa persistência e uma excelente transição de renda no copo e ausência de partículas.

No aroma presença média de malte, pão, biscoito e cereais. Lúpulo floral bem perfumado. Presença de álcool leve ao aproximar o copo do nariz. No sabor o malte continua evidente e acompanha o aroma. Lupulagem leve. Cerveja bem equilibrada entre o dulçor do malte, com este se sobressaindo.

O retrogosto varia do doce ao amargo e longo. Corpo leve e carbonatação na medida conferem ótimo drinkability a esta cerveja. A percepção alcoólica é oportuna. Bem refrescante! Boa cerva!

Ein Prosit!
Luiz Araújo

Bitburger Premium Beer - Degustação nº 235



A cervejaria Bitburger foi fundada em 1817 por Johann Peter Wallenborn. Era inicialmente uma pequena fábrica regional, e hoje é uma das maiores cervejarias privadas da Alemanha. É distribuída em mais de 60 países em 5 continentes. Está localizada na cidade de Bitburg, próxima ao rio Reno, em uma região montanhosa, cortada por córregos e rios, aldeias pitorescas e restos de castelos medievais. Além de ser a líder do mercado alemão no segmento das cervejas de barril, a Bitburger também está à frente no segmento de Gestão Ambiental;

A utilização cuidadosa dos recursos, a recuperação de energia durante o processo de fabricação e a experiência em gestão energética determina padrões claros no que diz respeito à consciência ecológica. A fábrica de cerveja recebeu em 1997 o prêmio ambiental de Rheinland-Pfalz.

Cervejaria: Bitburger Brauerei Th. Simon
Origem: Alemanha
ABV(%): 4,8
Estilo: German Pilsener
Embalagem: Garrafa de 330 ml

É uma cerveja de coloração dourada, com corpo claro e borbulhante. Sua espuma de cor branca apresentou média formação, consistente e duradoura, com boa transição de renda no copo.

No aroma médio o malte remete a pão e cereais. Lupulagem média e floral. Presença de álcool leve ao aproximar o copo do nariz. No sabor o malte está presente de forma média e acompanha o aroma. O lúpulo aparece com mediana intensidade. Há uma maior predominância do lúpulo.

O retrogosto é amargo, duradouro e seco. Cerveja bem refrescante, com corpo leve, boa carbonatação conferindo ótimo drinkability. A percepção alcoólica é oportuna. Uma ótima cerveja para dias mais quentes! Refrescante e com amargor na medida. Ótimo custo benefício!

Prosit!
Luiz Araújo

Cervejaria para produção e enlata água para vítimas de cheia nos EUA

Fábrica na Georgia vai oferecer 50 mil latas de água. Inundações deixaram 20 mortos no Texas e 4 em Oklahoma.


Latas brancas da cervejaria Anheuser Busch é usada para água; empresa ajudará vítimas das enchentes no Texas e em Oklahoma (Foto: Reprodução/ Twitter/ Anheuser Busch)

A cervejaria Anheuser Busch começou a enlatar água para ajudar as vítimas das inundações nos estados do Texas e Oklahoma, nos Estados Unidos.

As inundações, que começaram no último fim de semana, já deixaram 20 mortos e 14 desaparecidos no Texas. Em Oklahoma, outras quatro pessoas morreram.

A empresa está enlatando água na fábrica da cidade de Cartersville, na Georgia, que paralisou a produção de cerveja para poder gerar 50 mil latas de água, que serão distribuídas nas áreas afetadas pelas inundações. As latas de água são brancas, diferente das de cerveja.

Casas ficam destruídas após inundação do rio Blanco, em San Antonio, no estado do Texas (Foto: REUTERS/Tamir Kalifa)

Rob Haas, um diretor da empresa, disse à rede NBC News que alguns lotes já estão a caminho das comunidades afetadas e devem chegar nos próximos dias. A cervejaria fez ações semelhantes no passado, como após a passagem do furação Sandy, em 2012.
saiba mais

Nesta sexta, o governador do Texas Greg Abbott declarou estado de desastre em mais 24 condados. No total, 70 condados têm estado de desastre declarado. Centenas de casas foram destruídas.

Mais chuvas são esperadas na região para o próximo fim de semana, incluindo em partes do estado que já estão lidando com grandes inundações.

Não há estimativa de danos para o Texas, cuja economia movimenta US$ 1,4 trilhão anualmente e é a principal fonte de energia doméstica dos EUA, assim como uma potência da agricultura e da manufatura.

Fonte; G1

sábado, 30 de maio de 2015

Paulaner Salvator - Degustação nº 234



Um clássico da Paulaner e que ostenta reputação mundial. Uma cerveja muito nutritiva, consumida pelos monges da Paulaner como o "pão líquido" durante o jejum da Quaresma. Esse estilo surgiu na Idade Média, na Alemanha, por conta da necessidade dos monges católicos de produzir uma bebida com "sustância” para ser consumida nos jejuns da Quaresma. Doppel, é duplo, em alemão. Logo a doppelbock é uma bock "duas vezes”, com aroma, sabor, e teor alcoólico duplicados. É uma bock mais intensa. 

Cervejaria: Paulaner Salvator
Origem: Alemanha
ABV(%): 7,9
Estilo: Doppelbock
Embalagem: Garrafa de 330 ml

Cerveja de coloração cobre, turva, com espuma bege de pequena formação, com pouca persistência  e justa transição de renda no copo.

No nariz, aroma de caramelo, chocolate e tostado. Senti um toque de cravo. Presença leve de lúpulo. O sabor acompanha o aroma. Dulçor do malte em destaque sem ser enjoativo. Presença de álcool equilibrado ao aproximar o copo do nariz.

Cerveja com corpo de leve a médio e pequena carbonatação. Aftertaste duradouro indo do adocicado a levíssimo amargor. Cerveja com média drinkabilidade. Álcool bem inserido. Ao compararmos com a Tucher, perde em aroma e sabor. Mas mesmo assim é uma boa cerveja!

