Ninkasi, a Deusa da Cerveja

Ninkasi é a antiga deusa sumeriana da cerveja, que transformou uma mistura de água e cevada em um líquido dourado, conhecido hoje como cerveja.

Era uma deusa muito popular que fornecia cerveja aos deuses. Ela era considerada a própria personificação da cerveja.

Receba as postagens do Ninkasi Beer Club no seu e-mail!

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Mastodon: a nova caneca de cerveja em edição limitada da banda


A arte "Sad Demon Oath", de Aj Fosik, que agraciou o álbum do MASTODON, "The Hunter", de 2011, tem agora um novo propósito, dando vida à nova caneca de cerveja em edição limitada da banda. Se você quiser sua cerveja em estilo, o produto está disponível ao endereçoabaixo:

http://shop.mastodonrocks.com/collections/accessories/products/the-hunter-german-beer-stein

Fonte: Whiplash

Festival de Verão da Bodebrown neste sábado



Shows, gastronomia, ferromodelismo (miniaturas de transportes ferroviários) e lançamentos aguardam os convidados da festa promovida pela cervejaria paranaense.


A estação mais quente do ano será celebrada no próximo sábado pela Bodebrown. A cervejaria e escola de Curitiba vai promover seu primeiro Festival de Verão, um dia que promete muita música, gastronomia e boas cervejas. O palco do encontro será a fábrica e a rua em frente, com atrações para todas as idades. O evento tem entrada franca e ocorre das 9h às 17h.

A ideia surgiu com o Festival de Inverno, realizado em 2015, que reuniu mais de oito mil pessoas. “Nosso objetivo é celebrar as estações do ano, que regem as plantações de trigo, cevada e centeio”, conta Samuel Cavalcanti, fundador da Bodebrown. “O projeto dos grandes festivais sazonais começou com os Growler Days, eventos em que uma bebida selecionada é vendida por litro, nos growlers, garrafas reutilizáveis de armazenamento de cerveja. O clima de festa que estes encontros apresentam ganhou então esta nova forma de desdobramento”.

Cervejas e gastronomia

Ao todo, mais de 30 rótulos devem saciar a sede dos apreciadores. Entre as marcas, estão as gaúchas Coruja, Seasons e Tupiniquim, a paulista Bamberg e a belga Kasteel, além de clássicos e lançamentos da Bodebrown, como a “Abadia 8%” e “Vic Secrets”. A gastronomia também faz seu show à parte: ao todo, 20 opções aguardam o público, entre food trucks e barraquinhas, com delícias que vão de sanduíches até massas e gastronomia oriental, incluindo sobremesas como bolos e sorvetes.

Atrações musicais

A música começa cedo, com a abertura do grupo de jazz Vizetti Trio, às 9h30. Quem dá sequência são os Gaiteiros de Lume, às 11h30, com música celta, permeando as culturas irlandesa, escocesa e inglesa. Já às 15h, quem sobe ao palco do Festival é a dupla folk The Folking Deads. Além das bandas, nesta edição ocorre ainda o palco livre Bodebrown — espaço dedicado a quem quiser mostrar seu talento.

Ferromodelismo, carros e falcões

E tem atrações para todos os gostos. Além da música, três exposições ganham espaço no evento: uma com maquetes da Associação Paranaense de Ferromodelismo e Memória Ferroviária (APFMF), outra com carros do Kombi Club Curitiba e, para surpreender os convidados, uma mostra de falcões adestrados da RAPIPAR, grupo de criadores de Rapinantes do Paraná, com supervisão de adestradores e médicos veterinários. Para completar, haverá uma demonstração de arco e flecha com o instrutor e atleta Helder Chin, duas vezes vice-campeão mundial da modalidade.

O Festival de Verão Bodebrown ocorre no próximo sábado, dia 30, das 9h às 17h, na Rua Carlos de Laet, 1015 – Hauer, Curitiba/PR. O evento tem entrada franca.

Fonte: Revista da Cerveja

Festival de Verão em Friburgo, RJ, receberá trucks e bikes de culinária

Food Trucks prometem atrair turistas e moradores para o evento (Foto: Divulgação)

O Festival de Verão de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, começa nesta sexta-feira (29) e além de reunir muita música e atividades gratuitas, contará com o "Food Truck Rio +3". Trucks e bikes de culinária ficarão estacionados no Country Clube durante o evento, das 12h as 22h, até o domingo (31).

Serão cerca de 15 opções de pratos que vão da comida mineira até um pub móvel. O evento faz parte do programa Rio+3, da Secretaria de Turismo do Rio, para promover as cidades que ficam distantes em até três horas da capital.

O secretário de Turismo do Rio, Nilo Sérgio Félix, destacou a importância de eventos como este, que promovem o interior do estado, principalmente durante o ano das Olimpíadas.

"Estamos muito animados com o evento em Nova Friburgo, uma cidade expoente na Região Serrana e com o turismo local consolidado. Queremos fortalecer ainda mais a área e seus atrativos culturais e naturais. Por isso, durante este ano, visando os Jogos Olímpicos, teremos a grande oportunidade de destacar o nosso Estado nos cenários turísticos interno e internacional". 

Os últimos dois eventos, em Petrópolis e Araruama, reuniram cerca de 20 mil pessoas, que aproveitaram opções de comida mineira, americana, alemã, paletas mexicanas, churros, entre outras opções.

Veja a programação completa (sujeita à alteração)

29 de janeiro - sexta-feira
13h – abertura
13h às 17h – pula-pula
14h - Aula de Zumba, com Sanlee
15h - Punk Rock Circus (Banda de Clown metal)
16h30 – Baile da Terceira Idade
18h30 - Expresso Santiago
20h - Big Black Band (Black Music e Soul)
21h30 - Denise Pinaud e banda

30 de janeiro - sábado
9h – abertura
9h às 17h – pula-pula
9h - Alongamento com a professora Ana Paula
9h30 - Aula de Ginástica com o professor André
10h - Circuito de Caminhada no Nova Friburgo Country Clube
10h30 às 12h30 - Torneio de Basquete de Rua
9h às 12h30 - Teste de Glicemia, aferição de pressão e cálculo de Índice de Massa Corporal (IMC)
13h30 - Bloco Boi Dormir
14h às 16h - Torneio de Basquete de Rua
15h - Banda de Tambores Nova Friburgo
15h30 - Meu Chapéu Virou Pandeiro (Regional de Samba e Choro)
16h30 – Apresentação de Jongo, Ponto de Cultura do Bairro Olaria
17h- Stockhouse (Rock, Pop Rock)
18h – Navitrola (Pop Rock)
19h30 – Braza Beat (Samba, Drum’n Bass e Speed Bossa)
20h30 – Quadrilha, com o grupo Anjos do Paraíso
21h – Taryn

31 de janeiro - domingo
9h – Abertura
9h às 17h – pula-pula
10h30 às 12h30 - *Torneio de Basquete de Rua
14h às 16h- Torneio de Basquete de Rua
14h - Belinha e sua Malinha
15h – Alabumticabum (Companhia Arteira)
16h30 - Tócaz e Mauro Martz (Jazz, Fusion)
17h30 - Trio Todo Som
18h30 - Manu Cordeiro
19h30 - Leo Gandelman
21h - Rock 80 com Sylvinho Blau Blau e Dr. Silvana & Cia

Fonte: G1

Explosão em fábrica de cerveja da Heineken deixa 2 mortos em Jacareí (SP)


Uma explosão na fábrica de cerveja da Heineken deixou duas pessoas mortas e três feridas na manhã desta quinta-feira (28), em Jacareí (84 km de São Paulo. O acidente teria acontecido em uma caldeira usada no processo de produção.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, as vítimas são de empresa terceirizada e trabalhavam próximo do local da explosão. Todas sofreram queimaduras.

