Ninkasi, a Deusa da Cerveja

Ninkasi é a antiga deusa sumeriana da cerveja, que transformou uma mistura de água e cevada em um líquido dourado, conhecido hoje como cerveja.

Era uma deusa muito popular que fornecia cerveja aos deuses. Ela era considerada a própria personificação da cerveja.

Receba as postagens do Ninkasi Beer Club no seu e-mail!

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Curso de Cerveja Artesanal: Engenharia e Produção na Cervejaria Mito


A Cervejaria Mito, representada neste curso pelo engenheiro químico Daniel Penna e pelo sommelier de cervejas Bruno Mesquita, em parceria com a ProEng - Centro de Treinamentos aplicados à área de engenharia, design e tecnologia lançam no mercado um novo curso sobre cerveja artesanal com uma nova abordagem.

Curso de cerveja artesanal no melhor estilo "Do it yourself". Os alunos entenderão a montagem dos equipamentos e escolha de insumos, parâmetros operacionais e principais métodos da fabricação, onde encontrar equipamentos e fornecedores, história da cerveja e tipos de cerveja. Além disso, estarão disponíveis, ao longo do curso, diferentes tipos de chopp artesanal a serem harmonizados com aperitivos. Cerca de 30 dias depois, faremos um happy hour com a cerveja produzida no curso. É, você vai poder beber sua própria cerveja !

VAGAS LIMITADÍSSIMAS


>>> Ementa do Curso:

1. Visão geral do processo

2. Equipamentos – Homebrewing / Produção Industrial

3. Termos cervejeiros – básicos e avançados

4. Malte e cereais não maltados - usos e características

5. Água cervejeira - Como preparar/usar, características desejadas

6. Lúpulo - variedades e características

7. Leveduras - as estrelas do show...

8. Métodos de brassagem na indústria

9. Mosturação - entendendo o que ocorre

10. Trasfega e Fervura

11. Fermentação/Maturação

12. Envase/Carbonatação

13. Finalmente, Cerveja!


Material didático incluso (apostila elaborada pelos palestrantes)

Degustação de diferentes estilos de cerveja

Petiscos e Coffee Break

Consumo da cerveja produzida por você (após um mês, aproximadamente)

Consultoria pós curso

Data: 19/09
Horário: 9:00 às 17:00

>>> Preços especiais para pagamento à vista

Local: Botafogo - Rua Barão de Lucena, 85A.
O certificado será entregue ao final do curso.

Link para as incrições! http://goo.gl/forms/sR8jBIhEPj

Corram que as vagas são limitadas!!!!

Dortmund participa da primeira edição do Bierfest Brasília

O evento promete ser o maior do setor cervejeiro na região Centro-Oeste e contará ainda com shows, rodadas de negócios, palestras e mais de 200 rótulos


Cervejas Dortmund

A cervejaria artesanal Dortmund Bier participará da primeira edição do Bierfest Brasília. O evento acontecerá entre os dias 4 e 6 de setembro no Arena Lounge do Estádio Nacional de Brasilía – Mané Garrincha com uma programação de shows, palestras, rodadas de negócios, restaurantes, food trucks e muita cerveja. Ao todo serão mais de 200 rótulos.

“Participar de um evento desse porte em uma região onde tradicionalmente não tem uma cultura cervejeira tão acentuada só mostra o quanto esse mercado tem crescido e a aceitação do público para esse tipo de produto. Justamente por isso levaremos todos os nossos rótulos, para que os participantes possam conhecer toda a nossa variedade de estilos”, explica o cervejeiro da Dortmund, Marcel Longo.

Com um distribuidor local, durante os três dias de evento estarão disponíveis os seguintes rótulos da Dortmund:

Hopfen – Uma autêntica Imperial German IPA preparada 100% com insumos alemães e uma mistura inusitada de lúpulos Hallertau Magnun e Mittelfrüh. Graduação alcoólica de 8,5% e 80 IBUs.

Linderhof – Uma cerveja de trigo clara, de alta fermentação do estilo German Weizenbier. Graduação alcoólica de 5% e baixo amargor.

Nostradamus – Uma Stout profundamente escura, com notas de café, toffee e chocolate. Graduação alcoólica de 4,8% e amargor pronunciado.

Old Ship – Uma American Pale Ale de cor âmbar, produzida com um único de lúpulo americano. Graduação alcoólica de 4,9% e alto armargor.

Pils – Um dos estilos mais populares do mundo, essa Classic American Pilsner tem coloração amarelo-ouro, uma espuma cremosa e um paladar equilibrado. Graduação alcoólica de 5% e alto amargor.

Red Rose – Essa American Amber Ale possui aroma toffee e caramelo e notas florais. Graduação alcoólica de 6% e baixo amargor.

Schloss – É uma Witbier que utiliza trigo branco não maltado e é temperada com sementes de coentro e cascas de laranja o que a torna muito leve e refrescante. Graduação alcoólica de 4,5% e amargor moderado.

The White IPA – É única India Pale Ale (IPA) de trigo do Brasil com amargor na medida certa e muito dry-hopping (processo que adiciona outra carga de lúpulos ao final da maturação) Cascade e Sincoe. Graduação alcoólica de 4,5% e alto amargor.

Sobre a cervejaria artesanal Dortmund Bier

Fundada em 2011 no circuito das Águas Paulistas, em Serra Negra, a cervejaria Dortmund Bier surgiu para satisfazer até os mais exigentes apreciadores de cervejas artesanais. Com equipamentos de última geração, utilizando as mais tradicionais técnicas cervejeiras e uma seleção rigorosa dos ingredientes possui oito rótulos fixos em seu portfólio. Além das cervejas em parceria com as bandas Matanza e Ratos de Porão, com o chef Henrique Fogaça e com músico e apresentador João Gordo.

Fonte: RS Press

CervaRock no Food World Truck


Dos dias 04 a 07 de Setembro o Barra World Shopping receberá o Festival gastronômico Food World Trucks, além das lojas que estarão abertas, o visitante também poderá conferir a programação cultural que conta com peças de Teatro, Show Musicais, Música ao vivo e a presença do DJ Márcio Tadeu durante todo o evento com muito house, lounge e bossa nova.

Venha conhecer a culinário do Mundo em um só lugar! O Festival vai reunir os melhores Food Trucks do eixo Rio/São Paulo, com as estilosas Food Bikes e tradicionais barracas gastronômicas assinadas por renomados chefs de cozinha. São diversas opções gastronômicas já confirmadas, além da presença do Cervarock, com as melhores cervejas artesanais (geladas).

A entrada é gratuita!

A nova identidade da Cervejaria Horst&Biermann

Novos rótulos da Cervejaria Horst&Biermann
Cervejas ganham nomes épicos e rótulos com fotografias de ação trabalhadas artisticamente (Foto: Divulgação)

Redesenho da linha de cervejas e abertura de brewpub marcam a profissionalização


Fruto da paixão de um casal por cervejas artesanais, a Horst&Biermann renova a sua identidade visual e a linha de produtos. Os proprietários, Carin Horst e Sandro Biermann, apresentaram em evento na noite de 24 de agosto, no Horst&BiermannBrew Pub, em Porto Alegre (RS), a nova logomarca e os rótulos e destacaram inovação nas receitas. Prestes a completar cinco anos, em outubro, a cervejaria tem distribuição em bares e empórios especializados em artesanais no Rio Grande do Sul.

"O mercado da cerveja artesanal vem numa crescente no Brasil, e isso exigiu a busca de um novo posicionamento", explica o casal, ao apresentar a linha renovada, com nomes com tom épicos: Big Machine (Helles), Adventurer (Weiss), Intrepid (Blond Ale), Pathfinder (IPA) e Fearless (Stout).

A Horst&Biermann espelha um movimento comum entre microcervejarias surgidas nos últimos anos no Brasil: o início é despertado pela paixão pelas artesanais, e chega o momento em que a esse sentimento se soma a profissionalização do negócio.


“Tudo começou no II Encontro Aberto da Acerva Gaúcha", lembra Sandro, que também desempenha o papel de cervejeiro. "A Horst&Biermann nasceu como devem nascer as paixões: de uma grande vontade.”