Prosit!
Luiz Araújo

Karavelle IPA - Degustação nº 233

 

A Cervejaria Independente Vera Cruz S.A. invadiu nossos portos para revolucionar o mercado, resgatando a alma e o sabor das velhas receitas de cervejas, trazendo uma linha de cervejas especiais e diferenciadas. A proposta da Karavelle é representar um momento de descobertas nos consumidores brasileiros, uma espécie de Grandes Navegações no fabuloso mundo das cervejas especiais. 

Cervejaria: Karavelle
Origem: Indaiatuba-SP (Brasil)
ABV(%): 7,5
Estilo: English IPA 
Embalagem: Garrafa de 600 ml

É uma cerveja de coloração cobre, com corpo claro. Sua espuma grande de cor bege e cremosa apresentou boa retenção e excelente belgian lace no copo. 

No aroma intenso, o malte remete a caramelo e leve tostado. O lúpulo está presente de forma intensa e é bastante herbáceo e resinoso. Álcool equilibrado ao aproximar o copo do nariz. No sabor o malte continua remetendo a caramelo, que conferem um dulçor a cerveja. Este porém é sobrepujado pelo amargor do lúpulo. Presença de ésteres frutados. A cerveja possui bom amargor, sem ser agressivo.

O retrogosto é duradouro e amargo. Corpo de leve a médio e rescência baixa conferem bom drinkability a esta cerveja. A percepção alcoólica é oportuna. A cerveja tem uma boa presença de malte e lúpulos. Tenta seguir o estilo inglês, mas não devemos considerar neste caso o alto teor alcoólico. Gostei. Boa IPA!

Saúde!
Luiz Araújo 

Tucher Bajuvator Doppelbock - Degustação nº 232



Todos os anos, na época do inverno, esta Doppelbock é fabricada de acordo com a receita tradicional. Esta especialidade sazonal da Tucher é um verdadeiro deleite para os apreciadores de cerveja. 

Cervejaria: Tucher Bräu Fürth
Origem: Alemanha
ABV(%): 7,5
Estilo: Doppelbock
Embalagem: Garrafa de 500 ml

Cerveja de coloração marrom escuro, com tons rubi contra a luz, levemente turva, com espuma bege de média formação, cremosa, com persistência média e boa transição de renda no copo.

No nariz, intenso aroma de caramelo, melaço, toffe e chocolate. Senti ainda toque de açúcar mascavo. Presença leve de lúpulo. O sabor acompanha o aroma. A cerveja tem sabor adocicado sem ser enjoativo. Presença de álcool equilibrado ao aproximar o copo do nariz.

Cerveja com corpo médio e pequena carbonatação. Aftertaste duradouro e adocicado. Cerveja com média drinkabilidade. Álcool muito bem inserido. Uma ótima doppelbock!

Prosit!
Luiz Araújo

sexta-feira, 29 de maio de 2015

Concurso Mestre Cervejeiro Eisenbahn abre inscrições


A 6ª edição do concurso que elege a melhor receita caseira do Brasil tem inscrições abertas até 15 de junho ou até completarem as vagas. Homebrewers terão de elaborar uma Irish Red Ale.

Com a curadoria do Instituto da Cerveja Brasil, a competição apresenta uma boa-nova para este ano: os cervejeiros que tiverem suas inscrições confirmadas poderão acompanhar, pelo site da marca, todo o processo de avaliação da sua receita, desde o envio da amostra até o julgamento final. As vagas são limitadas a mil inscritos, e o resultado final será divulgado em março de 2016 em um evento promovido pela Eisenbahn.

Só podem concorrer cervejas de autoria do próprio homebrewer. Cada ano, um estilo diferente é eleito pelo público, através do site do concurso, para ser produzido pelos participantes. O corpo de jurados é composto por profissionais ligados ao setor: jornalistas, mestres-cervejeiros, beer sommeliers, comerciantes da bebida, entre outros, todos convidados pela Brasil Kirin. Os nomes também serão divulgados em breve.

O cervejeiro que tem sua criação eleita, além de tê-la produzida e comercializada em edição limitada pela Eisenbahn, participa de todos os processos envolvendo a produção, incluindo a escolha do nome e elaboração do rótulo — além de assiná-lo. No último ano, o vencedor foi Anderson Faller, que fez a melhor Belgian Blond Ale do concurso, batizada de Eisenbahn Ventura.


A próxima etapa da competição consiste no recebimento das amostras, que devem ser enviadas de 9 a 29 de setembro de 2015.

Confira, abaixo, o vídeo promocional criado pela agência Mood. Além da empresa, também está envolvida com o projeto a agência LOV, que assina a estratégia digital da ação.

Fonte: Revista da Cerveja

Fábricas de cerveja da cidade atraem visitantes de todo o Brasil

Ribeirão ganha destaque nacional como destino turístico para os apaixonados por cerveja artesanal


Rodrigo Silveira, mestre-cervejeiro da Invicta, no mercado desde 2011, comemora o crescimento do setor de cervejas artesanais (Foto: Milena Aurea / A Cidade)

As cervejas artesanais caíram no gosto dos brasileiros. Tanto é que, segundo a Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe), a produção aumentou 64% na última década e atingiu quase 13,5 bilhões de litros por ano.

Esse número coloca o Brasil como terceiro maior mercado mundial, atrás apenas dos Estados Unidos e da China. Em Ribeirão Preto já são cinco fábricas, que além de movimentar a economia local com a sua produção, agora também têm atraído os apaixonados por cervejas.

Tour cervejeiro

Na cidade que tem fama de ser a Terra do Chope, espaços voltados para as cervejas especiais têm o seu lugar garantido.

A partir daí, agências de turismo e empreendedores entusiastas enxergaram uma nova forma de negócio: os tours cervejeiros.

Fenômeno crescente, o turismo cervejeiro inclui visitas às fábricas e bares, guiados por um especialista. É uma verdadeira aula sobre as cervejas artesanais, em que os amantes da mistura básica de água, malte e lúpulo conseguem ver de perto o empenho dos mestres-cervejeiros em fazer um produto de qualidade.

E, se não bastasse, eles ainda têm a oportunidade de provar diferentes sabores, direto do tanque. 
Uma experiência única e que tem atraído pessoas de todo o Brasil para Ribeirão Preto.