Um dos feridos, em estado grave, foi socorrido por um helicóptero da Polícia Militar e levado para um hospital de São José dos Campos. A área foi isolada e pelo menos cinco viaturas e 15 homens trabalham na contenção do risco.

Após o acidente, a empresa dispensou os 400 funcionários. Sindicalistas do setor acompanham as medidas. Em nota, a Heineken lamentou o ocorrido e informou que está em contato com as empresas para auxiliar os envolvidos.

Fonte: UOL

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Cerveja Paulistânia promove festa em São Paulo

Cerveja Paulistânia promove festa em São Paulo

Batizado de Paulistânia Desvairada, evento ocorre na Sensorial Discos na próxima sexta-feira, dia 29.

A Cerveja Paulistânia escolheu o mês em que São Paulo completa 462 anos para brindar à cena musical da cidade. Com o lema “Um brinde a todas as cidades, da cidade de todos!​” , a festa contará com o pop rock dançante da Bell & The Boys, que apresenta seu novo álbum “As It Is”, e o rock n’ roll da Triskell, que volta de uma recente turnê pela terra da rainha com um repertório autoral.

O palco do evento será a Sensorial Discos, espaço que mescla loja de discos, cafeteria e casa de shows, onde o público pode assistir a apresentações enquanto aprecia cervejas especiais. A festa ocorre das 20h à ooh30, os ingressos custam R$12. A Sensorial Discos fica localizada na Rua Augusta, 2389 (Jardins – São Paulo /SP).

Produzida pela Bier & Wein Importadora na cervejaria Casa Di Conti (SP), a Paulistânia possui três versões — clara, escura e vermelha —, elaboradas com puro malte de cevada.

Fonte: Revista da Cerveja

PGR ajuíza ação contra a venda de cerveja nos estádios mineiros


O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ajuizou, nesta terça-feira, Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF) para contestar a lei mineira que autorizou a venda e o consumo de bebidas alcoólicas em estádios de futebol do Estado.

A representação tinha sido encaminhada ao procurador-geral no ano passado pelo promotor de Justiça Fernando Abreu e pelo procurador de Justiça José Antônio Baeta, membros do Ministério Público de Minas Gerais.

De autoria do deputado Alencar da Silveira Júnior, a lei que libera a venda de bebidas nos estádios em Minas foi sancionada pelo governador Fernando Pimentel em agosto de 2015. A nova legislação permite o consumo desde a abertura dos portões até o fim do intervalo.

Com a autorização legal, Mineirão e Independência voltaram a vender cerveja. No Horto, porém, a administração preferiu cortar a venda por causa de incidentes em jogos do Atlético, que poderiam fazer com que o clube perdesse mandos de campo.

A venda de bebidas estava proibida em todo o país desde 2010, quando foi editada a Lei 12.299, que corroborou com a lei federal 10.671/2003, conhecida como o Estatuto do Torcedor, que já dispunha de normas de proteção e defesa do consumidor/torcedor nos eventos esportivos.

Na ação, os autores defendem que uma lei estadual não pode se sobrepor a uma lei federal.

"Há, portanto, invasão, pelo Estado de Minas Gerais, do campo legislativo reservado à União concernente à edição de normas gerais sobre consumo e desporto”, afirmou o procurador ao pedir a concessão de medida liminar.

Não há uma previsão para a ação ser julgada. "Mas existe uma ação idêntica do Estado da Bahia, que está próxima de ser julgada. O que for decida para ela, vale para Minas", explicou o promotor José Antônio Baeta ao site O TEMPO.

Fonte: O Tempo

Vila St. Gallen: centro de experiência da cerveja Therezópolis



Templo da cultura cervejeira em Teresópolis reúne pratos harmonizados, chopes artesanais, música e eventos especiais


Para quem procura boa gastronomia, cultura e música na região serrana do Rio de Janeiro, a Vila St. Gallen, em Teresópolis, é um destino imperdível. Réplica de uma pequena cidade homônima localizada na Suíça alemã, o espaço é composto por uma vila com capelinha, rua de comércio, agradáveis restaurantes, e por uma bela cervejaria - coração desta vila germânica - a Cervejaria Sankt Gallen. O centro de experiência da cerveja Therezópolis, inspirado nas tradições europeias, recebe mais de cinco mil visitantes por mês.

A Vila St. Gallen é o templo da cultura cervejeira de Teresópolis. No local, são produzidos chopes artesanais e exclusivos, criados pelo cervejeiro Gabriel Di Martino, com edições sazonais e limitadas. Ao todo, são consumidos cerca de dois mil litros de chope a cada estação. Cervejas especiais de excelente paladar e aroma, além da tradicional linha Therezópolis, também fazem parte da experiência de múltiplos sabores de quem visita o local.

Além da cervejaria artesanal, a Vila St. Gallen oferece uma intensa programação, que vai de shows de Rock e Blues a jantares harmonizados por chefs da alta gastronomia. O espaço conta com três restaurantes, o Bistrô 1912, o Harlekin Pub e a Abadia Anno 613 que fazem parte de um vilarejo, onde o público encontra um pequeno comércio com loja de souvenir, sorveteria e até réplica de uma capela germânica.

Inspirado nos bistrôs do século passado, o restaurante Bistrô 1912 reúne o estilo Art. Noveau, com gastronomia sofisticada e cervejas especiais. O ambiente resgata o clima de um Rio de Janeiro que respirava os ares de Paris. A data que dá nome ao Bistrô é uma homenagem ao ano de lançamento da cerveja Therezópolis, criada por Alfredo Claussen. 



Preservando o clima das tradicionais festas alemãs, o Harlekin Pub reúne gastronomia típica, apresentações de pocket shows e um mezanino dedicado aos que gostam de jogar sinuca enquanto apreciam uma boa cerveja. Além de rituais da cultura cervejeira que animam o público.

Para as pessoas que não resistem a um fondue no clima da serra, a Abadia Anno 613 oferece um ambiente à luz de velas acompanhado de uma arquitetura germânica. Ao entrar, o visitante encontra o sótão de uma antiga casa decorada com livros e relíquias, que remetem à Abadia de St.Gallen, nos antigos alpes germânicos, na Suíça. A reprodução é tão fiel que até os garçons recebem o público vestidos de frades para servir fondues e raclettes, harmonizados com as cervejas da casa. 

Na Vila St. Gallen também é possível participar do Bier Tour. No trajeto, o visitante pode conhecer a origem da cerveja e o processo de produção da bebida ancestral, com os ensinamentos do cervejeiro ou da sommelière de cervejas. No final da experiência, o público terá direito a uma degustação de cerveja com dicas de harmonização e vai levar para casa uma caneca da Vila St. Gallen. O Bier Tour acontece aos sábados e domingos (menos no último sábado do mês) e custa R$50.

Vila St. Gallen: centro de experiência da cerveja Therezópolis


Chopp de Verão - Vila St. Gallen

Um chopp leve e saboroso. Essa é a criação da Vila St Gallen para a época mais quente do ano. A partir do dia 20 de janeiro, a cervejaria investiu no estilo inglês Ordinary Bitter, uma cerveja de alta refrescância para comemorar a estação. Como principal destaque, estão os lúpulos ingleses utilizados, que fornecem a essa cerveja sabores mais terrosos e herbais, bem típicos dos tradicionais PUBs de Londres. Criado pelo cervejeiro Gabriel Di Martino, o chopp tem coloração clara, levemente acobreada, baixo teor alcoólico, baixa carbonatação, pouco corpo, médio amargor e com um perfeito equilíbrio entre o malte e o lúpulo. "O estilo é o mais consumido e produzido na tradicional escola inglesa de produção de cervejas. Em sua origem, ele era utilizado como forma de pagamento e hidratação da classe trabalhadora, na Inglaterra" explica. O chopp ficará disponível até o final da estação. 