Além do reposicionamento da linha de cervejas, mais recentemente o casal inaugurou o brewpub (Rua Orleans, 255 - Prédio 2 – bairro Guarujá, Porto Alegre-RS).


"Nossa história começou envolvida por estas especiais garrafas, e nos levou a montar um negócio movidos pela paixão", acrescenta Carin. "Foi conhecendo lugares e também participando de eventos cervejeiros, que resolvemos investir em um sonho para que passasse a ser um espaço real para outros apreciadores de cerveja artesanal.”

Fonte: Revista Beer Art

Principais ingredientes da cerveja ganham agora lugar na nécessaire

As cervejas especiais dominam supermercados, bares e lojas especializadas e a febre em torno da bebida é tão grande que chega agora aos produtos de beleza. Formulados com extrato de cerveja, levedo e gérmen de trigo, o ingrediente não é novidade — acredita-se que ele seja usado como tratamento para os cabelos há séculos. O açúcar e as proteínas presentes na bebida seriam responsáveis por dar corpo e condicionamento aos fios. Já nos produtos para a pele, o levedo é responsável pela rapidez na reconstrução da camada protetora da cútis. Mas pode ficar tranquilo: os produtos não têm cheiro de cerveja, somente os benefícios dos ingredientes envolvidos na sua produção!


1. Xampu Clean Brew, da Redken (R$ 62,90)

2. Xampu sem sa Levedo de Cerveja e Vitamina E, da Payot (R$ 19,90)

3. Shampoo Cynthia Sylvia Stout Cabelos brilhantes e cheios de vida, na Lush (R$ 109,50)

4. Sabonete de cerveja Guajará, da Sal da Terra (R$ 16,90) 

5. Balm Pós-barba da Granado (R$ 35)

Fonte: Correio Braziliense

Saiba como fazer maionese de cerveja

Extremamente saborosa e versátil, combina com carnes vermelhas e frango



Ingredientes 
1 lata de cerveja pílsen (355 ml) 
pimenta-do-reino 
1 xícara (chá) de Maionese (200 g) 
1 pão preto (400 g) 

Modo de preparo 
Coloque a cerveja em uma panela para reduzir, em fogo baixíssimo, sem deixar levantar fervura, por cerca de 30 minutos, ou até que a cerveja adquira uma cor próxima à de caramelo (cerca de 20% do volume inicial). Retire do fogo e deixe esfriar. Misture a redução de cerveja com a maionese e tempere com a pimenta-do-reino a gosto. 
Sirva essa maionese acompanhada de fatias de pão preto e uma carne grelhada.

Fonte: Meon

sábado, 29 de agosto de 2015

Cervejas ácidas ativam a Morada do futuro

Transformação da cervejaria curitibana se estende a outras fronteiras e bebidas

Delícias Ácidas de Verão
Nova linha, com o nome "Delícias Ácidas de Verão", tem receitas engenhosas com ingredientes brasileiros e colaboração internacional (Foto: Altair Nobre/Beer Art)

Por Altair Nobre

Apropriada para harmonizar com um momento histórico da Morada Cia Etílica, a degustação de uma sour de inspiração belga mas com o brasileiríssimo cupuaçu abriu a apresentação. No comando do projetor, André Junqueira converteu o pub em auditório, no Happy Hour desta sexta-feira, 28. Detalhou as novidades já consumadas e os projetos em andamento que sacodem esta cervejaria cigana de Curitiba (PR), tradicionalmente inquieta, como a cabeça fervilhante de seu mentor. O evento no Biermarkt Vom Fass, no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre (RS), a ser repetido em outras cidades pelo Brasil, se mostrou bem mais do que uma ação promocional. Permitiu antever o futuro de uma das mais criativas e influentes cervejarias do renascimento artesanal no Brasil, que a Beer Art descreve a seguir.

A Morada lança uma coleção chamada "Delícias Ácidas de Verão", aberta por três cervejas engenhosas: a Cupucuaçu Sour, a CDB e a Abera Base. Essa série reforça a parceria de Junqueira com o também cervejeiro cigano Brian Strumke, da marca americana Stillwater. A primeira, uma "Oatmeal Berliner Saison" com a fruta de origem amazônica parente do cacau, combina polpa fresca enviada por via aérea de Ilhéus (BA) e a fermentação com levedura Saison. Como é extra seca, e assim poderia ficar muito aguada, a aveia a deixa mais encorpada.

Para ler a reportagem completa clique aqui

Fonte: Revista Beer Art

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Bebidas que parecem com cerveja estão proibidas no Mineirão

Refrigerantes à base de guaraná, por exemplo, estão proibidos no estádio, para evitar confusão entre torcedores e seguranças


No Mineirão não serão vendidas bebidas parecidas com a cerveja, como refrigerantes à base de guaraná, para evitar problemas com a nova lei estadual que libera o consumo da bebida alcoólica

A cerveja está liberada nos estádios de Minas Gerais, mas, líquidos com aparência semelhante a ela não serão comercializados no Mineirão. A decisão é da Minas Arena, empresa que administra o estádio. O motivo, segundo a empresa, está ligado a um dos itens da nova lei estadual, sancionada nesta semana, que libera novamente a venda de cerveja nas arenas.

Com a nova medida tomada pelo poder público mineiro, os torcedores não podem consumir a bebida alcoólica nas arquibancadas e, para evitar conflitos entre o público e os seguranças do estádio, a Minas Arena decidiu proibir, no maior campo de futebol mineiro, a comercialização de bebidas semelhantes à cerveja, como, por exemplo, refrigerantes à base de guaraná.

Por meio da sua assessoria de imprensa, a Minas Arena reforça que a medida é "temporária e preventiva", valendo apenas para as primeiras partidas com venda de cerveja liberada, até que o torcedor fique adaptado à nova lei.

Fonte: Encontro BH

Peeling à base de cerveja clareia a pele e tira manchas

Sabia que dá para usar o lúpulo, responsável pelo amargor da cerveja, como aliado contra as manchas na pele?


A cerveja é a bebida preferida dos brasileiros, e, agora, também ajuda a manter a pele mais saudável

A bebida "paixão nacional" todo mundo sabe qual é. O que muita gente ainda não sabe é que a cerveja, agora, vem sendo redescoberta pela ciência para cuidados com a saúde, graças aos benefícios de seus ingredientes naturais.

Um princípio ativo extraído do lúpulo (ingrediente utilizado para dar o gosto amargo à bebida) é a nova aposta da Medicina e da cosmetologia para clarear a pele e prevenir manchas e inflamações.

O tratamento, chamado de "peeling de cerveja", já vem sendo usado em países da Europa e da Ásia e, agora, chega ao Brasil, em versões para uso profissional e tratamento doméstico.

O lúpulo, um dos principais componentes da cerveja, possui qualidade clareadora para a pele

"Para o consumidor ter ideia da qualidade do lúpulo como ativo contra manchas, ele é um dos mais utilizados no Japão, que é um país bastante exigente quando o assunto é manter a uniformidade da pigmentação da pele. Esse ativo promove o clareamento de forma segura e garante que as manchinhas não voltem", explica a farmacêutica Sara Bentler.

Tipo especial de flavonóide, o lúpulo é um potente antioxidante que, dentre suas ações benéficas para a pele, atua no clareamento e principalmente no combate ao "vai e vem" das manchas.

Fonte: Encontro

Receita do Dia: Macarrão com porco na cerveja preta


Ingredientes:

Para a carne
1 kg de filé mignon suíno
Sal a gosto
Pimenta-do-reino preta, moída na hora, a gosto
5 dentes de alho amassados
3 cebolas cortadas em meia-lua
3 colheres (sopa) de extrato de tomate
2 latas de cerveja escura
Suco de 6 laranjas
1 colher (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de manteiga

Para a massa
1 colher (sopa) de sal
1 embalagem de Macarrão Isabela (500 g)
Folhas de 4 ramos de alecrim picadas

Modo de Preparo:

Prepare a carne
– Acomode o filé em uma assadeira. Tempere com o sal, a pimenta e espalhe sobre ele o alho, a cebola e o extrato. Regue com a cerveja e o suco e cubra com papel-alumínio. Leve ao forno médio (180 °C – 200 °C) por cerca de 1 hora ou até que a carne esteja completamente cozida e macia.
– Retire do forno, desfie a carne em lascas grossas, coloque em uma panela junto com o caldo formado na assadeira e leve ao fogo para que reduza um pouco o caldo. Dissolva a farinha em um pouco do caldo junto com a manteiga, junte ao cozido e misture bem para encorpar ligeiramente o molho. Desligue o fogo e reserve.