Analista descobre Ribeirão por meio do tour

O paulista e analista de sistema Maurício Pequim Junior, de 45 anos, tem três paixões: cerveja, café e vinho. E, assim que ficou sabendo sobre a existência do tour cervejeiro em Ribeirão, ficou com vontade de fazer. E, neste ano, deu o passeio como presente de Dia das Mães para a mulher, Rosangela.

“Ela toma cerveja, mas o grande apreciador sou eu. Sou curioso e gosto de provar diferentes tipos”, conta. Segundo ele, além da oportunidade de degustar 14 rótulos diferentes, há um ganho muito grande em aprendizado.

Junior diz que em sua turma do tour havia pessoas de São Paulo, Bragança Paulista e de Ribeirão. “Não conhecia a cidade, mas conhecer Ribeirão a partir do tour cervejeiro foi uma ótima oportunidade”, frisa.

“Em São Paulo temos à disposição uma infinidade de opções de lazer. Mas, conhecer as cervejarias por dentro foi um passeio incrível. Tanto é que penso em voltar e trazer amigos”, conclui.

Fonte: Jornal a Cidade


Fábrica da Nova Zelândia traz ao Brasil cerveja que pode ser tomada no café da manhã

Uma cervejaria da Nova Zelândia chega de vez ao Brasil com oito tipos diferentes da bebida, desde cervejas mais suaves que podem ser consumidas no café da manhã até as mais fortes e premiadas em campeonatos mundiais. A Moa Brewing Company produz cervejas artesanais em sabores como caramelo, banana, mel, café e puro malte, e pretende se tornar líder do segmento no mercado brasileiro. 

De acordo com O Globo, a empresa já investiu US$ 2 milhões para trazer as cervejas para o mercado brasileiro desde o ano passado; agora pretende investir, no mínimo, mais US$ 6 milhões até 2017, o que soma US$ 8 milhões. "Enxergamos oportunidades no Brasil porque são projetos de longo prazo e o mercado. O Brasil não vai parar de crescer, e o consumo de cervejas também não. Neste momento as empresas que sejam comprometidas e que tenham ações criativas vão sobreviver. 

O momento é agora", disse Marconi Albuquerque, diretor Comercial do Oceania Group, responsável pela comercialização da cerveja no país. As cervejas Moa são comercializadas no Brasil desde abril do ano passado em caráter experimental e em 2015 começam efetivamente a entrar no mercado em várias capitais, entre elas Rio de Janeiro. Os preços variam entre R$ 23,90 e R$ 30,90.

Fonte: Bahia Notícias

Curso sobre novo regime tributário tem 2ª edição em 20/6

A ADVOGADA, COM MAIS DE 20 ANOS DE EXPERIÊNCIA EM CONSULTORIA TRIBUTÁRIA, ELISABETH BRONZERI, MINISTRARÁ O WORKSHOP (FOTO: DIVULGAÇÃO)

Em vigor desde o dia 1º de maio, a Lei nº 13.097/15, que altera a tributação do setor de bebidas, trouxe uma mudança de cálculos nos valores dos impostos cobrados. Para orientar o setor cervejeiro, a Escola Superior de Cerveja e Malte promove a segunda edição do curso Adequação ao Regime Tributário no dia 20 de junho, das 8h às 17h.

Seguindo a proposta da primeira edição, o workshop será ministrado pela advogada, com mais de 20 anos de experiência em Consultoria Tributária, Elisabeth Bronzeri, na sede da Escola em Blumenau (SC). O curso está dividido em 5 módulos com aulas teóricas e práticas para exercitar as regras e a nova sistemática, mesmo para quem não domina o universo tributário. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas até 18 de junho pelo site: www.cervejaemalte.com.br

Confira o conteúdo programático:

Os tributos no segmento cervejeiro
Classificação dos tributos
Impactos no resultado operacional
Classificação dos impostos

Regimes Tributários e suas características
IRPJ e CSLL
Lucro Real
Lucro Presumido
Simples Nacional
ICMS
IPI
PIS/COFINS
Imposto de Importação

Regime de Tributação das Bebidas Frias
IPI
PIS
COFINS
Regras específicas para venda de cervejas e chopes especiais

Importação
Cálculo
Recuperação de Impostos
Modalidades: por conta e ordem / por encomenda

Análise Tributária dos Negócios da Cerveja
Industrialização para terceiros
Abertura de Distribuidora
Regras específicas para equiparados à indústria

Serviço
O que: Curso Adequação ao Regime Tributário
Onde: Escola Superior de Cerveja e Malte (Rua Elsbeth Feddersen, 72 - Salto Norte, Blumenau - SC)
Quando: sábado, 20 de junho, das 8h às 17h
Informações:www.cervejaemalte.com.br e (47) 3380-5200

Fonte: Revista Beer Art

Cerveja representa 20% da indústria na Paraíba, diz pesquisa

Estado recebe investimentos de diversos segmentos da economia brasileira e o cervejeiro é um dos que mais aposta na região



De acordo com cruzamento de dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Fundação Getúlio Vargas, o setor de cerveja representa 20% da indústria no estado da Paraíba.

Com pólos industriais em cidades estratégicas, o estado recebe investimentos de diversos segmentos da economia brasileira e o cervejeiro é um dos que mais aposta na região. O total de postos de trabalho diretos, indiretos e induzidos gerados pelo setor cervejeiro na Paraíba passa de 31 mil, o que representa uma massa salarial de mais de R$ 208 milhões.

No Brasil, o impacto da contribuição econômica da indústria da cerveja também é expressivo: representa 14% da indústria do país, emprega quase 2,3 milhões pessoas em toda a cadeia e gera uma massa salarial de R$ 23,6 bilhões.

Fonte: Portal Correio

Workshop destinado para quem quer aprender produzir cerveja artesanal



O Ciranda Café, Cultura e Artes realiza no dia 30 de maio, o Workshop da ACervA Baiana - Associação dos Cervejeiros Artesanais da Bahia. O curso é voltado para quem quer aprender a produzir cerveja de modo artesanal.

O programa é dividido em parte teórica e prática. A brasagem, que é o cozimento do malte para extrair os açúcares necessários à fermentação da cerveja, será realizada em equipe. Além da degustação de cervejas especiais e almoço no espaço.