Nome: Ordinary Bitter
Estilo: Ordinary Bitter
Teor Alcoólico: 3,8%
Amargor: 22 IBU
Três maltes utilizados
Duas variedades de Lúpulos Ingleses Utilizadas. 
Temperatura de serviço: 4 a 6 graus.

Vila St. Gallen - Rua Augusto do Amaral Peixoto, 166, Alto - Teresópolis. Tel.: (21) 2642-1575. Quintas-feiras das 19h à 00h; sextas-feiras das 12h à 00h30; sábados e feriados das 12h à 00h30; domingos das 12h às 19h. www.vilastgallen.com.br / www.cervejatherezopolis.com.br 

Horário especial de verão: até o dia 3 de fevereiro, a Vila St. Gallen vai funcionar em todas as quartas-feiras, das 19h às 00h.

Fonte: RPM Comunicação

Concurso Brasileiro de Cervejas tem recorde de inscritos

Jurados avaliam vários aspectos da bebida - Foto: Francisco Fresard / Agencia RBS

O Concurso Brasileiro de Cervejas, realizado em Blumenau, tem recorde de inscrições para a edição deste ano. Vão participar da competição 1.483 rótulos, 73% a mais que na edição do ano passado. As bebidas participantes representam 222 cervejarias, número 63% maior que na edição de 2015.

A organização da competição criou duas novas categorias. A Experimental vai reunir bebidas que ainda não foram lançadas no mercado e a categoria Cerveja Brasileira vai valorizar as receitas que utilizam ingredientes da terrinha.

O Concurso Brasileiro de Cervejas faz parte da programação do Festival Brasileiro da Cerveja que neste ano ocorre de 9 a 12 de março no Parque Vila Germânica. A premiação do concurso será no dia anterior ao início do festival, 8 de março.

As informações completas sobre o concurso estão disponíveis no site oficial do evento: http://www.festivaldacerveja.com/concursos.

Fonte: Diário Catarinense

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

São Paulo Tap House apresenta Cervejaria Jambreiro

O evento acontece nos dias 30 e 31/01 e traz as cervejas LebensKraft, Blondie, Belgian Dark Strong Ale e o lançamento da Red Danube



A São Paulo Tap House, maior vitrine das cervejarias artesanais brasileiras, traz nos dias 30 e 31/01, às 11h30, a Cervejaria mineira Jambreiro, que estará em São Paulo pela primeira vez com três rótulos de sua produção e um lançamento nacional.Durante a tarde, Humberto Ribeiro, cervejeiro experiente da Jambreiro, irá dar uma palestra gratuita aos interessados sobre técnicas cervejeiras e a transição do amadorismo para o profissionalismo na carreira de cervejeiro. Após a apresentação,acontecerá a degustação dos quatro rótulos (150 ml), entre elas a Lebenskraft, Blondie, Belgian Dark Strong Ale, e o lançamento Red Danube.

A LebensKraft é uma cerveja leve, refrescante, feita com três tipos de malte e dois tipos de lúpulos. Apresenta características cítricas que conferem o aroma e o gosto característicos desta cerveja. Produzida com as mesmas técnicas de fabricação dos estilos Ale e Lager, ela é uma mistura que não satura o paladar. Desta forma, pode ser apreciada tanto por conhecedores de cervejas especiais quanto por aqueles que iniciam no mundo cervejeiro. Com pouco tempo no mercado, ganhou medalha de prata no The Great South Beer Cup de 2014, considerada a Melhor Kölsch da América Latina, e recebeu medalha de prata na edição em 2015, como a Melhor Kölsch do Brasil.

Para os admiradores da escola inglesa, a Blondie apresenta forte presença de lúpulo americano de variedade Cascade. Possui características cítricas que remetem a laranja e oferece três tipos de maltes, dentre eles o de trigo. Também conhecida como English Summer Ale, é um estilo de cerveja produzido por poucas microcervejarias na Inglaterra.

Composta por maltes caramelizados, lúpulos herbais e dois tipos de fermento, a Belgian Dark Strong Ale foi a primeira cerveja produzida pela Jambreiro. Encorpada e fortemente alcoólica (9,5%), foi premiada com apenas cinco meses de existência no III Concurso Nacional de Cervejas Artesanais, também recebeu medalha de prata no The Great South Beer Cup de 2015 e prata no Copa Cervezas de América 2015.

Lançamento em todo território nacional, a Red Danube é uma versão leve do estilo Vienna Lager, voltada para o paladar brasileiro. Apresenta lúpulos alemães, com equilíbrio para o ajuste dos sabores de maltes especiais.

E para acompanhar, a casa serve um cardápio com petiscos, sanduíches, saladas e pratos que se destacam também pelo lado artesanal de seus ingredientes. Destaque para as tábuas de queijos e frios, todos produzidos no Brasil, servidas em dois tamanhos (R$ 39 e R$ 69). A Tábua Iniciantes leva queijos e embutidos suaves, que acompanham pães, azeitonas e caponata; já a tábua Iniciados chega à mesa com queijos e embutidos mais fortes e picantes e os mesmos acompanhamentos. O menu também apresenta diversas opções de porções que podem harmonizar muito bem com os diferentes estilos de chope, entre eles, os Mini bolovos (R$ 28), feitos com ovos de codorna envoltos em massa de linguiça calabresa, o trio de Mini Buraco quente (R$ 24), nos sabores ragu de linguiça, ragu de cogumelos e ragu de carne, e o Frango a passarinho (R$ 28), acompanhado de dois dips à escolha.

Serviço

São Paulo Tap House
Endereço: Rua Girassol, 340 – Vila Madalena
Telefone: 11 3530-6602

Horários: Terça-feira das 18h à 0h, Quarta a Sexta das 18h às 1h, Sábado das 12h à 1h e Domingo das 12h às 22h. Segunda fechado.


Fonte:

Anexo Comunicação

Startup criada na Hungria aposta em máquina para fazer cerveja em casa

Atualmente em pré-venda por US$ 2 mil e com entrega prevista para março, a Brewie é capaz de fazer até 20 litros de cerveja (Foto: Divulgação)


Depois da onda das cervejas artesanais, a moda agora é fazer sua própria bebida em casa. Essa é a aposta da startup húngara Brewie, destaque na Consumer Electronics Show, feira de eletrônicos realizada no início de janeiro em Las Vegas, nos Estados Unidos.

“Fazer cerveja em casa do jeito tradicional é muito legal, mas leva um dia inteiro, cansa e deixa a cozinha em estado de caos”, diz Marcell Pal, cofundador da Brewie. “Com a nossa máquina, basta só colocar ingredientes e apertar botões”, afirma.

Atualmente em pré-venda no site oficial por US$ 2 mil e com entrega prevista para março, a Brewie é capaz de fazer até 20 litros de cerveja. “Dá para um churrasco”, diz Pal. O processo de mistura leva cerca de seis horas, enquanto a fermentação leva de uma a três semanas.

O custo é uma vantagem: gasta-se cerca de R$ 1 para fazer 330 ml - pouco menos que uma latinha. A máquina tem dois tanques - um para a mistura dos ingredientes, outro para a fermentação - e pode ser controlada por um aplicativo para smartphone.

Os usuários podem encontrar também mais de mil receitas de cerveja. Além disso, o APP reúne usuários em uma rede social, que conecta cervejeiros amadores ao redor do mundo para dividir receitas e até mesmo organizar degustações. 

Fonte: Correio 24 horas

Para atrair público masculino, escolas de ioga oferecem cerveja nos EUA

Reed Patterson segura pint de cerveja durante aula de ioga na cervejaria Platform Beer, em Cleveland (Foto: Tony Dejak/AP)

Para atrair o público masculino, escolas de ioga fizeram parcerias com cervejarias artesanais nos EUA. As aulas são realizadas em áreas das próprias cervejarias, e os alunos podem beber enquanto realizam os exercícios.