Prepare a massa
– Em uma panela grande, ferva 5 litros de água com o sal. Cozinhe a massa durante o tempo indicado na embalagem ou até que esteja “al dente”, ou seja, macia, porém resistente à mordida. Escorra imediatamente, acrescente ao molho e misture delicadamente para que toda a massa fique bem envolvida. Polvilhe o alecrim e sirva em seguida.

Rendimento: 10 porções
Tempo de Preparo: cerca de 1 hora

Fonte: aRede Mulher

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Minas Gerais terá Festival Internacional de Cerveja e Cultura pela primeira vez

Estado, que se destaca como polo cervejeiro, apresentará diversas marcas brasileiras e internacionais


Minas Gerais terá Festival Internacional de Cerveja e Cultura pela primeira vez

Pela primeira vez, Minas Gerais vai receber o Festival Internacional de Cerveja e Cultura – FICC. O grandioso evento será no Alphaville Lagoa dos Ingleses – Espaço CSul Lagoa, nos dias 28, 29 e 30 de agosto. O festival contará com food trucks, restaurante de comida japonesa e frutos do mar, bandas, Djs, atrações circenses e artesanato. Além disso, oito Pubs com cenografia que remete aos típicos pubs ingleses serão montados. 

A cada edição o FICC vai homenagear um país. Este ano, a bola da vez será a Inglaterra, porque Nova Lima foi colonizada por ingleses e para dar as boas vindas ao comitê olímpico que terá sua sede em BH. O desafio gastronômico será incluir o sabor mineiro na gastronomia inglesa. 

Cervejarias confirmadas

Walls, Fürst, Besten–RJ, Backer, Krug Bier, Magma, X Beer, Taberna do Vale, Koala San Brew, Kud, Prussia, Falke Beer, Madalena Cerveja Premium, Mistura Clássica Cervejaria, Noi Cerveja Artesanal, Do Monge, Providência Cervejaria, Crazy Rocker, Cuesta, Uaimii.

Distribuidoras confirmadas

Prime Distribuidora com as cervejas: North Coast Brewing CO (Estados Unidos), MOA (Nova Zelândia), Dead Frog Brewery (Canadá), Horny Goat Brewing CO (Estados Unidos) e Beer Maniacs Distribuidora com a Brooklin Brewing CO (Estados Unidos).

Congresso

O Congresso conta com palestrantes nacionais e internacionais, entre mestres cervejeiros, especialistas e empresários do ramo, como Robert Kevwitch, Jason Buehler, Marco Falcone, Alexandre Bazzo, Marcelo Braga, Fabiana Arreguy, José Felipe, Eduardo Grizendi, César Adames, Afonso Landini e Carlos Henrique. A Acerva Mineira também terá uma participação e vai poder apresentar as cervejas desenvolvidas pelos Home Brew.

Programação musical
Dia 28: Glasgow9 - Cartoon - DJ Jaka
Dia 29: Tianastácia - Mother Mojo - Hot Spot Blues Band - Inquilinos - DJ Cateb - DJ Motoca
Dia 30: Black Sô - Banda Javalli - Seu Madruga - Jammie Brothers - DJ David Zaidan - DJ Rafa (DeSkaReggae)

Transporte

Todo mundo sabe que álcool não combina com volante. Para evitar essa mistura perigosa, a Price Beer fez uma parceria com o Uber para facilitar o acesso ao Festival Internacional de Cerveja e Cultura (FICC). Dessa forma, os cervejeiros de plantão poderão provar as deliciosas cervejas artesanais sem se preocupar com a volta para casa. Para conseguir o desconto de R$ 30,00 na primeira viagem, basta fazer o cadastro no aplicativo com o código PRICEBEER. O desconto é válido para os usuários de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

Ingressos

Os ingressos custam R$ 30,00 por dia ou R$ 60,00 o passaporte. Para comprar acesse Central dos Eventos. Para ganhar clique aqui.

Para mais informações acesse: http://ficc.net.br/

Fonte: O Tempo

Brasil se consagra na Copa Cervezas de América 2015

Concurso no Chile premia 53 cervejas brasileiras, e Tupiniquim é eleita a cervejaria do ano


Copa Cervezas de América 2015
Tupiniquim, de Porto Alegre (RS), é apontada como a grande vencedora, com dois ouros, duas pratas e um bronze (Foto: Sarah Buogo/Beer Art) 

Por Sarah Buogo, Santiago do Chile

Como esperado, o Brasil foi o destaque na edição 2015 da Copa Cervezas de América, em Santiago do Chile. A começar pelo prêmio de melhor cervejaria das Américas, conquistado pela Tupiniquim, de Porto Alegre (RS), com dois ouros, duas pratas e um bronze. Pelo segundo ano consecutivo a cervejaria de Porto Alegre (RS) figura entre as principais premiações (em 2014, comemorou a Cerveja do Ano, com a Saison de Caju). Ao total, nesta noite de quarta-feira, 26, cervejas brasileiras receberam 53 medalhas, entre 9 ouros, 18 pratas e 26 bronzes. Quase 30 cervejarias brasileiras voltam do Chile com medalhas.

O prêmio de melhor cerveja ficou com a IRA! da cervejaria chilena Granizo. O país anfitrião foi o segundo a receber mais medalhas, totalizando 21 (3 ouros, 6 pratas e 12 bronzes). O terceiro no ranking foi o México com 6 (3 ouros e 3 bronzes)

Confira aqui o quadro completo de medalhas.

Receita do dia: Bolo de cerveja preta e ameixas em calda

Ingredientes
- 200g de manteiga 
- 500g de açúcar 
- 4 ovos inteiros 
- 1 garrafa de cerveja preta (300ml) em temperatura ambiente 
- 1 lata de ameixa em calda (300g) 
- 500g de farinha de trigo 
- 1 colher (sopa) de fermento em pó 
- 3 colheres (sopa) de glaçúcar

Modo de preparo
Preaqueça o forno à temperatura média (180º C). Unte e enfarinhe uma assadeira retangular grande (24x38). 

Bata no liquidificador, a ameixa (sem caroço) com a calda, até formar um creme. Coloque o açúcar e a manteiga na batedeira. Acrescente os ovos um a um e sempre batendo. Intercale aos poucos a farinha, o creme de ameixa e a cerveja. Por último, acrescente o fermento em pó. Despeje na assadeira e leve ao forno por aproximadamente 30/40 minutos. Desenforme frio e polvilhe glaçúcar. 

Se gostar, acrescente à massa 1 xícara (chá) de uvas passas. 

Dica: para que as uvas passas não desçam até o fundo da forma, passe-as antes em amido de milho.

Fonte da receita: Walita

Semana Way Beer no Empório Alto dos Pinheiros

Doze cervejas da marca paranaense estarão disponíveis em chope no bar da capital paulista


Cerveja Way
Cervejaria de Pinhais (Grande Curitiba) realiza o evento promocional de 26 de agosto a 2 de setembro, no EAP (Foto: Divulgação)

A partir desta quarta-feira, dia 26 de agosto, até 2 de setembro, o Empório Alto dos Pinheiros, na capital paulista, sedia a 1ª Semana Way Beer. Serão oferecidos na torneira os principais rótulos da cervejaria paranaense.

Doze opções de cerveja da Way Beer estarão disponíveis em chope: Cream Porter, IPA Die Fizzy Yellow, American Pale Ale, Avelã Porter, Sour Me Not – Graviola, Amburana, Brett IPA, Sour Me Not – Acerola, Premium Lager, Sour Me Not – Morango, Double APA e Red Irish Ale.

Serviço
O que: Semana Way Beer
Onde: Empório Alto dos Pinheiros (Rua Vupabussu, 305 – Pinheiros, São Paulo-SP)
Quando: de 26 de agosto a 2 de setembro (a casa funciona de domingo a 4ª, das 12h às 24h, e de 5ª a sábado, das 12h às 1h

Fonte: Revista Beer Art

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Sirha: Bocuse D’or e Coupe Du Monde de La Pâtisserie estão confirmados

Porta-vozes do encontro internacional dos grandes chefs e da indústria de gastronomia e hotelaria revelam detalhes dos concursos que fazem parte da agenda da feira. 