O workshop acontece no Ciranda, localizado na Rua Fonte do Boi, Rio Vermelho, das 9h às 17h. Inscrições através do site www.acervabaiana.com.br. Mais informações pelo telefone (71) 3012-3963 ou pelo facebook.com/CirandaCafeSalvador.

A ACervA Baiana é formada por um grupo de apreciadores e produtores de cerveja artesanal que se reúnem frequentemente, desde 2007, na capital baiana. A fundadora do Ciranda, Patrícia Helena Dias, tem procurado levar para o espaço iniciativas que valorizem a gastronomia, a cultura e as artes. “Entre os nossos frequentadores, muitas pessoas apreciam a cerveja gelada. Esse curso visa oportunizar de aprender a fazer a bebida que é destaque nacional”, afirma a empreendedora.


Fonte: Radar Notícia

Ranking das Cervejas Premiadas vai virar livro


Beer Art lança campanha de financiamento coletivo pelo Kickante


Quem quiser garantir o seu livro e contribuir para a publicação do Guia das Cervejas Premiadas brasileiras, pode entrar no link desta foto (Foto: Divulgação)

Um ano depois de lançado no formato digital, o ranking das cervejas premiadas brasileiras vai virar livro. Para possibilitar a publicação, a revista Beer Art recorreu ao modelo de financiamento coletivo, via plataforma Kickante. A campanha foi lançada nesta segunda-feira, 25 de maio. Quem desejar contribuir para financiar o guia tem várias opções de recompensa, entre elas, claro, um exemplar da obra. Para conferir as opções de participação, clique neste link. (quem tem dúvidas específicas sobre a campanha, pode enviar email para leitor@revistabeerart.com)

Hoje um dos conteúdos de maior leitura da revista Beer Art, o levantamento foi concebido para proporcionar um conteúdo de referência para o segmento, sendo de interesse para todas as etapas: quem produz, quem vende e quem consome cerveja. Disponível no link revistabeerart.com/cervejas, o ranking ganha agora um novo formato, impresso, ilustrado e com edição especial.


Para montar o ranking, a BeerArt pesquisou os arquivos de todas as edições de 12 concursos desde o ano 2000, confrontou as informações com outras fontes e com os próprios sites das cervejarias. A seguir, cruzou os dados computados, atribuindo pesos diferenciados para conquistas nacionais, continentais e internacionais. Como a parte final desse meticuloso trabalho, criou fichas com as características e as medalhas de cada cerveja. Desde que foi lançado, em maio de 2014, o Top BeerArt é atualizado a cada nova premiação. O número de cervejas se aproxima da marca de 500.

O leitor poderá conferir as cervejas brasileiras premiadas, por ordem de pontuação estabelecida pela revista conforme o acúmulo de medalhas, o tipo (ouro, prata ou bronze) e o peso do prêmio (nacional, continental ou internacional). Fazem parte do levantamento os seguintes concursos:
World Beer Cup
World Beer Awards
Mondial de La Bière Montreal
Mondial de La Bière Mulhouse
Mondial de La Bière Strasbourg
Mondial de La Bière Rio
International Beer Challenge
European Beer Star
Australian International Beer Awards
South Beer Cup
Copa Cervezas de América
Festival Brasileiro da Cerveja

Fonte: Revista Beer Art

Bar de Fortaleza promove ação com cerveja 62% mais barata, em protesto contra impostos

Depois de um posto vender gasolina por R$ 2, chegou a vez da cerveja ter preço reduzido. A campanha debate a alta carga tributária do país

Aberta a partir das 17h, a oferta será válida apenas para a cerveja Skol 600ml (FOTO: Divulgação)

Depois de um posto de combustível vender gasolina por R$ 2, chegou a vez da cerveja ter seu preço reduzido. Na próxima terça-feira (2), a Picanha do Cowboy, restaurante da Avenida Dom Luís, no bairro Meireles, em Fortaleza, venderá cervejas sem carga tributária. O produto ficará 62% mais barato, sendo vendido por R$ 3. A ação acontece em parceria com a Rede Liberdade, em alusão ao “Dia sem Imposto”, espécie de protesto pelos altos impostos pagos.

Aberta a partir das 17h, a oferta será válida apenas para a cerveja Skol 600ml. O valor do cardápio é de R$ 7,90. Após as 200 cervejas serem consumidas, o preço volta ao original. “É um estoque limitado”, afirma Daniel Aguiar, dono do Picanha do Cowboy.

Ação nacional

Simultânea em todo o Brasil, a ação é para mostrar para o consumidor o quanto os impostos influenciam no valor dos produtos. “Vários segmentos estão fazendo isso. Na cerveja, são 62% de impostos, e já tivemos dois aumentos só neste ano. Tivemos que absorver isso e diminuir o lucro. É difícil empreender. Nós trabalhamos todos os dias só para pagar impostos, trabalhamos até o dia 2 junho. Só depois disso, ganhamos o nosso salário”, explica o empresário.

Daniel espera que, no dia do evento, duplique e até triplique o número de clientes. Na página do Facebook, mais de mil pessoas já confirmaram presença na Picanha do Cowboy. A distribuição de cervejas começará a partir das 18h e serão vendidas por ordem de chegada.

Fonte: Tribuna do Ceará

Australian International Beer Awards: Confira a lista de ganhadores

Realizado pela Royal Agricultural Society of Victoria (RASV) em conjunto com a Federation University Australia, o evento teve seus resultados divulgados na última quinta-feira.



A edição registrou número recorde de inscrições: mais de 1.700 amostras provenientes de 35 países participantes. As cervejas foram avaliadas por uma equipe de 58 juízes de todo o mundo. E repetindo o feito dos últimos anos, as cervejarias brasileiras fizeram bonito na competição. Ao todo, foram 18 medalhas conquistadas pelas micros paulistas Bamberg e Dama Bier e pela gaúcha Tupiniquim.