Mas não são apenas as escolas de ioga que ganham com a parceria. As cervejarias artesanais conseguem atrair um novo público para seus bares enquanto recebem as classes de ioga, em uma parceira boa para os dois lados.

Fonte: G1

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Festival muda o nome para Have Beer Curitiba

Por questões de direito de marca, evento que se chamaria 1º Beer Fest Curitiba fez alteração



Cidade que concentra algumas das mais premiadas cervejarias do Brasil, Curitiba ganha um evento concebido para valorizar esse cenário. O Have Beer Curitiba ocorre entre 4 e 20 de março. Durante os 17 dias de evento, bares e cervejarias da capital paranaense vão servir uma cerveja de sua escolha acompanhada por um petisco ou lanche pelo valor fixo R$ 19,90. (Inicialmente, o evento se chamaria Beer Fest Curitiba, mas houve alteração no nome em razão de direitos de marca).

Fonte: Revista Beer Art

sábado, 23 de janeiro de 2016

1º Beer Fest Curitiba ocorre em março

O logotipo do festival (Foto: Divulgação)

Evento para celebrar a cena cervejeira da capital paranaense tem um formato diferente. Bares e cervejarias vão oferecer combos, com cerveja mais acompanhamento, por R$ 19,90

Cidade que concentra algumas das mais premiadas cervejarias do Brasil, Curitiba ganha um evento concebido para valorizar esse cenário. O 1º Beer Fest Curitiba ocorre entre 4 e 20 de março. Durante os 17 dias de evento, bares e cervejarias da capital paranaense vão servir uma cerveja de sua escolha acompanhada por um petisco ou lanche pelo valor fixo R$ 19,90.

Ana Carolina Nolli, organizadora do festival, ressalta:

“Em pleno Verão, os curitibanos poderão aproveitar de forma mais agradável o que está em alta na cidade: a cerveja, seja ela artesanal ou convencional. Os bares e cervejarias participantes trarão destaques de suas cartas de cervejas harmonizados com preparos saborosos.”

A lista dos participantes e preparos da primeira edição do Beer Fest Curitiba está sendo definida. Para os bares e cervejarias interessados em participar, as inscrições estão abertas até o dia 31 de janeiro pelo e-mail contato@beerfestcuritiba.com.br (mais informações na página oficial do evento no Facebook ou no site www.beerfestcuritiba.com.br.

“Queremos que os participantes tenham experiências muito agradáveis durante o evento. Por esse motivo, estamos selecionando alguns dos principais empreendimentos gastronômicos da cidade. Tenho certeza de que o Beer Fest será um grande sucesso, se tornando uma ótima opção para uma confraternizaçãona capital paranaense”, completa Ana Carolina.

Fonte: Revista Veer Art

Lançamento da Cervejaria Brüder no Rio de Janeiro



Serão lançados três rótulos hoje à noite no bar Beer & Bier Cafe, no bairro Jacarepaguá.


Brüder Pilsen, Brüder Weizen e Brüder American Red Lager serão apresentados hoje ao Rio de Janeiro. Localizada na cidade de Ipatinga, em Minas Gerais, a Cervejaria Brüder já era distribuída na região do Vale do Aço (interior mineiro) e no Espírito Santo e agora passa a integrar também o mercado carioca, conquistando, aos poucos, um cenário nacional.

A Brüder é resultado da iniciativa de três irmãos — daí o nome da marca, que significa irmãos em alemão —, Rildo, Robson e Rogério Souza. Após conversas, estudos e visitas a fábricas do segmento no Brasil, a primeira brassagem foi realizada em setembro de 2011 na cidade de Caratinga, onde então era localizada a fábrica. Atualmente, as cervejas da marca são produzidas pelo mestre-cervejeiro Rafael Patrício no Vale do Aço, interior mineiro.

Confira, em nossa galeria, os rótulos que serão lançados no Rio de Janeiro:

O Beer & Bier Cafe fica localizado na Estrada do Rio Grande, 3486, Loja C, Taquara, Jacarepaguá. O evento de lançamento ocorre das 18h à 00h45 e tem entrada franca

Fonte: Revista da Cerveja

Stella Artois recruta Matt Damon por água potável no mundo

Damon e a organização Water.org, criaram uma ação para tentar reverter parte desse cenário.

Na campanha "Buy a Lady a Drink" ou na tradução algo como "Compre uma bebida para uma garota", os consumidores são estimulados a comprar um dos três cálices exclusivos e de edição limitada da famosa marca belga de cervejas.

Para cada item vendido, a Stella Artois vai ajudar a Water.org a fornecer cinco anos de água limpa para pessoas necessitadas.

A campanha visa impulsionar a consciência sobre a crise mundial da água que afeta 663 milhões de pessoas sem acesso a água potável em todo o mundo. Todo o trabalho de comunicação foi conduzido pela agência Mother London 1st Ave Machine.


Veja o filme:


Fonte: Revista Exame

Ação da Cerveja Jeffrey com Chef ajuda ONG voltada a animais

Livro da jornalista e fotógrafa Cris Berger indica lugares para curtir no Rio na companhia do pet (Foto: Divulgação)

Combo no lançamento do 'Guia Pet Friendly', no sábado, 23, vai financiar a Paraíso dos Focinhos


Incluída no Guia Pet Friendly, a Jeffrey Store participa do lançamento da obra, neste sábado, 23, em conjunto com a chef Roberta Sudbrack. A ação ocorre das 15h as 19h, na pequena Rua Tubira, do Leblon, onde ficam a loja da cervejaria e a "garagem" da chef. Durante o evento, quem comprar um SudDog + um copo de Red Pilsen da Jeffrey ganhará um exemplar do guia, e o combo terá 100% da venda revertida para a ONG Paraíso dos Focinhos, criada para acolher, proteger e tratar cães e gatos de rua.

Elaborado pela jornalista e fotógrafa Cris Berger, o guia mostra − em seu segundo volume da coleção − os lugares do Rio de Janeiro "apaixonantes, charmosos e apetitosos" para curtir na companhia do pet. O evento de lançamento tem também a participação do restaurante mineiro Steak Me, que inaugura sua primeira casa no Rio (também na pequena Rua Tubira), e a banda Cabelera, com uma mistura influências, que reúne Marvin Gaye, Tim Maia, Jorge Ben, Gilberto Gil e Bob Marley, entre outros artistas.

Serviço

O que: lançamento do segundo volume da coleção Guia Pet Friendly, da jornalista e fotógrafa Cris Berger, com ação da Jeffrey Store e da chef Roberta Sudbrack em apoio à ONG Paraíso dos Focinhos
Onde: Rua Tubira, 8c, Leblon, Rio
Quando: sábado, 23, das 15h às

Fonte: Revista Beer Art

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Lei da Pureza da Cerveja: Dortmund Bier comemora 500 anos da regulamentação


Esse ano a cervejaria artesanal Dortmund Bier comemora um dos marcos mais importantes da história da cerveja, os 500 anos da chamada “Lei da Pureza da Cerveja”. Promulgada em 1516 na Baviera, a Reinhaitsgebot (nome em alemão) é considerada a regulamentação mais antiga do setor alimentício e definiu a água, o malte de cevada e o lúpulo (a levedura só foi incluída mais tarde, no século XIX) como os únicos ingredientes permitidos na produção de cerveja.

“Uma das características da Dortmund Bier é primar pela tradição e ressaltar as suas qualidades, a Ceské Pivo é um grande exemplo desse trabalho. Uma Bohemian Pilsen que segue a receita original de 1842 e ainda assim traz um equilíbrio perfeito entre o sabor acentuado do malte e o amargor do lúpulo”, afirma o proprietário da Dortmund, Marcel Longo.