Evento acontece de 14 a 16 de outubro, no Centro de Convenções SulAmérica


Porta-vozes internacionais e representantes nacionais do Sirha, o evento de referência do setor de gastronomia e hotelaria na Europa e no mundo, estiveram juntos na manha desta segunda, 24 de agosto, em encontro em Santa Teresa onde revelaram detalhes dos concursos que fazem parte da agenda da feira, que acontece de 14 a 16 de outubro, no Centro de Convenções SulAmérica: o Bocuse D’Or e a Coupe du Monde de La Pâtisserie. Marie Odile Fondeur, diretora geral do Sirha; Claude Troisgros, presidente do Sirha Brasil; e Vânia Tavares, diretora geral da GL events Exhibitions, comandaram o encontro, que também teve a presença dos chefs Laurent Suaudeau, presidente do Bocuse D’Or Brasil e Philippe Brye, presidente da etapa brasileira da Coupe du Monde de La Pâtisserie. Outros renomados nomes da gastronomia brasileira, como Alex Atala, à frente do júri do Bocuse D’Or, e Roberta Sudbrack, um dos jurados do concurso, participaram do encontro.

Bocuse D’Or – o concurso gastronômico mais prestigioso do mundo chega ao Brasil

Durante o Sirha Rio, a GL events realizará a primeira seletiva brasileira do Bocuse D’Or, considerado o mais prestigioso concurso culinário de alta gastronomia do mundo, nos dias 15 e 16 de outubro. O vencedor, escolhido entre oito chefs profissionais, vai representar o país na etapa latino-americana da competição no México, em 2016. De lá, sairão três nomes para a final na próxima edição do Sirha Lyon, em 2017.

Criado em 1987 por Paul Bocuse, o Bocuse D’Or reúne a cada dois anos, em Lyon, 24 jovens chefs dos cinco continentes. Alguns deles estão entre os mais brilhantes talentos de suas gerações. Os finalistas são determinados após dezoito meses de etapas seletivas, em 63 países. Mais que uma mera competição, o Bocuse D’Or é um verdadeiro show de talentos da gastronomia vindos do mundo todo. Considerado inovador desde sua criação, foi o primeiro concurso em que os candidatos preparavam o prato ao vivo, em frente à plateia e aos jurados. O primeiro lugar nas Américas em que Bocuse colocou seu nome foi no carioca Hotel Meridien, quando Laurent aceitou o convite para representar seu mestre aqui.

Os oito candidatos – Alex Sotero (SP), Bruno Rappel (DF), Camilo Portugal (RJ), Gabriel Daniel (SP), Giovanna Grossi (AL), Gustavo Maragna (DF), Halles Willians (RJ) e Luiz Filipe de Azevedo (SP) - foram escolhidos por Laurent Suaudeau, presidente do Bocuse D’Or Brasil, e seu comitê.

Entre os nomes escolhidos para o Comitê estão os chefs Marcelo Fernandes, Marcelo Pinheiro, Victor Rodrigues, David Jorbet, Bruno Hamad e Andrews Valentim. Além de auxiliar na escolha dos candidatos, o grupo participará ativamente do treinamento e, durante as provas, atuarão como fiscais e treinarão o vencedor para a etapa mexicana.

Presidido pelo chef Alex Atala (DOM e Dalva & Dito), o júri contará com mais oito nomes. São eles: Tsuyoshi Murakami (chef do Kinoshita, em São Paulo), Jefferson Rueda (Attimo e Casa do Porco, São Paulo), Didier Labbé (chef executivo do Grupo Troisgros Brasil, Rio de Janeiro), Pascal Jolly (Chez L’Ami Martin, Rio de Janeiro), Roberta Sudbrack (Roberta Sudbrack, Rio de Janeiro), André Soares (Hotel Saint Andrews, Gramado), Paolo Lavezzini (Fasano Al Mare, Rio de Janeiro) e Emmanuel Bassoleil (Skye, São Paulo).

Como processo seletivo, os candidatos tiveram que criar uma receita para cada tema do concurso: carne (miolo de alcatra com acompanhamento de ora-pro-nóbis) e peixe (pescadinha com acompanhamento de chuchu). Depois da elaboração da ficha técnica e modo de preparo, os concorrentes fotografaram o prato. Nos dias do Sirha Rio, cada chef terá cinco horas e 35 minutos para preparar suas receitas ao vivo para avaliação.

O Brasil já participou nove vezes da final do concurso, desde sua criação, nos anos de 1989, 1995, 1997, 1999, 2001, 2003, 2007, 2009, 2013. Desta vez, o país terá uma oportunidade excepcional para valorizar sua herança culinária, reforçar a crescente reputação de sua cozinha e mostrar a qualidade de seus talentos gastronômicos, técnica e criatividade.

Coupe du Monde de La Pâtisserie

Os doces também terão lugar de destaque no Sirha Rio. A seletiva brasileira da Coupe du Monde de La Pâtisserie — evento de referência na arte da pâtisserie no mundo inteiro - será no dia 14 de outubro. O chef pâtissier Philippe Brye é o presidente da etapa brasileira da Coupe du Monde de la Pâtisserie e Flavia Quaresma é a presidente de honra. Os dois selecionaram os chefs finalistas.

Quatro candidatos — dois concorrendo na categoria açúcar e dois na categoria chocolate — terão seis horas para executar suas obras, através da criação de doces que exigem técnica e precisão. Para a categoria açúcar, serão duas tortas geladas de frutas, duas tortas de chocolate e uma peça artística em açúcar. Já os candidatos da categoria chocolate deverão preparar duas tortas geladas de frutas, oito sobremesas empratadas com chocolate e uma peça artística em chocolate.

Os candidatos escolhidos são Ataide de Sousa (RJ) e Marcone Santos (SP) na categoria açúcar; e Emanuel Pinheiro (RJ) e Abner Ivan (SP) na categoria chocolate.

O júri é composto por seis renomados chefs do mundo da confeitaria: Arnor Porto (Sweethings), Dominique Guérin (Boulangerie Guerin), Fabrice Lenud (Pâtisserie Douce France), Flavio Federico (consultor), Ramiro Bertassin (Hotel JW Marriott Rio de Janeiro) e Renata Arassiro (Chocolates Renata Arassiro).

A seleção nacional é a primeira etapa da final da Coupe du Monde de la Pâtisserie 2017, em Lyon. Antes, a equipe vencedora – formada por um chef pâtissier de cada categoria, açúcar e chocolate - deverá defender seu lugar na Copa Maya, seleção América Latina, no México, que acontecerá em 2016.

World Cuisine Summit Conference

O Sirha tem entre seus principais objetivos lançar e analisar tendências. Original e ambicioso, o World Cuisine Summit é um verdadeiro laboratório de investigação para as tendências de serviços de alimentação e gastronomia, lançado na edição de 2013 de Lyon.

Orquestrada por Frédéric Loeb — presidente do escritório de consultoria em tendências Loeb Innovation, membro do Comitê de Inovação do Institut Paul Bocuse, consultor de chefs renomados como Joël Robuchon, Pierre Hermé e Alain Ducasse —, a conferência busca decifrar e discutir o futuro do mercado de gastronomia no mundo e no Brasil. A apresentação será endossada por estudos que Loeb fez sobre tendências gastronômicas que deverão surgir até 2019. Depois de revelar seus estudos, ele debaterá com líderes de opinião e com público, sobre as implicações dessas tendências no nosso país.

Entre os nomes confirmados para a conferência estão Pedro De Lamare, presidente do SindRio; Andrea d’Egmont, jornalista e pesquisadora de gastronomia; Ricardo Castilho, sócio-proprietário da revista Prazeres da Mesa; Janyck Daudet, CEO do Club Med Brasil; e Fernando Sá, CFO do Grupo Troisgros Brasil.