Confira, abaixo, a lista de cervejas premiadas:
Bamberg Helles (Bronze em Munich Style Helles (Best European Style Lager))
Bamberg Electra (Prata em Vienna (Best European Style Lager))
Bamberg Camila Camila (Bronze em Bohemian Style Pilsner (Best Pilsner))
Bamberg Schwarzbier (Prata em German Style Schwarzbier (Best Amber / Dark Lager))
Bamberg München (Bronze em Other Amber / Dark Lager (Best Amber / Dark Lager))
Bamberg Sepultura Ale (Bronze em Other European Style Ale (Best European Style Ale))
Bamberg Franconian Rhapsody (Prata em Smoked (Best Speciality Beer))
Bamberg Rauchbier (Bronze em Smoked (Best Speciality Beer))
Tupiniquim Monjolo Imperial Porter (Bronze em Other Porter (Best Porter))
Tupiniquim Dubbel (Bronze em Dubbel (Best Belgian / French Style Ale))
Tupiniquim Saison de Caju au Vin (Bronze em Wood Aged (Best Speciality Beer))
Tupiniquim Monjolo BA Whiskey (Bronze em Wood Aged (Best Speciality Beer))
Tupiniquim Monjolo BA Cachaça (Bronze em Wood Aged (Best Speciality Beer))
Tupiniquim Lost in Translation Brett (Bronze em Other Specialty Beer (Best Speciality Beer))
Tupiniquim Funky & Sour Ale (Bronze em Other Specialty Beer (Best Speciality Beer))
Dama Stout (Prata em Other Stout (Best Stout))
Dama Reserva 05 (Bronze em Wood Aged (Best Speciality Beer))
Dama Fellas (Prata em Other Specialty Beer (Best Speciality Beer))

Os cobiçados troféus de campeão foram conquistados por fabricantes da Austrália (Mountain Goat Beer, 4 Pines Brewing Co., Thunder Road Brewing Co., Boatrocker Brewing Co.); Bélgica (Brouweris De Halve Maan); China (Yantai Platinum Brewing Co.); Estados Unidos (Pelican Pub & Brewery) e Nova Zelândia (Speight’s 5 Malt Old Dark, ParrotDog Brewing).

Para conferir a lista completa de ganhadores, clique aqui.

Fonte: Revista da Cerveja

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Therezópolis no Bar do Adão



Pastel e cerveja, uma combinação perfeita. Pensando nisso, a cervejaria Therezópolis fechou parceria com o Bar do Adão que agora oferece cardápio especial de cervejas harmonizadas com seus famosos pastéis. 


A Therezópolis Gold, cerveja Premium Lager, combina perfeitamente com os pastéis Castro, de camarão com molho de limão e com o Capixaba, feito com bacalhau, camarão, ovo, azeitona e palmito. Já a Rubine harmoniza com o pastel de costela de boi com pesto de agrião italiano, enquanto que a harmonização perfeita para a Therezópolis Jade, cerveja Indian Pale Ale, é o pastel de provolone de calabresa. São seis harmonizações para todos os gostos.

Fonte: Assessoria RPM Comunicação

Técnicas de Produção e Degustação de Cerveja Artesanal


Canela - Dias 29 e 30 de maio de 2015
Sexta-feira, das 19h30min às 22h30min e sábado, das 9h às 12h e das 13h30min às 15h30min no Bloco 2, sala 206d - Laboratório de Cozinha 
Campus Universitário da Região das Hortênsias. 
Carga horária de 9 horas - Válidas como atividades complementares. 
Promoção: Campus Universitário da Região das Hortênsias 
Coordenação: Sílvio Aurélio Jaeger - UCS 
Ministrante: Leandro Veiga - Mestre Cervejeiro

Objetivo
Iniciar os apreciadores de cerveja no método de brassagem, de forma que eles possam fabricar cerveja em casa.

Programa
História da cerveja e degustação de alguns tipos para diferenciação entre a cerveja caseira e as outras cervejas do mercado.
Aspectos teóricos sobre a produção da cerveja.
Apresentação prática e teórica sobre as matérias-primas cervejeiras: água, maltes, lúpulo e fermentos.
Equipamentos necessários para fabricação de cerveja artesanal em casa.
Acompanhamento prático em todas as etapas, com ênfase na receita, na escolha das matérias-primas, nos equipamentos, nos aspectos físico/químicos da cerveja, na higiene e assepsia, na fermentação e envase da cerveja.

Investimento
Quatro parcelas de R$ 60,00; três parcelas de R$ 79,00; duas parcelas de R$ 118,00 ou à vista por R$ 233,00

Para se inscrever clique aqui

Fonte: Universidade de caxias do Sul


terça-feira, 26 de maio de 2015

Colaboração no copo


Simplicidade e baixo custo na área das cervejas chega ao Brasil com as colaborativas

Nos tempos do Cinema Novo, circulava o bordão libertário “uma câmera na mão, uma ideia na cabeça”. Em tempos de cervejas novas, uma ideia na mão e alguns copos na cabeça pode ser uma variação divertida daquilo que os cineastas procuravam: simplicidade e baixo custo. Mas as ideias e as formas originais de realizá-las na área das cervejas se tornaram uma tendência que tomou a Europa e os Estados Unidos — e que, claro, já chegou no Brasil: as colaborativas.

Basicamente, a cerveja colaborativa é resultado de uma cervejaria (ou de seu profissional) que se junta a outra para criar um rótulo exclusivo, de tiragem limitada, unindo os talentos de cada uma delas. Aconteceu isso com as duas marcas mais badaladas do momento entre os europeus, a dinamarquesa Mikkeller e a escocesa BrewDog, que lançaram a I Hardcore U (R$ 40,90, no Herr Pfeffer), em 2012, que, para muitos, é uma das melhores cervejas de todos os tempos. A mesma BrewDog pisou aqui e fechou parceria com a carioca 2 Cabeças para lançar a My Name is Zé, com uma carga dupla de maracujá, a dos lúpulos americanos, bem frutados, e a da própria polpa da fruta, que foi adicionada ao mosto, durante a fermentação.

A ideia de cerveja colaborativa derruba uma atitude milenar, meio mal-humorada, de se trancar segredos sob muros altos e portas pesadas das antigas cervejarias europeias. Um desses tesouros era a matriz do fermento, que dava um paladar característico em algumas cervejas nobres. Era um segredo industrial, confidencial, quase uma questão de estado.