Com todos os rótulos seguindo os princípios da Lei (a única exceção é a Schloss que por ser de origem belga utiliza especiarias como ingrediente adicional), Longo explica que nenhuma das receitas utiliza cereais não maltados, corantes, estabilizantes, conservantes ou antioxidantes e que apesar das críticas em relação a restrição da criatividade e da simplicidade das receitas, a Reinhaitsgebot ressalta a capacidade técnica, já que é necessário grande conhecimento para produzir rótulos distintos a partir dos mesmos ingredientes.

Conheça outros rótulos da Dortmund Bier que seguem a Lei da Pureza da Cerveja:

Hopfen – autêntica Imperial German IPA preparada 100% com insumos alemães e uma mistura inusitada de lúpulos Hallertau Magnun e Mittelfrüh. Graduação alcoólica de 8,5% e 80 IBUs.

Linderhof – cerveja de trigo clara, de alta fermentação do estilo German Weizenbier. Graduação alcoólica de 5% e baixo amargor.

Nostradamus – Stout profundamente escura, com notas de café, toffee e chocolate. Graduação alcoólica de 4,8% e amargor pronunciado.

Old Ship – American Pale Ale de cor âmbar, produzida com um único lúpulo americano. Graduação alcoólica de 4,9% e alto amargor.

Pils – um dos estilos mais populares do mundo, essa Classic American Pilsner tem coloração amarelo-ouro, uma espuma cremosa e um paladar equilibrado. Graduação alcoólica de 5% e alto amargor.

Red Rose – American Amber Ale possui aroma toffee e caramelo e notas florais. Graduação alcoólica de 6% e baixo amargor.

Sobre a cervejaria artesanal Dortmund Bier

Fundada em 2011 no circuito das Águas Paulistas, em Serra Negra, a cervejaria Dortmund Bier surgiu para satisfazer até os mais exigentes apreciadores de cervejas artesanais. Com equipamentos de última geração, utilizando as mais tradicionais técnicas cervejeiras e uma seleção rigorosa dos ingredientes possui nove rótulos fixos em seu portfólio. Além das cervejas em parceria com as bandas Matanza e Ratos de Porão, com o chef Henrique Fogaça e com músico e apresentador João Gordo.

Informações à imprensa:

RS Press

Laís Cavassana: laiscavassana@rspress.com.br
Carla Rocha: carlarocha@rspress.com.br
Thales Capitani: thalescapitani@rspress.com.br

Tel: (11) 3875-6296

Cervejarias Blondine e Nacional apresentam o rótulo Pé na Areia para o Carnaval


As cervejarias Blondine e Nacional lançarão em um evento pré-carnaval, no dia 01 de fevereiro, a refrescante e aromática Pé na Areia, cerveja do estilo American Pale Ale com adição da brasileiríssima fruta caju.

“Escolhemos o caju, fruta típica do nordeste brasileiro, por ser um ícone do verão. A refrescância é uma forte característica da American Pale Ale e com certeza agradará os foliões”, afirma Juliana Behr, embaixadora da Blondine.

A Pé na Areia é uma cerveja leve, clara e com baixo teor alcoólico - 4,6%. O lúpulo e o caju transmitem à bebida um amargor e uma acidez extremamente refrescantes. Harmoniza com mexilhão, lula à dorê, comida mexicana e pizza de calabresa.

O evento acontecerá na Cervejaria Nacional, que fica na Av. Pedroso de Morais, 604, em Pinheiros - São Paulo -, a partir das 19h00. Posteriormente, na cidade, será possível encontrar a Pé na Areia em diversos pontos de venda, que serão atendidos com exclusividade pela distribuidora Botecaria (www.botecaria.com.br).

Sobre a Blondine

Sabores originais, qualidade e uma boa dose de ousadia. Essas seriam escolhas perfeitas se quiséssemos definir a Blondine em poucas palavras. Com cinco anos no mercado, o prestígio da cervejaria brasileira possibilitou à produtora artesanal de Itupeva, interior de São Paulo, tornar-se uma das maiores e mais respeitadas empresas do seu segmento no país. Especialista em criações e parcerias de sucesso, a marca valoriza seus rótulos unindo-se a grandes nomes do mercado cervejeiro brasileiro e acrescentando ingredientes que potencializam a qualidade e o sabor de cada produto. Tem em seu portfólio, por exemplo, cervejas com adição de café 100% arábica, de frutas - como amora, acerola, abacaxi e coco. Aos interessados em conhecer a produção, a cervejaria promove com regularidade o tour pela fábrica. Mais informações:

www.blondine.com.br
www.facebook.com/cervejariablondine
www.instagram.com/cervejariablondine

Fonte: ÔNIXPress

Ímã melhora sabor da cerveja


Durante a fabricação dela, é possível submetê-la a um campo magnético - e deixá-la mais gostosa. Basta colocar um íma 2 sobre um tubo pelo qual a cerveja passa. O campo magnético espalha as partículas de lúpulo, que reagem melhor com os demais ingredientes¹.

¹ Effect of a magnetic field on dispersion of a hop extract and the influence on gushing of beer. Zahra Shokribousjein e outros, Leuven Food Science and Nutrition Research Centre. 

Fonte: Superinteressante


Bierland divulga no dia 1º o edital da 5º Concurso Cervejeiro Caseiro


Em 2016, o estilo de cerveja escolhido para o concurso é o Baltic Porter


Quem quiser disputar o privilégio de ver a sua receita de cerveja caseira produzida em grande escala tem uma oportunidade a partir do dia 1º de fevereiro. Nessa data, a cervejaria Bierland, de Blumenau (SC), divulga o edital da 5ª edição do Concurso Cervejeiro Caseiro Bierland. O documento poderá ser conferido a partir deste dia no site www.bierland.com.br.

Neste ano, o desafio dos cervejeiros será produzir uma cerveja de estilo Baltic Porter (BJCP 2015 9C). Conforme explica o sommelier de cervejas da Bierland, Yuri Holbrich, esse estilo apresenta um rico aroma maltado, que remete a caramelo, toffee, nozes, chocolate, café e melado. Também tem notas frutadas que remetem à ameixa seca, uva passa, cereja e, ocasionalmente, vinho do porto.

“No sabor, ressalta-se o torrado macio, suportado pelo dulçor do malte e pelo perfil de frutas secas e escuras. Encorpada e macia, a Baltic Porter é marcada por várias camadas de sabor, o que a torna um estilo excepcionalmente complexo”, ressalta Yuri.

Tradicional nos países com costa no Mar Báltico, esta cerveja é derivada das Porters inglesas, mas conserva grande influência das Russian Imperial Stouts.

O concurso ocorre anualmente desde 2012, com o objetivo de fortalecer o vínculo entre as cervejarias artesanais e os cervejeiros caseiros por meio da troca de informações, além de valorizar a produção artesanal de cervejas.

Fonte: Revista Art Beer

No Sul, 'anti-bar' fica escondido e faz você rever o conceito sobre cerveja

Bier Keller funciona em um lugar discreto numa área residencial de Porto Alegre.

Objeto de culto entre os cervejeiros, um bar de Porto Alegre encanta pela simplicidade, beleza e seleção da clientela.


Entre os apreciadores de cerveja, é comum alguém se gabar de ter consumido alguma marca de terras longínquas, provado uma receita com ingredientes inusitados ou experimentado uma edição limitada, da qual foram produzidas pouquíssimas garrafas. Há um feito, porém, que raramente é batido nessas triviais competições de mesa de bar: frequentar o Bier Keller.