Alguns dos temas que serão debatidos são a enorme transformação da indústria de alimentação em um mundo em plena mutação; como promover um crescimento responsável e permanente do setor, da produção à transformação, da distribuição à consumação; e como imaginar e promover soluções para um futuro melhor na indústria da alimentação.

Prazeres da Mesa traz seu consagrado Mesa Show

O maior evento de enogastronomia do país, O Mesa ao Vivo, criado há doze anos pela revista Prazeres da Mesa e estruturado como um “reality show editorial”, faz parte da programação do Sirha Rio.

O público — constituído de estudantes de gastronomia, chefs de cozinha, sommeliers, micros, pequenos e grandes empresários de produtos gastronômicos e donos de bares e restaurantes — vai atuar na confecção de um número da revista Prazeres da Mesa, participando de aulas e degustações que serão os temas da edição.

Os participantes assistirão produtoras, repórteres e fotógrafos da equipe da revista em ação, trabalhando a partir de uma redação montada no local. Os expositores, pequenos produtores e apoiadores terão seu trabalho e produtos retratados na revista.

A programação do Mesa Show inclui cinco aulas no dia 14 de outubro com Chefs consagrados locais e de outras partes do Brasil; degustação de vinhos e jantar magno assinado pelos Chefs convidados em um restaurante da cidade.

Área De Produtos Locais Brasileiros

O Sebrae, patrocinador do máster do Sirha, criou uma área especial para destacar a riqueza dos pequenos produtores brasileiros. Uma oportunidade única para descobrir produtos raros e exclusivos de diferentes regiões do país. O Sebrae selecionou 19 expositores e busca aumentar a conscientização da importância dos alimentos orgânicos e sustentáveis, tema em alta no mundo inteiro.

Os produtos serão apresentados por regiões, como segue:

- Acre
Castanha do Brasil, Polpa de Frutas (Açaí e Cupuaçu)
Farinha de Mandioca (normal e em coco)
Feijões crioulos do Vale do Juruá

- Bahia
Cacau
Cachaça
Café

- Goiás
Queijo
Açafrão

- Mato Grosso
Jacaré
Pintado

- Minas Gerais
Queijo Canastra
Café

- Pará
Mandioca e seus produtos típicos

- Paraná 
Cachaça
Embutidos
Café Norte Pioneiro do Paraná

- Piauí 
Cajuína

- Rio de Janeiro 
Vieiras da Ilha Grande
Cafés Especiais
Cachaças do Rio
Queijos Especiais

- Rio Grande do Norte
Flor de Sal

- Rondônia
Pirarucu
Tambaqui
Castanha

- Santa Catarina
Linguiça de Blumenau
Ostras e Mexilhões Defumados

- São Paulo
Cogumelos Shitake Ogânicos

Conferências Sebrae e SindRio

Cada um dos patrocinadores será responsável por conferências que trarão inovações e soluções de negócios para os profissionais dos setores de alimentação: restaurantes, bares, cafés.

Expositores

O evento contará com cerca de cem expositores e marcas nacionais e internacionais, incluindo produtos aos quais os visitantes terão seu primeiro contato: empresas estrangeiras recém-chegadas ao Brasil e produtores de áreas remotas do país.

· Ajinomoto
· Arcofoods
· Borner - Germany
· Cave Du Fromage
· Chef Estrela
· Cusine Pro
· Delfina Food Truck
· Fagga Eventos
· Franke Coffee Systems
· Hotel Plus Restaurant
· Ita Food
· Natural Wonder
· O Rei Da Cutelaria
· Origin
· Qualifest
· Qualis - Brasil
· Saint James Industrial
· Solarius
· Sorvemaq
· Victorinox
· Vista Alegre
· Zamboni
· Zwilling

Sobre o Sirha:

O Sirha reúne a cada dois anos cerca de 189 mil profissionais do setor e 3045 expositores e marcas internacionais na cidade francesa de Lyon, onde começou. Desde 1983, ano de sua criação, o Sirha é dedicado a levar soluções e inspiração, e apresentar e discutir tendências com profissionais de mercado que estão concebendo o futuro dos serviços de alimentação. A primeira edição da América do Sul, no Rio de Janeiro, tem expectativa de cem expositores e marcas brasileiras e internacionais e mais de dez mil visitantes. Em sua última edição em Lyon, em janeiro de 2015, o Sirha teve a presença de mais de 19 mil chefs, em 130 mil m² de pavilhão, com 3.045 expositores e marcas e mais de 189 mil visitantes profissionais vindos do mundo inteiro.

A companhia francesa GL events, líder mundial no setor de eventos, é a responsável por trazer o Sirha ao Brasil e também pela realização das demais edições internacionais. O Grupo iniciou operações no Brasil em 2006, quando assumiu a gestão do Riocentro. Desde então, o grupo cresceu e atualmente administra um portfólio de 12 empresas que inclui ainda a HSBC Arena, no Rio de Janeiro, único espaço no país que obedece aos mais rígidos padrões internacionais, e o São Paulo Expo, centro de exposições que passa por uma ampla reforma.

O Sirha no Rio trará uma oferta completa e inovadora para seduzir os dez mil visitantes profissionais que são esperados: cem expositores e marcas de produtos e serviços, fornecedores de hotelaria e alimentação, desde produtos alimentícios e bebidas, equipamentos de cozinha, artes da mesa, decoração, produtos regionais brasileiros, e empresas estrangeiras presentes no Brasil pela primeira vez.

Patrocinadores
O Sirha é patrocinado pelo Sebrae, SindRio e a Arcofoods é a distribuidora oficial. Entram com apoio institucional a Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), o Sindicato de Hotéis, Bares e Restaurantes (SindRio), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), o Consulado Geral da França no Rio de Janeiro e o Guia do Profissional de Hotelaria e Restaurantes (GPHR). Como apoio de mídia, o evento conta a Revista Prazeres da Mesa, o Embarque na Viagem, a Foodservice Consultants Society International (FCSI), a Hotel Management, a Les Toques Blanches du Monde. Os hotéis da rede Othon são os hotéis oficiais do Sirha, e o IBMR o centro universitário oficial. 

Para o Bocuse d’Or, marcas como CEG e Intellikit (Master), Pommery, Staub (Gold), Nestlé Pro San Lourenço, Chef Estrela (bronze) já confirmaram o patrocínio do concurso. Vista Alegre e Saint James fornecerão a arte da mesa.

Para a Coupe du Monde de la Pâtisserie, CEG e Cacau Show (Master) confirmaram o patrocínio máster.

Serviço:

Sirha Rio
§ Somente para profissionais e estudantes dos setores de gastronomia e hotelaria;
§ Entrada gratuita (credenciamento no http://sirha-rio.com/);
§ Entrada gratuita para imprensa com convite ou cartão de imprensa (credenciamento no http://sirha-rio.com/);
§ Centro de Convenções SulAmérica;
§ De 14 a 16 de outubro de 2015, das 10h às 19h

Acesse:
#SirhaRio

Mais informações:
Documennta Comunicação


Mulher planeja lançar geleia feita de cerveja

Mulher planeja lançar a primeira geleia do mundo feita só de cerveja


Uma empresária americana pretende lançar, no Reino Unido, uma linha de geleias feitas exclusivamente de cerveja, já no início de 2016. Nancy Warner, a responsável pelo novo produto, já produz as geleias há algum tempo. Feita apenas de cerveja, açúcar e pectina, extrato de frutas cítricas utilizado como agente gelificante, a geleia tem oito sabores diferentes, que incluem cervejas claras até as escuras como do tipo stout.

A invenção é para quem gosta mesmo de cerveja, pois em um pote de 450 ml, 225 ml são puramente da bebida. Mas calma, não ache que ao consumir essa geleia no café da manhã já terá que ir a pé, ou de táxi, para o trabalho para não cair em qualquer blitz por aí. O produto não contém álcool, pois todo o teor alcoólico da cerveja utilizada some durante o processo de produção das geleias.

Nancy conta que desenvolveu o produto após criar um blog sobre comidas para se ocupar após não conseguir emprego em sua área de atuação – Nancy é arquiteta e trabalhou por mais de 10 anos com arqueologia nos EUA. “O blog tomou rumo para abordar o meu 'vício em conservas' e a partir daí, o 'vício' em conservas se tornou um pequeno negócio”, contou.