O tempo passou e eis que as essas antigas cervejarias se abrem às colaborações. Uma delas, a St. Feuillien, belga, secular, espetacular, juntou-se à nossa Colorado para lançar a Marguerite (R$ 13,99 no Beerplanet.com), uma cerveja no estilo “saison”, com uma segunda fermentação em garrafa, próximo do que se faz com o champanhe. Outra ação da cervejaria belga é a festejada Belgian Coast IPA, que celebrou o encontro com a Green Flash, na Califórnia, do outro lado do mundo. Em comum aos dois rótulos, densidade, frescor, amargor gentil e muitos aromas de caramelos e frutas secas, especialmente no caso brasileiro, já que a rapadura foi um dos ingredientes usados não só para o paladar, mas também para o aprendizado dos europeus.

Uma cerveja que vai chegar oficialmente no mercado, em junho, a Miwok, começou exatamente assim: colaboração. Aconteceu em março, quando o cervejeiro profissional Afonso Dolabella, um ex-publicitário que, hoje, faz consultoria em todas as áreas dos maltes e dos lúpulos, fez a sua cerveja em parceria a convite da carioca Röter, que entrou com a sua estrutura e o convidou a entrar com a sua receita e seu savoir-faire. Produziram um lote inicial de mil litros de chope. A expectativa foi tão grande que uma multidão seguia cada barril, que chegava em dias marcados em bares diferentes do Rio, em uma divertida peregrinação dos cervejeiros cariocas.

Os casos de colaboração no Brasil se multiplicam com belos resultados. Há exemplos multinacionais, como o da gaúcha Tupiniquim e os cervejeiros da Evil Twin, de Copenhague. Eles estão no mercado com a Mojolo, uma cerveja porter, escura, encorpada. E há casos domésticos como o da Foxy Lady Crazy Rocker, uma american pale ale de Campinas, que contou com a parceria da Dortmund, de Serra Negra, São Paulo. Estão no Bistrô Bobinot, na Tijuca, por R$ 33 e R$ 28. Ideias na mesa, enfim, que mereciam o registro de uma câmera na mão.



© 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Cervejaria Nacional completa quatro anos com show do Bixiga 70

Serão três dias de festa para comemorar o aniversário do brewpub. Famosa Drake’s também voltará às torneiras da casa



Maio é o mês de aniversário da Cervejaria Nacional, que em 2015 completa quatro anos! Para festejar, o brewpub mais querido do Brasil terá uma programação especial de 24 a 26 de maio. Serão três dias de festa, com muita música e cerveja boa. Além das cinco lendas da casa, a grande novidade é a famosa Drake’s voltando às torneiras como o chope sazonal da vez. Ela foi praticamente o embrião do projeto que deu origem à Cervejaria: começou a ser produzida pelos sócios Dudu Toledo e Fabiani em 2006, quando a Nacional ainda era uma microcervejaria, e só trouxe bons ventos à inauguração oficial, em 2011, como a primeira fábrica-bar paulistana.

A Drake’s é uma Ambar Ale carregada de maltes caramelos, com baixo amargor e alto drinkability. Apresenta um corpo leve e boa refrescância, 21 IBU e 5,5 % de teor alcoólico. Foi bem maturada durante um mês, o que arredondou seus aromas e sabores e a deixou ainda mais gostosa. 

No domingo a casa funcionará das 15h às 21 e quem cuidará do Som nos Maltes, a partir das 16h, serão duas bandas: Raul Coutinho Trio, com o melhor do Pop Rock, e o Soul Train e Lu Vitti, com muito Soul, Groove e Rock’n’Roll. A programação musical continua na segunda-feira, das 20h às 22h, com a Banda Um, de puro Rock´n´Roll. Na terça, a data oficial do aniversário, quem toma conta dos palcos é o Bixiga 70, das 21h às 22h30. A banda, criada em 2010, mistura elementos da música brasileira, africana e latina com o jazz. O Dj Pio também marcará presença no grande dia.

Foram produzidos 500 litros de Drake’s. O double chope, exclusivamente para a sazonal, vai valer das 15h às 18h no domingo e das 17h às 21h na segunda-feira, em versões de 330 ml (R$ 17) e 570 ml (R$ 25). Nos dois primeiros dias, será cobrado um couvert musical de R$ 15. Para terça, os ingressos são limitados (200 disponíveis) e custam R$ 40 (antecipado) ou R$ 50 (na porta). 

Sobre a Cervejaria Nacional
O projeto nasceu em 2006 da sociedade entre Fabiani, economista que se apaixonou pelo universo cervejeiro na década de 90 em Nova York, e do produtor gráfico Dudu Toledo, amigo entusiasta de suas experimentações. Dedicado e curioso, ao voltar para o Brasil, o autodidata trouxe um equipamento e começou a fazer em casa sua própria cerveja. A cada cozimento, a paixão de criar novas receitas crescia, assim como o prazer em dividir a experiência aos amigos e familiares, como Peter Jancso, cunhado de Fabiani que acompanhou desde o começo os primeiros cozimentos caseiros e mais tarde tornou-se sócio-investidor do projeto. De lá para cá, o trio entrou em uma confraria e mergulhou no universo cervejeiro. Assim nasceu a microcervejaria Nacional, que atuava inicialmente apenas como fornecedora de bares, como o extinto Drake’s. O projeto cresceu com a entrada de Alexandre e de Marcus Ribas, da consultoria AyB, e em 2011, os sócios transformaram a Cervejaria Nacional em fábrica bar. 

Serviço
Cervejaria Nacional
Endereço: Av. Pedroso de Morais, 604, Pinheiros
Telefone: 11 4305-9368
Telefone para reservas: 11 3034-4318
Horário de funcionamento: segunda a quarta-feira, das 17h às 0h, quinta–feira, das 12h às 0h, sextas e sábados, das 12h às 1h30 

Fonte:

'Rota da cerveja' explora produção de bebidas artesanais em Ribeirão Preto

Tour leva grupos a bares e cervejarias e conta com degustação de bebidas.
'Passeio dissemina cultura e cria novos consumidores', diz sommelier.


Turistas degustam cervejas especiais em bares e cervejarias de Ribeirão Preto (Foto: Fernanda Testa/G1)

Final de tarde em Ribeirão Preto (SP). Um grupo de 10 pessoas se reúne em um ponto da cidade à espera de uma van. O passeio turístico, no entanto, tem um trajeto diferente do convencional: em vez de museus, teatros ou parques, os passageiros são levados a bares e cervejarias da cidade. Conhecida como 'Rota da Cerveja', a iniciativa vem de uma agência de turismo local, e pretende divulgar o mercado de cervejas artesanais de Ribeirão.