Funcionando em um casarão num bairro residencial de Porto Alegre, o Bier Keller subverteu o conceito tradicional de um bar. Na verdade, trata-se de um anti-bar. Não há letreiros luminosos na fachada, não tem garçom, tampouco serviço de cozinha. Aliás, as portas nunca estão abertas à freguesia. Isso mesmo. O Bier Keller funciona de porta fechada. Para entrar, é preciso tocar a campainha e torcer para os donos simpatizarem com a sua cara. Se, após a rápida e severa espreitada do seu Vitório ou da dona Gerti, a porta se abrir, comemore. Você está prestes a ingressar em um local de culto.

Mas, afinal, o que há de tão especial nesse bar? Entrar no Bier Keller é como passar por um túnel do tempo. A decoração remete aos velhos armazéns. Sobre o balcão de madeira maciça, de cinco metros de comprimento, há uma caixa-registradora a manivela, relíquia do primeiro banco comercial fundado no Rio Grande do Sul. Ao lado, repousa uma torneira de chopp resgatada da Confeitaria Rocco, tradicional ponto de encontro da aristocracia porto-alegrense no início do século passado. Por onde se desvie o olhar, há relíquias do passado. Da jukebox estacionada no canto às placas publicitárias nas paredes, dos bancos feitos com barris de madeira à mesa enorme do salão principal, antes usada para carnear porcos. E se o banheiro das mulheres é aquecido por um fogão à lenha, o dos homens tem um pé de lúpulo esgueirando-se pelas paredes.

Tudo ali foi pensado com extremo cuidado por Vitório Luiz Levandovski, dono do Bier Keller. “Levei nove meses só para terminar o salão principal. Algumas peças eu levei anos para conseguir que me vendessem, como a jukebox - conta Vitório, que aos 53 anos é uma lenda da cena cervejeira no país.

Ex-gerente comercial, Vitório trabalhou na Brahma e na Antártica antes de passar para trás do balcão. A mudança se deu nos anos 1990, quando ele anteviu a revolução que estava por vir no mercado cervejeiro. As cervejas artesanais estavam começando a surgir no Brasil, seguindo uma tendência que se consolidava no Exterior. Vitório pediu demissão e saiu a viajar pelo país, visitando cervejarias, bares, distribuidores e importadoras. Decidiu abrir o próprio estabelecimento.

“Eu não queria abrir um bar comum. Queria um bar que as mulheres pudessem frequentar com as amigas, que fosse bonito e aconchegante, com banheiros limpos, copos adequados, cervejas diferentes e que não fossem caras”, relembra.

Nasceu assim o Água de Beber, no centro histórico da capital gaúcha. À época, Vitório trabalhava com 70 rótulos e a demanda dos clientes por novas cervejas só aumentava. Para fomentar o mercado, ele se tornou um dos maiores agitadores da nova onda cervejeira. Ajudou a criar as primeiras associações de cervejeiros caseiros, os primeiros festivais, incentivou as pequenas fábricas a criarem novas receitas e investirem em outros estilos de cerveja, sugeriu marcas aos importadores e estimulou a abertura de lojas de equipamentos e insumos.

Nessas andanças, Vitório criou o conceito do Bier Keller. Para além da decoração repleta de antiguidades, o diferencial que ele buscava era no atendimento. Daí a porta fechada e a ausência de garçons. No Bier Keller, é o próprio cliente que se serve. Ele abre o freezer, escolhe entre os cerca de 250 rótulos, apanha os copos no armário e abre a garrafa com um dos abridores espalhados pela casa. Para comer, há um buffet de acepipes, salsichas bock, pão de cerveja e um prato quente, que pode ser um pernil ou pato. Se preferir, o cliente pode mandar pedir uma pizza. É só pagar na porta e comer no bar que o Vitório não se importa. Só fregueses mais assíduos, considerados “de casa”, podem usar a cozinha. É só levar os ingredientes e preparar o jantar.

Durante algum tempo, essa clientela fixa formou um clube no Bier Keller. Eles pagavam mensalidade e tinham direito a algumas benesses, como participar de eventos, degustações e... a suprema primazia: não precisavam bater à porta. Vitório instalou uma fechadura biométrica. Era só colocar o polegar no leitor ótico que a porta se abria. “Cheguei a ter 200 clientes cadastrados. Só com eles eu pagava todas as despesas do bar”, conta.

É essa freguesia que tem acesso a dois ambientes especiais do Bier Keller, em geral restrito ao público comum. Descendo uma escadaria no pátio, chega-se a uma espécie de porão (em alemão, Bier Keller significa porão da cerveja), com as paredes de tijolos à vista e garrafas e canecos no teto. Ao lado, fica uma câmara fria com o estoque da loja. E ao se empurrar uma das paredes da sala, abre-se uma passagem secreta que dá lugar a outro bar, com balcão e mesas dispostas à espera de quem necessita de um espaço mais privado. 

“Fiz um bar que resgata o companheirismo. Aqui não passa jogo de futebol nem tem música ao vivo. É para as pessoas conversarem enquanto apreciam uma boa cerveja com um aperitivo que ressalte o sabor da bebida. Não tem comanda, nem garçom te empurrando mais uma garrafa. É tudo na confiança. Essa é a palavra chave do bar”, resume Vitório.

Fonte: G1

Saint Bier apresenta: Confraria da Cerveja


A Confraria, evento mais tradicional da Itapema, ganha uma versão perfeita para o verão


A Confraria já é uma tradição – e uma especialidade – da Itapema: em 2015 a rádio realizou a sétima edição da Confraria do Vinho, um dos eventos mais esperados do inverno em Florianópolis – isso sem contar desdobramentos como a edição de Joinville, que acontece anualmente, e a Confraria do Espumante. Agora, a Itapema usa sua experiência para realizar um evento perfeito para o verão: a Confraria da Cerveja, apresentada pela cervejaria Saint Bier, com patrocínio RTC. A primeira edição, exclusiva para convidados, está marcada para o dia 26 de janeiro, no Jardins Restô Café, localizado no Centro Histórico de São José. A música fica por conta da banda Souvenir – além, é claro, do setlist assinado pela Itapema.

Para a Confraria, a cervejaria Saint Bier apresenta seus rótulos de verão – e também seus lançamentos da temporada:

Pilsen: Seca e refrescante ao paladar, com notas de malte; a bebida harmoniza bem com peixes, frutos do mar, saladas de folhas verdes e aperitivos.
In Natura: O aroma da cerveja é maltado, com presença de lúpulo herbáceo. Já no paladar, a bebida tem notas de malte, pão e lúpulo.
Weiss: Refrescante, com notas de especiarias e banana; a bebida tem no aroma malte, pão e cravo. Harmoniza com risoto de frutos do mar, bolinho de bacalhau, pato assado, polvo, peixes e sushi.

Quer experimentar as cervejas Saint Bier? Fique ligado na Itapema – nesta semana, vamos presentear ouvintes com kits de bebidas da marca. Não perca!

Serviço

Saint Bier apresenta Confraria da Cerveja – 1ª edição
Quando: Dia 26 de janeiro, terça-feira, das 20h à meia-noite
Onde: Jardins Restô Café (Rua Gaspar Neves, 3153, Centro Histórico de São José)
Evento exclusivo para convidados
Patrocínio: RTC
Apoio: Jardins Restô Café

Fonte: Click RBS

Cervejaria Sagrada faz sua estreia na capital gaúcha

Cervejaria Sagrada faz sua estreia na capital gaúcha

Marca lançará seu primeiro rótulo hoje à noite, no Biermarkt Vom Fass, em Porto Alegre.

Os apreciadores porto-alegrenses definitivamente estão bem servidos. A cidade abriga hoje mais de 10 microcervejarias (isso sem falar dos brewpubs), a maioria delas localizada no polo cervejeiro do bairro Anchieta — lar das já conhecidas Irmãos Ferraro, Seasons, Tupiniquim, entre outras. Ao contrário destas, a Sagrada, mais nova nanocervejaria da capital, fica no bairro São Geraldo, região cercada por empreendimentos gastronômicos e que hoje já conta com outras micros e bares especializados — o que deve impulsionar o bairro e torná-lo “um novo polo cervejeiro”, prenuncia Marcos Ruperti, um dos sócios da Sagrada.