Fonte: Meio Norte

Cerveja artesanal de maçã será lançada durante evento em São José


Entre os mais de 30 rótulos de cerveja disponíveis na Beer Week, que rola no Centro Multiuso de São José entre 3 e 6 de setembro, o bar Cozalinda, de Floripa, e o The Liffey Brew Pub, de Palhoça, prepararam uma novidade: a cerveja de maçã. Inspirada na receita de cider irlandesa, a bebida leva a fruta produzida em São Joaquim.

Fonte: What's Up

Cerveja Cafuza muda visual

Cerveja Cafuza muda visual
A Cafuza mescla características de uma Imperial India Pale Ale com uma Stout (Foto: Divulgação)

Design muda sob a marca Dogma, com a fusão das criadoras da Imperial India Black Ale


Celebrada desde a época em que era cerveja caseira, a Cafuza ganha novo design de rótulo. O redesenho segue a identidade visual da cervejaria Dogma, resultado da fusão de suas criadoras, a Prima Satt e a Serra de Três Pontas, com a Noturna.

Conforme seu texto de apresentação, "a Cafuza Imperial India Black Ale reflete a miscigenação brasileira com sua receita. Assim como os Cafuzos resultaram da mistura entre índios e negros, a Cafuza nasce da mistura entre uma Imperial India Pale Ale com os maltes escuros de uma Stout, resultando em uma mistura de aromas e sabores que apresentam café, chocolate, caramelo e aromas cítricos".

A Dogma é resultado da união de três cervejarias ciganas de São Paulo. Bruno Moreno (Serra de Três Pontas), Luciano Silva (Noturna) e Leonardo Satt (Prima Satt) se conheceram nas produções caseiras e se tornaram amigos. Criaram juntos um grupo unindo as três cervejarias para facilitar a distribuição de suas cervejas. Em junho de 2015 criar uma nova marca, única. Com ela, já lançaram a Orfeu Negro, uma Russian Imperial Stout, e a The Wallace, uma Wee Heavy.

Cerveja Cafuza muda visual
Clique aqui para conferir a ficha da cerveja (Foto: Divulgação)

Fonte: Revista Beer Art

Flash de smartphone revela anúncio de cerveja

"Benditos aqueles que podem discernir entre a luz e a escuridão", é o que diz o anúncio da cerveja peruana Abraxas.

Mas quem abriu a revista Lima, viu incialmente apenas uma curiosa página completamente preta, apenas com o logo da marca e um aviso do tipo "beba com moderação".

Para literalmente descobrir a peça, não era necessário nenhum aplicativo específico ou QR code, apenas a curiosidade e um celular em mãos. Ao iluminar a página com o flash do aparelho, surgia a imagem da campanha.

Com assinatura da Wunderman Phantasia, a campanha marca o lançamento da cerveja premium.


Fonte: Revista Exame

Mestre-cervejeiro abre primeira loja no Rio

Mestre-cervejeiro abre primeira loja no Rio
Rede de franquias tem a meta de chegar ao fim de 2015 com 40 unidades pelo país

Dentro do plano de chegar ao fim de 2015 com 40 unidades, a rede de franquias de cerveja artesanal Mestre-Cervejeiro.com abrirá sua primeira unidade no Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca. A inauguração será na quinta-feira, 27.

"Temos um ótimo potencial no Rio de Janeiro e pretendemos expandir ainda mais este ano. A cidade é aberta ao universo cervejeiro além de ter boa movimentação turística", afirma o fundador e diretor da rede, Daniel Wolff.

Localizada no Shopping Barra Top, a loja de 27 metros quadrados conta com 140 rótulos de cervejas especiais - com destaques para Mestre-Cervejeiro.com 10 anos por DUM (Curitiba, PR), 2Cabeças (Rio de Janeiro, RJ), Dieu du Ciel! (Canadá) -, além de um mix de produtos, como camisetas da marca, kits cervejeiros, taças, copos, e petiscos gourmet.

Luiz Guilherme Cerqueira Pereira e Hudson Dias Braga são os franqueados. "Resolvi juntar duas coisas que tenho como objetivo profissional, ter meu próprio negócio e trabalhar com algo que me satisfaça e me motive a querer sempre mais", explica Luiz Guilherme. "Por não ter muita experiência decidi ter uma franquia, pois me daria suporte, então, encontrei a Mestre-Cervejeiro.com. Além de ser uma rede que possui lojas com ambientes acolhedores, bonitos e diferenciados, permite que os franqueados cresçam também. Eu e meu sócio temos grande expectativa, estamos determinados a fazer essa loja dar certo e consolidar a marca Mestre-cervejeiro.com no mercado carioca."

Serviço
O que: loja do Mestre-Cervejeiro.com
Onde: Shopping Barra Top (Av. Olegário Maciel 451, loja F - Barra da Tijuca - Rio de Janeiro-RJ), fone (21) 3177-1452

Fonte: Revista Beer Art

terça-feira, 25 de agosto de 2015

Triatleta faz cursos e aprende como fazer cerveja artesanal



Muniz Falcão comenta que, em 2011, passou seis meses em São Paulo fazendo cursos


Segundo o cervejeiro, quando ele e Gabriela começaram o relacionamento, viajaram muito: “E como eu já gostava dessa área de bebidas, ela me incentivou a fazer cursos de vinhos e sommelier de cerveja”, explica.

Muniz Falcão comenta que, em 2011, passou seis meses em São Paulo fazendo cursos nos finais de semana: ia e voltava, por conta de seu trabalho na Justiça. “Os cursos eram nos finais de semana; me formei em sommelier de cerveja e na época não existia cervejas especiais importadas aqui em Maceió, ninguém conhecia”, observa.

O cervejeiro destaca ainda que trouxe a cerveja especial importada para Alagoas e o chamaram de louco. “Diziam você é louco, ninguém vai pagar 15, 20 reais numa cerveja; eu trazia caixas de cerveja de lá e fazia degustação em casa; convidava os amigos e começava a ensinar a tomar a cerveja e o pessoal adorava”, pontua.

Ele explica que começou a levar consultoria para algumas empresas em Maceió, mas reclama que uma delas utilizou o seu projeto, sem consulta. “Não me deram resposta e pegaram um funcionário, mandaram para São Paulo, para os meus contatos e trouxeram a cerveja. Quando entrei nesse supermercado, Gabriela disse: ‘você não vai acreditar’; estavam lá todas as cervejas importadas; pegaram meu projeto e utilizaram”, comenta.

Sebastião Muniz conta ainda que por causa dessa e de outras questões se afastou um pouco; não conseguiu capital para viabilizar o projeto, mas agora voltou com toda força e diz que tem um público preparado para receber a cerveja.

“Hoje, Maceió tem cerveja importada especial, mas as pessoas ainda não sabem beber. As cervejas estão nas prateleiras; os supermercados colocam lá para vender, mas as pessoas não sabem o que é e nem como degustar”, pontua.

O cervejeiro avalia que hoje tem um público preparado para que ele monte a casa (restaurante) e fazer o trabalho da cerveja. “Este ano fui a São Paulo fazer um curso de como preparar a cerveja e aí comecei a preparar minha própria bebida: fiz a primeira receita, não ficou boa; ficou tomável; na segunda receita errei e tive que jogar toda a cerveja fora”, explica.

Cervejeiro também está se especializando em vinhos, queijos e presuntos

Depois que errou a segunda receita de cerveja artesanal, Muniz Falcão explica que fez outro curso e agora vai fazer a terceira receita. “Estamos nos especializando; fiz cursos de vinhos e estou estudando queijos, pimentas; pão; presuntos, crus; calabresas artesanais: são coisas que eu gosto e estou estudando para ver se trago alguma coisa nesse sentido. Ou aqui em Maceió ou voltar para São Paulo fazer alguma coisa lá”, destaca.

Por enquanto ele diz que não pode comercializar a bebida ainda. “Para comercializar precisa de autorização: para fabricar e vender. Por enquanto é um projeto caseiro, eu posso fabricar e vender para meus amigos, mas se eu me tornar um artesanal, eu tenho que ter um registro”, explica.

O cervejeiro mostra ainda todo o equipamento e fala das etapas para produzir a cerveja artesanal: cevada (para cada uma tem um tipo de cerveja); lúpulo, que dá o amargor da cerveja e o que fermenta para fazer o álcool; levedura.