Antes conhecida como "terra do chope", a cidade vem ganhando cada vez mais espaço na produção e venda de cervejas especiais. "O tour é acompanhado por uma sommelier que conta a história da cerveja, curiosidades e leva os passageiros ao mundo cervejeiro. Durante todo o passeio o pessoal aprende como se faz a cerveja, conhece os principais ingredientes e ainda pode degustar as bebidas", explica o turismólogo Thiago Zacharias.

O passeio
O G1 acompanhou um grupo de empresários que fez o passeio pela primeira vez. O tour, de aproximadamente três horas, começa pela cervejaria Lund, depois segue para o bar Cervejarium, da fábrica Colorado. Em seguida, os turistas são levados ao Fritz, cervejaria com produção de bebidas concentrada em Monte Verde (MG). O passeio termina na cervejaria Invicta, na zona oeste de Ribeirão, onde os integrantes do tour provam as cervejas artesanais diretamente dos tanques.

Entre as curiosidades apresentadas durante o passeio, os visitantes aprendem, por exemplo, que as cervejas se dividem em duas grandes famílias: lager, ou de baixa fermentação – produzidas em temperaturas em torno de 10ºC, como a famosa cerveja pilsen –; e ale, que são as bebidas produzidas em alta fermentação – geralmente entre 14º e 25ºC.

Os turistas também veem mitos derrubados, como o de que cerveja e chope não têm diferença, e que a palavra chope nada mais é que a derivação da expressão alemã “schopp”, medida usada para especificar uma quantidade de líquido equivalente a 300 mililitros.


Para a sommelier de cerveja Taiga Cazarine, que acompanha os grupos no tour, o passeio vai além da degustação das cervejas especiais. "São pessoas diferentes que se juntam para tomar boas cervejas e dar boas risadas. Assim que começo a passar informações, surgem conversas. Tento passar esse primeiro conhecimento, para que a pessoa ao menos saiba escolher uma cerveja no cardápio, entende o porquê daquele sabor, daquele aroma. Toda essa conversa faz com que quem participa leve isso para um conhecido, um familiar. Sinto que estou disseminando cultura e criando novos consumidores", afirma.

Experiência nova
Conhecer novos sabores e descobrir a origem de cervejas especiais acaba sendo uma experiência nova até para quem mora na cidade. É o caso do empresário Roberto Bento, de 34 anos. Ele conta que até então não conhecia o mercado das bebidas artesanais. "Nunca tinha experimentado nada de artesanal. Só consumia as cervejas tradicionais. Esse tipo de passeio permite que a gente conheça novidades, aprecie essas cervejas diferentes. Eu nem imaginava, por exemplo, que existia cerveja com mel. Vou procurar indicar a amigos e agora quero conhecer um pouco mais dessas variedades de cerveja", diz.

Habituado ao universo das bebidas artesanais, o publicitário Ulisses Alexandre Soares, de 31 anos, diz que é fundamental experimentar diversos tipos de cervejas especiais para encontrar a que mais agrada o paladar. "Eu não gostava de cerveja. Foi experimentando que aos poucos comecei a entender um pouco do assunto. Desenvolvi o paladar e passei a gostar.

A partir do momento que você experimenta vários tipos de cerveja, você acaba se identificando com algum deles. Se tem um ingrediente que agrada, a pessoa pode ir além e passar a pesquisar outras cervejas semelhantes. Hoje digo que prefiro beber menos, mas beber melhor", afirma.

Mercado em ascensão

De acordo com Carlos Henrique Braghin, gerente do Cervejarium, Ribeirão se tornou um pólo de produção de cervejas especiais, mas ainda é preciso mais incentivos para que a cultura do consumo desse tipo de bebida se propague. "Esse tour cervejeiro é uma boa iniciativa para introduzir um pouco do que tem por trás da cerveja artesanal. A maioria das pessoas que participa não conhece esse tipo de produto. O acesso, no entanto, permite que elas mudem um pouco a concepção do consumo de grandes quantidades das chamadas cervejas 'tradicionais', para menores quantidades de bebidas de qualidade", diz.

Apesar de considerar que o Brasil ainda não é um país de cultura cervejeira, Braghin acredita que o crescimento do mercado de bebidas artesanais deve aos poucos agregar mais consumidores. "Quando se fala em cerveja artesanal, a frase que a gente tem que levar é ‘permitam-se experimentar’. A melhor cerveja é sempre aquela que te remete a coisas legais. O brasileiro foi acostumado a só consumir a cerveja pilsen. Hoje estamos voltando aos ancestrais, quando associamos o consumo da cerveja não como sinônimo de ficar bêbado, e sim como parte da alimentação. O mais importante, nesse processo todo, é o conceito de beber menos, mas beber melhor", conclui.

Serviço

Rota da Cerveja

Como funciona: tour de van pelos estabelecimentos Lund, Colorado Cervejarium, Fritz e Invicta guiado por um sommelier e com degustação de cervejas artesanais.

Valor: R$ 185 por pessoa

Informações: Livre Acesso Turismo - Tel: (16) 3941-3086

Além de degustar cervejas artesanais, turistas recebem informações sobre a produção das bebidas com sommelier (Foto: Fernanda Testa/G1)

Fonte: G1

Brasil brilha na South Beer Cup

Os resultados da South Beer Cup foram revelados na noite de sábado, 23 de maio (Foto: Divulgação)


Júri elege Heilige a cervejaria do ano e premia dezenas de cervejas brasileiras


Uma cerveja do interior do Rio Grande do Sul festeja a proeza de conquistar "a Copa Libertadores da Cerveja". É a Heilige, de Santa Cruz do Sul, eleita a Cervejaria do Ano na 5ª South Beer Cup, realizada em Mar del Plata (Argentina). Foi uma entre tantas conquistas para o Brasil, reveladas na cerimônia de premiação, na noite deste sábado, 23. Confira abaixo o quadro oficial divulgado nesta manhã de domingo.