Ao lado de Marcos, empresário que já se aventurava nas panelas de brassagem desde 2010, está Alexandre Paz, técnico cervejeiro formado pelo Senai Vassouras, e o engenheiro mecânico André Halbig, especialista em processos e controle de qualidade. Juntos, os três elaboram todas as receitas, além de se dividirem nas outras tarefas da fábrica.

Instalada em uma área de 90m², a Sagrada tem capacidade de produção de 500 L por mês, mas, para que a marca possa manter um estoque sustentável, também são terceirizadas produções em parceiros. Segundo o sócio, a quantidade torna as cervejas ainda mais preciosas: “Para representar isso, escolhemos a figura de um anjo — de onde vem a inspiração para os rótulos, nomes e até receitas”, explica. Ao que tudo indica, a “honra” de beber dessa fonte também será restrita a poucos, já que a fábrica inicia com distribuição apenas em Porto Alegre e região.

A primeira cerveja a ser lançada é a Querubim, uma Witbier elaborada com malte belga e lúpulo americano Citra. Na composição, leva ainda trigo, hortelã, capim-limão e “dry-hopping” de maracujá. O resultado é uma cerveja refrescante e aromática, ideal para estes dias mais quentes. Próximos rótulos? Já estão previstos três: uma Blonde Ale, uma IPA e uma Pale Ale. Além das cervejas fixas, os sócios têm a ambição de lançar uma receita por mês em 2016, sendo algumas sazonais e outras de guarda. “Sempre estaremos inovando”, garantem.

Curiosos para os lançamentos? Nós também! Fábrica e rótulo serão apresentados hoje, a partir das 18h, no Biermarkt Vom Fass. O bar fica na R. Barão de Santo Ângelo, 497, Moinhos de Vento, Porto Alegre/RS. 

Fonte: Revista da Cerveja

Por que a cerveja congela se pegarmos no meio da garrafa?


Por Camila Monroe

A cerveja está lá, paradinha no freezer, perfeita para saciar a sede. Na pressa, você pega a garrafa de qualquer jeito, se esquecendo daquela aula de química em que o professor disse que, ao serem estimuladas por fatores como calor ou movimento, as moléculas de uma substância reagem. No caso da cerveja, elas reagem muito mal, passando de líquidas para sólidas, agitadas pela proximidade da mão de quem vai servir (ver quadro Exame do toque).

Claro, as garrafas de cerveja não são as únicas sujeitas ao congelamento instantâneo. Acontece que, diferentemente de sucos, refrigerantes ou mesmo latinhas de cerveja, elas costumam ser armazenadas em lugares que marcam menos de 0º - é essa exigência por uma loira tão gelada que a deixa sempre a perigo. Mas calma: não precisa começar a beber cerveja quente. É só lembrar de pegar a garrafa sempre pelo gargalo.

Exame do toque 
Entenda a pegada que congela a cerveja 

1. Abaixo de zero
Se a cerveja é feita basicamente de água, deveria congelar em uma temperatura negativa, não? Ou aquele -5º do freezer do bar é só decoração? Calma, não estão enganando você. Acontece que, por ficarem paradinhas dentro da garrafa, as moléculas "esquecem" de virar cristais de gelo. Aí vem a sua mão quentinha para lembrá-las.

2. Mão boba
Quando você encosta na garrafa, sua mão esquenta o vidro, o que não é nada bom. Há duas opções melhores: pegar pelo gargalo, onde não há contato com o líquido, ou pela parte de baixo, onde o vidro mais grosso funciona como isolante, dificultando o congelamento.

3. Estupidamente gelada
O gás carbônico presente na cerveja se solta das paredes da garrafa, causando uma agitação interna. Um único cristal se forma, e vai dando origem a muitos outros, que originam outros... que transformarão toda a água em gelo. A saideira?

Fonte: Revista Superinteressante

Cerveja artesanal Lohn Bier aposta em ações sustentáveis

As sacas de malte, matéria-prima da cervejaria, viram sacolas

Praticar ações em prol do meio ambiente faz parte do planejamento de muitas empresas que têm como postura a consciência ambiental e social, e essas atividades estão presentes na produção da cervejaria Lohn Bier. 

Todas as garrafas de cerveja do Pub Lohn, por exemplo, são doadas para cervejeiros artesanais caseiros que reutilizam as garrafas, em uma média de duzentas por mês.

Além disso, as sacas de malte, matéria-prima da cervejaria, viram sacolas feitas por costureiras da região. Depois de limpas e customizadas, as sacolas personalizadas servem para os clientes levarem as cervejas para casa. Do processo de fermentação da cerveja resulta a levedura que vira alimento animal para bois e vacas criados pela família proprietária da cervejaria, cuja carne é usada para fazer o Hambúrguer Lohn.

A fábrica e o Pub fazem a coleta seletiva de lixo que é uma parceria do Consórcio Cirsures com a Cooperativa de Reciclagem Rio América – Cooperamérica e a prefeitura de Lauro Müller.

“Resíduos com características similares são selecionados por quem gera o lixo, neste caso a Lohn Bier, e disponibilizados para a coleta separadamente. Ações como essa são importantes, pois na central de triagem os resíduos são separados, estocados e posteriormente vendidos, gerando emprego e renda aos catadores”, pontua o engenheiro ambiental e gerente geral da Cirsures, Thiago Maragno Biava.

A água utilizada na fábrica é tratada e descartada corretamente em um processo de decantação com diversas caixas d’água na área externa da fábrica. Este projeto foi aprovado pela Prefeitura Municipal de Lauro Müller.

“Nos preocupamos com o meio ambiente e de que forma podemos contribuir para que nossas ações sejam também bons exemplos. Queremos que nossos clientes tenham o prazer de beber uma Lohn não só pela excelência da nossa cerveja, mas pela consciência que a marca tem em sua produção”, explica a sócia e proprietária Tatiani Felisbino Brighenti.

Fonte: Engeplus

Como pedir cerveja em outras línguas?


Por Marcos Nogueira, Mariana Weber

Existe aplicativo de iPhone para resolver o drama que atormenta cervejeiros despreparados em viagens pelo mundo. O app Pivo, em inglês, ensina, com texto e vídeo, como pedir a bebida em 60 línguas. Foi criado por dois britânicos que passaram pela experiência de chegar a um bar de Praga sedentos e sem o mínimo conhecimento do idioma local ? pivo quer dizer cerveja em tcheco. Outra opção é se preparar um pouco e decorar como pedir a bebida na língua do seu destino de viagem.

A seguir, dez exemplos:

Em inglês
One beer please.

Em alemão
Ein bier bitte.

Em francês
Une bière s'il vous plaît.

Em holandês
Een biertje, alsjeblieft.

Em tcheco
Jedno pivo prosím.

Em italiano
Una birra, per favore.

Em espanhol
Una cerveza por favor.

Em dinamarquês
En øl tak.

Em japonês
B?ru ippai kudasai.

Em vietnamita
Cho tôi môt côc bia.

Fonte: Superinteressante

O que determina uma boa cerveja? 'Lei da pureza' alemã completa 500 anos

Festival em Munique está na programação das festas do Dia da Cerveja

Os alemães festejam neste ano os 500 anos da chamada "lei da pureza da cerveja". Há meio milênio, ela determina o que uma boa cerveja alemã deve conter e, ainda hoje, é seguida à risca pela maioria dos produtores do país.

Essa lei promulgada em 1516 na Baviera é considerada a regulamentação mais antiga do setor alimentício ainda em vigor no mundo e se baseia em um decreto do duque Guilherme 4º da Baviera, que visava proteger os consumidores da época de produtos feitos com ingredientes tóxicos.

Por isso, em 23 de abril, dia em que foi promulgado esse documento, chamado localmente de "Reinheitsgebot", será festejado em todo o país o "Dia da Cerveja".

Este é um dos orgulhos da indústria cervejeira alemã, que alega produzir a bebida mais pura do mundo. A data vai ser comemorada com festas por todo o país, principalmente no sul, onde a lei foi originalmente promulgada e onde se bebe mais cerveja do que no norte da Alemanha.

Além das festas, estão planejados shows, mostras itinerantes sobre a história da cerveja na Alemanha e até um grande festival de três dias em Munique, em julho, quando mais de cem cervejarias servirão seus produtos e mostrarão o processo de produção.

Há mais de 1,3 mil cervejarias na Alemanha, que produzem 95 milhões de hectolitros por ano

Há 500 anos, o consumo de cerveja já era muito difundido na Alemanha. No entanto, a produção não era regulamentada. Muitos produtos ilegais continham ingredientes tóxicos como beladona, papoula ou rosmarinho silvestre. O decreto de Guilherme 4º valia originalmente só na região da Baviera, mas acabou sendo adotado em todas as regiões do país. A lei impunha penas severas para quem a desrespeitasse.

Até hoje, a cerveja feita na Alemanha se limita, por lei, a quatro ingredientes básicos – além de água, malte de cevada e lúpulo a levedura de cerveja também foi incluída na lista com o passar dos anos.

No entanto, nem toda cerveja consumida na Alemanha respeita o Reinhaitsgebot. Em 1987, os alemães tiveram que se curvar à pressão da União Europeia e liberar a importação de cervejas que não seguem a lei da pureza, para não prejudicar o livre comércio entre os países-membros.

Desde então, a produção de cervejas com outros ingredientes é permitida na Alemanha. É necessário, no entanto, obter uma autorização especial para fazê-lo.

"Só uma parte minúscula da produção alemã não segue a lei, algo como 0,001%", diz Lothar Ebbertz, presidente da associação de cervejarias da Baviera.

Bebida servida até mesmo na convenção do partido da chanceler Angela Merkel

Mas há quem não dê tanto valor assim à lei da pureza, como Sandra Ganzenmueller, sommelier especializada em cervejas e porta-voz da associação do setor na Alemanha, com sede em Munique.

Ela diz à BBC Brasil que tecnicamente a limitação aos conteúdos originais em si não melhora nem piora o sabor da cerveja. "O importante é que seja uma bebida harmoniosa, mesmo que tenha ingredientes adicionais", afirma a especialista.

Algumas marcas oferecem cerveja com gosto de banana, cereja ou gengibre, e a popularidade dessas bebidas está crescendo na Alemanha, assim como no Brasil e em outras partes do mundo.

"Quanto mais variedade de cervejas existir no mercado, melhor para o consumidor", diz Ganzenmueller, que vê com simpatia a proliferação de microcervejarias no país, que não seguem à risca as antigas receitas.

Há mais de 1,3 mil cervejarias na Alemanha, que produzem cerca de 95 milhões de hectolitros por ano - 85% da produção é consumida no próprio país.

O consumo de cerveja caiu nos últimos dez anos de 116 para 106 litros por pessoa por ano. No entanto, os alemães continuam entre os maiores bebedores de cerveja do mundo em termos de consumo per capita - ranking que costuma ser liderado pela República Tcheca.

Fonte: BBC Brasil

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Vila St. Gallen (Foto: Ninkasi Beer Club)

Fui convidado mais uma vez pela cervejaria Sankt Gallen, desta vez para participar do lançamento do seu Chopp de Verão produzido pelo cervejeiro Gabriel Di Martino. O chopp tem 3,8% de teor alcoólico e 22 IBU's. Foi escolhido o estilo inglês Ordinary Bitter, uma cerveja de alta refrescância para comemorar a estação. Como principal destaque, estão os lúpulos ingleses utilizados, que fornecem a essa cerveja sabores mais terrosos e herbais, bem típicos dos tradicionais PUBs de Londres. Aliás, o dia parecia de um típico verão inglês, nublado e com uma chuvinha fina.

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Chope Therezópolis Gold (Foto: Ninkasi Beer Club)

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Bolinhas de queijo e polvilhadas com cabelinho de anjo (Foto: Ninkasi Beer Club)

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Linguiças alemãs com molho de mostarda e mel (Foto: Ninkasi Beer Club)

A recepção como sempre foi a melhor possível. Além do carinho e atenção de toda a equipe da Vila St. Gallen, petiscos deliciosos foram servidos , além do chope Therezópolis gold, como uma espécie de aquecimento.

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Gustavo Machado, Paula Pampillón e Rafael Estorque apresentam chope de verão e o prato harmonizado (Foto: Ninkasi Beer Club)

Para harmonizar com o chope da estação, uma salada de agrião, alface, presunto cru e queijo azul de Minas (parecido com gorgonzola) foi preparada pelo chef Rafael Estorque, do restaurante Harlekin Pub, na Vila St. Gallen. O Chope de Verão foi apresentado pelo cervejeiro Gustavo Machado.

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Salada de Agrião (Foto: Ninkasi Beer Club)

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Chope de Verão (Foto: Ninkasi Beer Club)

O Chope:

Apresentou uma coloração acobreada e corpo límpido. Sua espuma de cor bege apresentou pequena formação e formou um bom belgian lace no copo.

No aroma, o malte remete a caramelo e um leve tostado. O lúpulo herbáceo está presente. O sabor acompanha o aroma e a cerveja é muito equilibrada. Casamento perfeito entre malte e lúpulo.

Corpo leve e com baixa carbonatação. O final é levemente amargo, seco e pede mais um gole, ou melhor, vários goles. Cerveja com altíssimo drinkability e bem fiel ao estilo inglês! Os fãs da escola inglesa não podem perder a oportunidade de experimentar o chope sazonal. É realmente uma ótima pedida para o verão!!!

Buda Beer
Equipe da Buda Beer apresenta o Chope Dubbel Dinâmica (Foto: Ninkasi Beer Club)

Tive ainda o prazer (e a sorte) de poder também apreciar o mais novo lançamento da Rota Cervejeira do Rio, dessa vez uma colaborativa entre a Buda Beer e a Therezopolis. A cerveja tem adição de damasco caramelizado, 7,5 de teor alcoólico e 30 IBU's. O nome da cerveja é um trocadilho da expressão Dupla Dinâmica, no caso representada por dois jovens amigos, cervejeiros, criativos, apaixonados por cerveja e um tanto loucos, Gabriel Di Martino e Rolf d'Ottenfels.

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Dubbel Dinâmica - Cerveja colaborativa entre Therezópolis e Buda Beer (Foto: Ninkasi Beer Club)

Lançamento do Chope de Verão da Vila St. Gallen
Torta de maçã com sorvete de creme (Foto: Ninkasi Beer Club)

Pra finalizar uma sobremesa, pois ninguém é de ferro. Uma deliciosa torta de maça, com sorvete de creme que por sinal harmonizou muito bem com a Dubbel Dinâmica.

Enfim, o dia foi maravilhoso! Boa gastronomia, um clima ameno e pessoas extremamente agradáveis! Agradeço a todos da Sankt Gallen pelo convite.

Vila St. Gallen

Rua Augusto do Amaral Peixoto, 166 - Alto - Teresópolis
(21) 2642-1575
Quintas de 19h à meia-noite
Sextas de 12h à 00:30
Sábados e feriados de 12h à 00:30
Domingos de 12h às 19h

Visite www.vilastgallen.com.br

Prosit!
Luiz Araújo