“Para dar início a uma receita, eu escolho que tipo de cerveja vou querer. As cervejas se caracterizam por suas famílias e estilos. A cerveja do tipo Pilsen faz parte da família Lager; as cervejas de trigo (Weizenbier e Witbier) fazem parte da família Ale”, ensina.

As da família Langer são as de baixa fermentação. “Na sua grande maioria são estilos de cervejas mais leves e claras, mas também temos dentro dessa família uma grande variedade de cores, aromas, potência de corpo e complexidade”, explica.

Alguns exemplos de estilos da família Lager: Pilsen: estilo de cervejas douradas, brilhantes, quem apresentam leve amargor. Estilo original da cidade de Pilsen na República Tcheca. Exemplo: Wäls Bohemian Pils (Belo Horizonte, MG).

Schwarzbier: estilo de cervejas escuras feitas a partir de maltes torrados. Possui aromas estonteantes de torrefação, que lembram chocolate, café e cacau. Apresenta baixo para médio corpo e de paladar seco ao final. Exemplo: Eisenbahn Dunkel (Blumenau, SC).

Bock: estilo de cervejas em sua maioria avermelhadas, mas há as versões claras (Heller Bock) e também escuras (Dunkler Bock). Apresentam aromas maltados, médio corpo e teor alcoólico superior a 6,3%. Exemplo: Bierbaum Bock (Treze Tílias, SC)

Família: Ale são as cervejas de alta fermentação. “Geralmente possuem maior corpo e de paladar frutado. Mas os seus gostos e aromas são os mais variados. Alguns exemplos de estilos da família Ale: Weizenbier ou Weissbier: cervejas de trigo típicas Bavária, região mais ao sul da Alemanha”.

Segundo Muniz Falcão, na sua grande maioria são não filtradas, mas também existem as versões filtradas e também a bock (Weizenbock) desse estilo. Exemplo: Colorado Appia (Ribeirão Preto, SP).

Stout: estilo de cerveja típico do Reino Unido e Irlanda, a marca mais conhecido é a irlandesa Guinness. Apresenta aromas e sabores de torrefação, e dependendo da variante do estilo (Dry Stout, Foreign Extra Stout, Oatmeal Stout, American Stout, Russian Imperial Stout) ela pode ter baixo ou alto corpo. Exemplo: Bierland Imperial Stout (Blumenau, SC).

Dubbel: estilo típico belga, de coloração marrom, desperta aromas frutados, médio e corpo e equilibrado sabor. Exemplo: Wäls Dubbel (Belo Horizonte, MG).

Muniz explica que a cerveja que vai produzir é mais tipo Gourmet, não é para a pessoa se embriagar, porque tem um teor alcoólico maior. Segundo ele, as cervejas mais fortes são as belgas. 

Para cada tipo de receita aumenta-se ou diminui a quantidade de água

Muniz tem em seu apartamento uma coleção de copos para cada bebida e garrafas de cervejas vazias que já degustou e diz que utilizará sua coleção para decorar seu negócio. “Se eu quiser extrair 20 litros de cerveja, eu vou colocar um volume maior de água, que vai ter uma fervura, evaporação e vou perder água nesse processo. Para essa receita, são necessários cinco quilos de cevada; onze gramas de levedura; e 30 a 40 gramas de lúpulo”, explica.

Segundo ele, vai usar uns 32 litros de água para a obtenção final dos 20 litros de cerveja. A receita começa na panela maior, onde é colocada água para ferver; coloca-se os ingredientes nessa água, em temperatura X para se evitar que depois vá para outra temperatura.

“Faço o caldo quente da cerveja (mosto); depois faz uma filtragem dela, tira todo o malte e passa para o balde fermentador, coloca o fermento e ele vai passar seis dias fermentando; extraindo o álcool. O mosto é fervido, normalmente de uma a duas horas”.

Durante a fervura, o lúpulo é adicionado em momentos variados, “com a finalidade de conferir amargor, paladar e aroma que o cervejeiro deseja. No final da fervura, o mosto é separado do lúpulo e resfriado, sendo preparado para a fermentação”, destaca.

No final da fermentação, a cerveja é engarrafada, é colocada de quinze a vinte dias para maturar, numa temperatura de quaro a cinco graus abaixo de zero. Depois de 20 dias ela está pronta para o consumo.

Muniz explica que é um erro achar que a cerveja chamada mofada é a ideal para se tomar. “À baixa temperatura, a papila degustativa congela e não consegue sentir o sabor. A cerveja deve ser consumida em três a quatro graus, para tomar uma cerveja dessa que a gente toma”. Ele explica que a temperatura ideal também depende da cerveja que se toma. “É uma arte”.

Fonte: Tribuna Hoje

Câmara vota hoje projeto que prevê a venda cerveja nos estádios do Paraná

O “jogo” será no plenário. Pier Petruziello (destaque) propôs a lei.

A liberação da venda e do consumo de bebida alcoólica nos estádios de futebol de Curitiba pode ser definida hoje, em votação que acontece na Câmara Municipal de Curitiba. A proposta de lei é encabeçada pelo vereador Pier Petruzziello (PTB) e ele acredita que a votação deverá ser bastante acirrada. Mesmo assim, Petruzziello confia na aprovação da maioria dos vereadores para que o torcedor da capital do Estado possa finalmente voltar a beber cerveja durante os jogos do Trio de Ferro da capital.

“Eu acho que passa. Claro que tudo pode acontecer e temos que aguardar. Estou bastante esperançoso de que essa proposta seja aprovada, mas claro, se tratando de parlamento, tudo pode acontecer. Cada um vai conversando com o companheiro que vai votar e ainda está indeciso, pode ajudar. A tendência é que passe. Vamos torcer”, afirmou Petruzziello.

Duelo

A bancada evangélica da Câmara Municipal de Curitiba, que conta atualmente com onze vereadores, pode pesar na votação. Mesmo assim, Petruzziello descarta um embate religioso durante a votação. “Não vejo um embate religioso nessa votação. A gente sabe da posição ideológica deles e respeitamos. Será uma disputa acirrada nessa votação e devemos ter dois ou três votos de diferença a favor ou contra”, acrescentou.

Desde que o proposta andou, a mobilização nos estádios de Curitiba e nas redes sociais para a liberação do consumo da cerveja durante os jogos na cidade foi muito grande. Na Arena da Baixada, no Couto Pereira e na Vila Capanema, torcedores dos três principais times da capital do Estado estenderam faixas contendo a frase: “Libera a cerveja”. Além disso, uma página no Facebook foi criada para engrossar o movimento e conta com mais de seis mil seguidores.

Para Petruzziello, esse apelo popular pode fazer a diferença no momento dos votos de vereadores que ainda estão indecisos. “Eu acho que essa pressão popular ajuda. Sempre funcionou. Tem alguns que ainda estão em dúvida e não me surpreenderia se tivermos de três a quatro abstenções, até porque é um tema delicado e tem pessoas que não queiram se manifestar”, detalhou. “Espero que os vereadores estudem a matéria. É uma questão muito ideológica, tanto que não haverá orientação de bancada e cada um votará do seu jeito”, concluiu o parlamentar.
Moreira: “é um mal para a cidade”

No seu segundo mandato como vereador de Curitiba, Dirceu Moreira (PSL) é, na Câmara Municipal de Curitiba (CMC), um dos maiores críticos da liberação da comercialização e consumo de cerveja nos estádios de futebol. O parlamentar também prevê uma votação acirrada e afirmou que, durante a sessão, vai apresentar dados e comprovar os males que a bebida alcoólica causa na sociedade como um todo, não apenas nas praças esportivas.

“Será uma discussão interessante e uma votação acirrada. Esperamos que não seja aprovada a liberação da cerveja, pois será um mal que estará se fazendo à cidade. É um projeto que nem deveria ir para a pauta. Vamos estar apresentando os males que a bebida causa para aqueles que usufruem dela, apresentando também dados com relação a esse assunto”, disse Moreira.

Para o vereador, a bebida alcoólica e as drogas são responsáveis pela maioria dos fatos negativos que ocorrem na sociedade hoje em dia. “São muitas razões para sermos contra a essa proposta. A bebida traz diversos males à sociedade e, hoje, tudo que acontece de ruim está relacionado ao uso de drogas e também do consumo de álcool, seja no trânsito e até dentro de casa. Vamos provar isso na sessão e na votação de amanhã (hoje)”, concluiu o parlamentar.

Mudanças

Se a proposta de lei que libera a comercialização e o consumo de bebidas alcóolicas nos estádios de futebol de Curitiba for aprovada, o torcedor em geral terá que se moldar para algumas mudanças vão acontecer com relação ao modo da venda que era feita antigamente. A proposta permite a comercialização apenas em bares e lanchonetes e somente antes de começar os jogos, no intervalo e após o término das partidas.

Nem tudo

Além disso, os locais que vão comercializar as bebidas alcóolicas não poderão vender produtos com teor alcóolico superior a 14% e a venda para menores de idade será proibida. O descumprimento de qualquer medida da nova proposta pode gerar multa ao estabelecimento, além da suspensão da comercialização no local de 30 a 350 dias, podendo chegar até a cassação do alvará de funcionamento do local. Se for aprovada hoje, a proposta de lei será votada novamente amanhã em segundo turno para depois ser sancionada pelo prefeito Gustavo Fruet.

Fechada

A votação da liberação do consumo de cerveja nos estádios de futebol de Curitiba não será aberta ao público, principalmente por causa da discussão em torno dos salários dos vereadores de Curitiba.

Fonte: Paraná Online

Avaliações da Copa Cervezas de América são online

Avaliações da Copa Cervezas de América são online
O julgamento das amostras é registrado em tempo real na plataforma desenvolvida pela Copa (Foto: Sarah Buogo/Beer Art)

Cerca de 10 estilos foram julgados no primeiro dia da competição

Por Sarah Buogo

Começaram no domingo, 23 de agosto, as avaliações da Copa Cervezas de América, realizada na Universidade das Américas, em Santiago do Chile. Cerca de 10 estilos passaram pelo crivo dos 24 juízes selecionados para o concurso. Em 2015, a competição propõe um sistema de avaliação diferente das edições anteriores. A ficha em papel - onde as notas e os feedbacks são registrados - foi substituída por uma plataforma online que recebe as informações em tempo real.

O sistema foi desenvolvido especificamente para a competição e toma por base as indicações de estilos definidas pelo BJCP. A necessidade de entregar um feedback claro e ágil motivou o desenvolvimento da plataforma que levou cerca de 4 meses para ser concluída. O desafio era proporcionar a mesma experiência de avaliação do papel em um ambiente digital.

"Essa não era uma dificuldade só nossa, muitos outros concursos enfrentam isso. Após as avaliações, algumas fichas ficavam ilegíveis o que atrasava a contagem dos pontos e principalmente a entrega dos feedbacks. Com isso, vamos conseguir enviar todas as informações para as cervejarias participantes uma semana após o fim da competição", destaca o presidente da Copa, Daniel Trivelli.

Antes os juízes degustavam a cerveja com uma mão e escreviam seu parecer com a outra. Com essa nova proposta, mudou também o procedimento de julgamento e isso acarretou um pouco de atraso no período da manhã, até os avaliadores estarem familiarizados com o sistema. O tempo foi recuperado na parte da tarde e a expectativa é de que nos próximos dois dias as avaliações sejam ainda mais ágeis.

A competição segue na segunda (24) e na terça-feira (25) e os premiados serão conhecidos na noite de quarta (26). O Brasil é o país com maior número de rótulos inscritos, 236, superando inclusive o anfitrião Chile. Ao total competem 646 rótulos de países da América do Sul, Panamá, Costa Rica, México, Estados Unidos, Espanha e Bélgica.

Fonte: Revista Beer Art

Votação do Supersimples ocorre hoje, dia 25/08

Votação do Supersimples ocorre hoje, dia 25/08

Após ter sido aprovado por uma comissão especial, projeto que altera e lei geral do Simples vai a plenário na Câmara hoje, dia 25 de agosto. 


O Simples, ou Supersimples, é um sistema que reúne impostos federais, estaduais, municipais, trabalhistas e previdenciários em uma só alíquota, simplificada, para empresas que faturam até R$3,6 milhões por ano. Até agora, microprodutores de vinhos, cervejas e licores não são contemplados — fato que vem sendo debatido há anos e que pode ser definido amanhã com a aprovação do projeto que altera a lei geral do Simples.

Caso seja aprovado esse projeto, uma das mudanças é referente ao limite de faturamento anual para que a empresa opte pelo Simples. Segundo explica Alberto Nascimento, da Cervejaria Goyaz e associado da Abracerva (Associação Brasileira de Cerveja Artesanal), o teto de uma cervejaria passaria para R$7,2 milhões por ano; passado os R$3,6 milhões, ela pagaria o ICMS separadamente — enquanto PIS, COFINS, IPI, IR e Contribuição Social seriam reunidos em uma única alíquota. Já se for uma empresa exportadora, esse limite passaria para R$14,4 milhões.

Cerveja Artesanal é Simples

“São vários os benefícios dessa nova lei que incentivam a empresa a crescer. Hoje, quando o empresário começa a se aproximar do limite imposto, que vai fazer com que ele saia do Simples, ele começa a segurar o crescimento da empresa, porque não vale a pena”, afirma Nascimento. Daí a campanha, comandada pelo ministro Guilherme Afif Domingos, intitulada Crescer sem Medo, que trata da revisão das tabelas e do teto do Simples. “O mercado de cervejas artesanais emprega quase 15 vezes mais por litro produzido que as grandes empresas. É um mercado que precisa de socorro em função dessa carga tributária esmagadora que hoje passa dos 60% para a maioria das empresas.”, complementa. Com a inclusão no Simples, esse percentual passaria para 30%, viabilizando economicamente o setor.

Cerveja Artesanal é Simples

A campanha promovida pela Abracerva em prol da inclusão das microcervejarias no Simples ganhou força — blogueiros, cervejeiros, consumidores, donos de bares e lojas especializadas têm usado as redes sociais para pedir apoio à causa. Muitos deles, pedindo que as pessoas enviem e-mails aos deputados, solicitando a aprovação das mudanças no sistema.

Pensando na dificuldade que enfrentariam as pessoas para enviar e-mails a tantos contatos, os sócios Wagner Falci e Victor Amaral, da Hophunters — clube de assinaturas focado em cervejas artesanais brasileiras — teve a ideia de criar uma ferramenta que enviasse, automaticamente, um texto padrão aos deputados. Assim, em cerca de 12 horas, eles desenvolveram o site Cerveja Artesanal é Simples, cujo sistema consiste em um banco de dados com todos os contatos. Quando o usuário cadastra seu e-mail, o sistema dispara automaticamente uma mensagem padrão para dois deputados.

“Limitamos o envio para dois deputados por dois motivos: evitar o antispam da Câmara Federal; e pela capacidade de envio do nosso servidor — de até 500 e-mails por hora”, explica Falci. Até agora, já foram realizados mais de 1,2 mil cadastros, significa que 2,4 mil e-mails foram enviados. Uma média aproximada de quatro por deputado”, diz.

Confira, abaixo, o texto elaborado por Falci:

“Prezado Deputado,

Nas próximas semanas ocorrerá a votação do SIMPLES NACIONAL. Venho até V.Exa. apresentar minha manifestação em favor das MICROCERVEJARIAS para que elas sejam incluídas no SIMPLES. Em tempos de crise e desemprego, vale citar que uma MICROCERVEJARIA gera 1 emprego para cada 50.000 L produzidos por ano, enquanto uma cervejaria de grande porte gera 1 emprego para cada 1.000.000 L, ou seja, as MICROCERVEJARIAS empregam 20 vezes mais do que as de grande porte. Peço seu apoio na votação na certeza de que podemos tomar novos rumos para nosso país.

Cordialmente,”

Este deverá ser o primeiro item da pauta de votação na Câmara dos Deputados amanhã, dia 25 de agosto. Contate os parlamentares ou faça um cadastro aqui, para solicitar a aprovação imediata do projeto. #CervejaArtesanalÉSimples!

Fonte: Revista da Cerveja