Fonte: Revista Beer Art

Máquina japonesa serve cerveja com perfeição

Você já teve a impressão de que ninguém sabe servir cerveja bem no copo?

Sem deixar escapar uma gota sequer e a colocar a quantidade de espuma ideal para formar um bom colarinho, a impressionante máquina do vídeo acima serve cerveja como nenhum humano é capaz de fazer. Parece ter vindo de nossos sonhos.

Mas não, ela veio da realidade. E se encontra no Aeroporto Internacional de Kansai, em Osaka, no Japão. A máquina fica numa área lounge que recebe passageiros de diversos voos internacionais de negócios.

Segundo Milan Csepku, que postou o vídeo no YouTube, essas máquinas não são comuns fora de áreas de embarque como essa porque, em muitos lugares você não pode se servir de bebidas alcoólicas. Mas esses lounges em aeroportos japoneses são exceção.

(Partiu aeroportos japoneses?)


Fonte: Brasil Post

sábado, 23 de maio de 2015

Gordon Strong ministra curso para juízes, em POA/RS

O treinamento de Avaliação e Simulação de Julgamento de Cervejas ocorre no dia 27/5

Gordon é o juiz mais graduado mundialmente pelo BJCP, Grand Master VIII (Foto: Divulgação)

O presidente do BJCP (Beer Judge Certification Program) e juiz mais graduado mundialmente (Grand Master VIII), Gordon Strong, estará em Porto Alegre (RS) na quarta-feira, dia 27 de maio, para realizar um treinamento para juízes e aspirantes a juízes BJCP. O curso de Avaliação e Simulação de Julgamento de Cervejas será ministrado no The Pint Brew Pub (Rua José do Patrocínio, 366), das 19h às 21h e tem um custo de R$ 40,00. Juízes BJCP e aspirantes a juízes tem prioridade na inscrição.

A partir de segunda-feira, 25, cervejeiros em geral poderão se inscrever. A iniciativa tem apoio da Cervejaria Seasons e Babel Cervejaria. Mais informações pelo e-mail rosariapp@hotmail.com.
Serviço


O que: curso de Avaliação e Simulação de Julgamento de Cervejas com Gordon Strong
Quando: 27 de maio, das 19h às 21h
Onde: The Pint Brewpub (Rua José do Patrocínio, 366)
Informações: rosariapp@hotmail.com

Fonte: Revista Beer Art

Festival de cerveja e vinho será realizado em cruzeiro

Evento ocorrerá duas vezes em cruzeiros com mais de sete dias e incluirá bebidas regionais



A Princess Cruises terá um novo programa a bordo dos cruzeiros a bordo do Dawn Princess quando ele voltar da doca seca no fim de maio. O navio será o primeiro a oferecer festivais de cerveja e vinho em alto-mar na Austrália. Além disso, o navio passará a contar com um novo menu de whisky.

O festival será realizado ao ar livre no deque da piscina, que ganhará decoração específica, tendas com cervejas e vinhos regionais, além de música ao vivo. O Beer and Wine Garden Festival ocorrerá duas vezes em todos os roteiros com mais de sete dias de duração. Para quem prefere whisky, a novidade é a reformulação do Wheelhouse Bar, que contará com uma lista de 56 variedades da bebida de diversas partes do mundo.
Fonte: Terra

Urbana e O Mercado lançam a cerveja Bergamosh

Cerveja cocriada terá o lançamento oficial na Comedoria Gonzales, no Mercado Municipal de Pinheiros, no dia 12 de junho, das 16h30 às 18h





A ideia é simples: associar a miríade de sabores desta Mild Ale nada tradicional, que leva tangerina e pimenta rosa em sua receita, à intensidade da experiência de um “moshpit”, que é o nome que se aplica aquele mergulho que dão os artistas, do palco para a plateia, nos momentos mais emocionantes de um show de rock.

A Bergamosh é uma cerveja colaborativa, assinada pela Urbana, cervejaria artesanal paulistana, e O Mercado, projeto pioneiro de feiras gastronômicas, e será lançada na Comedoria Gonzales, no Mercado Municipal de Pinheiros, em 12 de junho, das 16h30 às 18h.

Cerveja leve com uma pegada de lúpulo americano, Bergamosh possui tangerina e pimenta rosa. Tem 3,7% ABV (teor alcoólico) e 27 IBUs (unidades de amargor).

“A marca registrada da Urbana é o humor e, dessa vez, em parceria com O Mercado, brincamos com a ideia de um ‘mosh’ de bergamota, para reforçar o sabor da tangerina, e, ao mesmo tempo, marcar uma presença mais despojada nesse universo gourmet”, afirma o sócio e cervejeiro da Urbana, André Cancegliero. Checo Gonzales, sócio dO Mercado, manda o recado: “Toma uma se joga, vai!”.

Serviço

Lançamento da Bergamosh
Local: Comedoria Gonzales, Mercado Municipal de Pinheiros
Endereço: Rua Pedro Cristi, 89, Pinheiros
Data e Horário: 12 de junho, das 16h30 às 18h (horário de fechamento do Mercado de Pinheiros)
Degustação da Bergamosh será oferecida ao público

Sobre a cervejaria Urbana

Fundada em 2010 em São Paulo, a cervejaria Urbana começou como hobby, e logo o objetivo de criar 12 cervejas com rótulos que acompanhavam as receitas no prazo de um mês foi alcançado. A brincadeira ganhou volume, e em apenas três anos a Urbana se profissionalizou, adquirindo um galpão para a instalação de um laboratório. Com mais de 200 cervejas em seu portfólio, apenas no ano de 2014 a Urbana lançou 10 rótulos. Tem como sócios o cervejeiro André Cancegliero, o publicitário Fernando Pieratti, que elabora os divertidos rótulos, e João Luiz Braga, que trouxe sua experiência em gestão financeira ao negócio.

Sobre O Mercado

Editora de eventos e conteúdos gastronômicos. Em abril de 2012, os cozinheiros Checho Gonzales, Henrique Fogaça e a produtora cultural Lira Yuri montaram a primeira feira gastronômica de comida de rua que São Paulo já viu, inaugurando uma vertente que cresce sem parar na Cidade e no País.


Fonte: