Ninkasi, a Deusa da Cerveja

Ninkasi é a antiga deusa sumeriana da cerveja, que transformou uma mistura de água e cevada em um líquido dourado, conhecido hoje como cerveja.

Era uma deusa muito popular que fornecia cerveja aos deuses. Ela era considerada a própria personificação da cerveja.

Receba as postagens do Ninkasi Beer Club no seu e-mail!

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Recuo das artesanais não deve ajudar grandes marcas de cerveja nos EUA

O crescimento do borbulhante setor de cervejas artesanais nos Estados Unidos está desacelerando. Mas não espere que as grandes cervejarias se beneficiem muito desse movimento.

Nos últimos cinco anos, as marcas artesanais roubaram fatias de mercado expressivas de cervejas tradicionais como Budweiser e Bud Light, ambas da belgo-brasileira Anheuser-Busch InBev. As cervejarias artesanais agora são responsáveis por cerca de 14% do mercado americano em volume, comparado com 6% em 2009, segundo a empresa de pesquisa Sanford C. Bernstein. Como a cerveja artesanal é mais cara, sua fatia do valor do mercado está perto de 20%.

Mas a taxa de crescimento, que durante anos se manteve fielmente em dois dígitos, recuou em 2016. Segundo dados recentes da Nielsen, as vendas de cervejas artesanais subiram apenas 4,5% nos três meses até meados de agosto em relação ao mesmo período do ano passado, bem menos que a máxima de 20% registrada em 2013.

Bart Watson, economista-chefe da Associação das Cervejarias dos EUA, diz que a queda se deve, em parte, ao fato de alguns dos mercados mais fortes de cerveja artesanal, como Portland, no Estado do Oregon, e Denver, no Colorado, já terem atingido a maturidade, concentrando cerca de 40% de todo o volume de cerveja vendido localmente.

Outro fator é o espaço limitado nas prateleiras de supermercados e nos balcões dos bares: os varejistas provavelmente não vão estocar mais marcas artesanais do que já estocam.

Mas isso significa dias melhores para as grandes marcas? Ainda não.

As cervejas artesanais ainda estão tomando fatias de mercado das marcas tradicionais nos EUA, apenas menos agressivamente. Os americanos beberam, por exemplo, 0,9% menos cerveja da AB InBev do que no mesmo período de três meses do ano passado, num mercado estável. O melhor que pode ser dito sobre a AB InBev é que a velocidade de suas perdas de mercado diminuiu ligeiramente em relação à tendência de 2015.

Essa melhora ocorre apesar do forte desempenho do portfólio americano de cervejas artesanais da própria AB InBev, o qual registrou uma alta de 36% nas vendas do primeiro semestre. Depois de uma série de aquisições de marcas locais, principalmente da Goose Island, a AB InBev já é a terceira maior cervejaria artesanal do país, calcula a Bernstein. Mas isso se explica mais pela fragmentação inerente ao mercado de cervejas artesanais do que pelo gigantismo da AB InBev. De fato, as cervejas artesanais representam apenas 1% do volume total da empresa.

A febre de cerveja artesanal dos EUA não foi só um modismo passageiro. Ela é parte de uma tendência bem estabelecida em mercados desenvolvidos que favorece um leque maior de bebidas mais caras.

Nos EUA, o consumo de vinhos e destilados está crescendo mais rapidamente que o de cerveja, mesmo incluindo as marcas artesanais, desde pelo menos a virada do milênio. O bourbon é especialmente popular entre os jovens. Entre os itens mais caros, a marca de conhaque Hennessy, da gigante francesa dos artigos de luxo LVMH, tem registrado um crescimento de dois dígitos nos EUA.

Estratégias corporativas alimentaram essa tendência. Todas as empresas de bens de consumo, incluindo a AB InBev, discutem a “premialização” nos mercados desenvolvidos: direcionar os consumidores para produtos mais sofisticados e de margem mais elevada. O problema da AB InBev americana é que, como atual líder de mercado, a mudança para um segmento de preços maiores é negativa.

A iniciativa da AB InBev para impulsionar as vendas da Budweiser ao mudar temporariamente o nome da cerveja para America não levou ninguém a pensar que, de repente, a cerveja tinha ganhado sabor. Revigorar a principal marca de cerveja nos EUA vai exigir mais do que o simples amadurecimento do mercado de cervejas artesanais.

Fonte: The Wall Stret Journal
http://br.wsj.com/articles/SB12537609621557413642904582284291270068340?tesla=y

Mr. Beer dá dicas de como servir corretamente cervejas especiais

Serviço contribui diretamente na degustação da bebida

Encontrar um ambiente agradável para degustar uma boa cerveja é sem dúvida um dos programas preferidos de muitas pessoas. No caso das cervejas especiais, fica ainda melhor se contar com a ajuda de quem saiba servir corretamente, tornando a experiência ainda mais completa. Mas para quem prefere se deliciar no conforto de casa, é interessante tomar alguns cuidados no momento de servir cada tipo de cerveja. Segundo Marina Cervi, beer sommelier da Mr. Beer, rede de franquias de cervejas especiais, o serviço correto contribui diretamente na degustação da bebida.

“Cada cerveja tem sua especificidade, mas em geral, o serviço deve começar com o copo inclinado, o que diminui a turbulência e a velocidade do líquido, evitando a formação indevida de espuma e diminuindo a volatilização dos aromas. Quando estiver 70% cheio é a hora de elevar lentamente e servir o líquido no centro até que o copo esteja reto, formando uma espuma de aproximadamente 1 a 2 cm”, sugere.

"As Weizenbiers requerem um serviço especial, exigindo uma maior inclinação do copo e menor velocidade na colocação do líquido, devido à alta formação de espuma característica desse estilo. A cerveja de 500 ml deve ser inteiramente colocada no copo Weizen, não se esquecendo de agitar a garrafa em movimentos circulares quando estiver restando 2 dedos da cerveja, para misturar com o fermento residual, e servir no copo em pé”, explica a Marina.

Segundo a beer sommelier é fundamental evitar o contato do recipiente (garrafa, lata, torneira de chopp, keg, etc.) com o líquido e com o copo. Isso porque esse contato pode transmitir partículas de poeira, sabão, entre outras, o que pode influenciar na formação de espuma. “Além de utilizar copos limpos e sem gorduras, é importante estar atento à temperatura de serviço. Cerveja muito gelada amortece as papilas gustativas, prejudicando a percepção do sabor”, completa Marina.

A dica é seguir a seguinte escala como referência: 

· Muito gelada (de 0 a 4°C): Pale Lagers, cervejas sem álcool e qualquer cerveja que tenha o objetivo de refrescar mais do que de ser degustada.

· Bem gelada (de 5 a 7°C): Weizenbiers (cervejas claras de trigo), Lambics de fruta e Gueuzes.

· Gelada (de 8 a 12°C): para Lagers Escuras, Pale Ale, Amber Ale, Dunkel Weizen (cervejas escuras de trigo), Porter, Helles, Vienna Lager, Belgian Tripel e Bock tradicional.

· Temperatura de adega (de 13 a 15°C): para as Belgian Dark Strong Ale, Belgian Gold Strong Ale, Stout, Eisbock, Doppelbock e a maioria das cervejas especiais Belgas, incluindo as Trapistas. 

Para Marina, a utilização do copo correto para o determinado tipo de cerveja permite ao consumidor a experiência total do sabor e aroma da cerveja. Confira abaixo os principais copos utilizados:

Caneca Mass – Ideal para cervejas armazenadas em barrils, conhecido comumente no Brasil como chopp. A caneca é muito usada em eventos e é ideal para quem adora brindar. É o típico canecão alemão, ideal para grandes e festeiros bebedores que adoram brindar a cada minuto. A alça evita o contato da mão com o vidro, mantendo a temperatura gelada por mais tempo.



Pint – Muito comum nos pubs ingleses e irlandeses, o Pint é tradicionalmente utilizado pelas Stouts, Bitters e a maioria das Ales inglesas. Foi idealizado por ter um desenho simples, barato e que comporta grandes quantidades de cerveja. O nome, na verdade, é uma medida: 1 pint = 473 ml (Estados Unidos), 568 ml (Reino Unido). Os dois tipos de copo Pint mais conhecidos são: Nonick, ou English Pint, que tem um anel saliente no topo; e o Irish Pint, imortalizado pela Guinness; o corpo mais fino na parte inferior propicia melhor encaixe nas mãos, e o arredondamento mais largo acima ajuda na captura dos aromas.


Taça Belga ou Tulipa – Ideal para cervejas que possuem bastante espuma, como a Blanche de Namur e outras Strong Ales Belgas. O desenho é baixo e elegante, permitindo também observar a evolução da espuma. Seu corpo arredondado captura os aromas e a borda voltada para fora se encaixa perfeitamente nos lábios e ajuda na sustentação da espuma. Não confunda com o que chamamos aqui no Brasil de Tulipa, que na verdade é um copo Pilsner. A Tulipa parece uma taça de conhaque, porém com a boca do copo virada para fora.



Copo IPA – Desenvolvido especialmente para esse estilo, através de seu Design ergonômico, com a finalidade de potencializar os complexos perfis aromáticos das American IPAs, mantendo um colarinho generoso e ressaltando o sabor. O copo ideal para fazer uma degustação amarga e especial.





Copo Weizen – Ideal para cervejas do tipo Weizenbier (cervejas de trigo), tem capacidade para receber todo o volume da garrafa de 500 ml, incluindo o fundo com leveduras e a espuma abundante, conforme tradição do estilo. A forma longa do copo possibilita a visualização do líquido, e a boca larga se justifica pela grande intensidade aromática do estilo.





Sobre a Mr. Beer

Fundada em 2009, em São Paulo, como um quiosque de cervejas especiais, a Mr. Beer teve rápido crescimento e atualmente é a maior rede franquias do segmento no país, com mais de 50 unidades espalhadas pelo Brasil. A Mr. Beer oferece mais de 150 rótulos de cervejas especiais, 100 deles importados com exclusividade para o país pela própria franqueadora. Além disso, são mais de 80 acessórios relacionados ao mundo cervejeiro e kits licenciados e comemorativos de diversas marcas. As lojas da rede são sinônimo de excelência em rótulos, atendimento personalizado e harmonização.


Fonte: Dezoito

Mosh Pit Ale é a sazonal da Bamberg

Bebida pode ser encontrada em mercados e lojas especializadas de todo o país.

A cervejaria Bamberg (SP) está lançando no mercado mais um rótulo inédito: a Bamberg Mosh Pit Ale, uma receita exclusiva, feita com malte 100% defumado na própria fábrica. O cervejeiro Alexandre Bazzo não define um estilo para o rótulo: “É uma cerveja defumada, de alta fermentação. Tem 8,5% de álcool e é muito preta”, descreve.

A cerveja homenageia o mosh pit, ou a clássica “roda punk”, cena habitual em shows de punk rock e metal. “Como uma roda punk, vista de fora, a primeira impressão parece violenta, brutal, mas quem experimenta acaba descobrindo que é uma grande diversão”, explica Bazzo.

A Mosh Pit Ale passou pelo procedimento de defumação do malte utilizando madeira de goiabeira, dentro Bamberg. A bebida harmoniza, em especial, com queijos mofados, como o gorgonzola e o camembert. As garrafas de 600 mL podem ser encontradas no mercado nacional com preços sugeridos que variam de R$ 14 a R$ 20.

Fonte: Revista da Cerveja

Mestre-Cervejeiro.com abre sua primeira unidade em São Carlos-SP

Novo empreendimento da rede soma doze lojas em operação no interior paulista

A Mestre-Cervejeiro.com, loja de cerveja artesanal, abrirá, dia 01 de setembro, sua primeira unidade em São Carlos, interior de São Paulo. Titulada como um importante centro industrial e econômico, a cidade soma doze lojas da rede em operação no interior de São Paulo "Acreditamos muito no potencial do interior paulista. A população tem alto poder aquisitivo e percebemos um crescimento significativo da procura por cervejas artesanais. Além disso a região é um dos principais pólos produtivos de cerveja artesanal no país. Pretendemos expandir ainda este ano para outras cidades interioranas", diz Daniel Wolff, diretor da rede.

Localizada no Boulevard Shopping, Loja 02, a loja de 69 m2 abrirá com mais de 180 rótulos - com destaques para Dogma (São Paulo, SP), Bastards (Pinhais/PR), Founders (EUA) e Weihenstephaner (Alemanha) -, além de um mix de produtos, como camisetas da marca, kits cervejeiros, taças, copos, e petiscos gourmet.

Para a franqueada Maria Augusta Miranda, a expectativa é, além de legitimar o universo cervejeiro na região, enaltecer a mulher no mercado de cervejas artesanais. "Escolhi o Mestre-Cervejeiro.com por ser uma rede de franquia inovadora, que, além de oferecer uma grande variedade de rótulos de cervejas especiais, é referência nacional na promoção da cultura da cerveja. Esta é a principal razão pela qual resolvi trazê-la para São Carlos, para fortalecer ainda mais e disseminar essa cultura na região. Minha paixão pelas cervejas especiais surgiu há alguns anos em uma viagem para fora do país e desde então só cresceu. Hoje sou sommelier de cerveja pela ABS-SP (Associação Brasileira de Sommelier) em parceria com o Instituto da Cerveja Brasil e a ASI (Association de la Sommellerie Internationale - França) e pretendo continuar estudando para aprimorar o meu conhecimento", reforça Maria.

O Mestre-Cervejeiro.com oferece dois modelos de franquia - os formatos de loja de rua e de quiosque. Os interessados em abrir uma franquia do Mestre-Cervejeiro.com deverão preencher um rápido cadastro no sitewww.mestre-cervejeiro.com/franquias ou entrar em contato pelo email: contato@mestre-cervejeiro.com

Fonte: ÔNIXPress

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Boteco Carioquinha realiza segunda edição do Invicta Week


O templo cervejeiro da Lapa está promovendo, desde ontem (29 de agosto), a segunda edição do Invicta Week. Durante pelo menos uma semana os rótulos da cervejaria Invicta, de Ribeirão Preto, apresentam preço único: R$ 19,99. As únicas que não fazem parte da promoção são a 1000 IBU e a 108 Imperial IPA, mas que também recebem preço especial, R$29,99. Os fãs da marca ainda podem aproveitar e levar sua cerveja preferida para casa. A Invicta Week dura até chegar a 1000 garrafas vendidas. Na primeira edição, a garrafa de número 1000 foi vendida no 17º dia e a loja espera bater essa meta antecipadamente para a edição de 2016. E não para por aí: o Boteco Carioquinha ainda promoverá diariamente sugestões de combos, com petiscos ou sanduíches harmonizando com as cervejas Invicta, para que os cervejeiros apreciem o sabor das cervejas com o melhor da gastronomia.

Serviço
Nome: Boteco Carioquinha
Endereço: Av. Gomes Freire, n 822 - Lapa
Telefones: 2252-3025
Horário (inclusive em feriados): Segunda a quinta e domingo: 11:00h às 1h / Sexta, Sábado e Feriados: 11h às 3h

Cartões de crédito (American, Diners, Mastercard, Visa): Todos
Cartões de débito (Cheque Eletrônico, Maestro, Redeshop, Visa Electron): Todos
Cartões de refeição (Greencard, Smart Vale Refeição, Sodexho Pass, Ticket Restaurantes Eletrônico, Visa Vale)? Todos
Tíquetes (Cheque Cardápio, Ticket Restaurante, Vale Refeição)? Não
Capacidade: 60 lugares no espaço interno, 20 lugares no externo.
Wireless? R$ por tempo? Sim – Grátis
Número de endereços total: 1
Ano de abertura: 1966

Fonte: Tratto

Cervejaria Founders é presença confirmada no Slow Brew Brasil

Serão seis rótulos para degustação à vontade durante o festival

O fesival internacional Slow Brew Brasil 2016, que acontece em Campos do Jordão (SP), confirma seu primeiro nome internacional, a cervejaria norte-americana Founders Brewing, que voltou em 2016 para o país via importadora Beer Concept.

Quem comprar o ingresso poderá degustar seis chopes disponíveis durante todo o evento, são eles: All Day IPA (Session IPA – 4,7% ABV), Mosaic Promise (IPA – 5,5% ABV), Pale Ale Nitro (5,4% ABV), Porter (6,5% ABV), Breakfast Stout (8,3% ABV) e Curmudgeon (Old Ale – 9,8% ABV).


INGRESSOS & KITS
Se já não bastassem os seis chopes de uma cervejaria premiada mundialmente, nos meses de setembro e outubro serão sorteados cinco kits contendo garrafas e copo da Founders, ofercidos pela importadora Beer Concept e também cinco pares de ingressos, oferecidos pelo evento. Os sorteios acontecem na página do Slow Brew Brasil e os kits devem ser retirados no estande da Founders, no dia do festival.


CONCURSO DE FOTOS 
Um concurso de fotos acontecerá no dia 19 de novembro, durante o evento. Quem compartilhar a melhor foto com Founders no Facebook e Instagram, levará para casa prêmios da cervejaria, do festival e uma par de ingressos para edição de 2017. As definições e regras serão postadas em breve nas redes sociais do Slow Brew Brasil e Beer Concept.


DEGUSTAÇÕES 
Você saberia identificar a diferença de uma mesma cerveja nos formatos chope, garrafa e lata? Se sim, uma degustação as cegas valendo prêmios será realizada no palco do festival com a Founders All Day IPA, ou seja, comece o treinamento e faça bonito no dia!

O Slow Brew Brasil 2016 acontece no dia 19 de novembro (sábado), na cidade de Campos do Jordão (SP). Os ingressos já estão no quarto lote, entre no link abaixo e garanta sua presença:

Cervejarias já confirmadas até o momento

Founders Brewing (EUA), Tupiniquim, Dogma, Maniba, Morada Cia Etílica, Urbana, Ópera, Juan Caloto, Blondine, ZalaZ, Cevada Pura, Caravan Beer, Mea Culpa, JBeer, 3Cariocas, Avós, Fürst, Suméria, Dádiva, Von Borstel, Way e Quatro Graus.

SERVIÇO
Festival Slow Brew Brasil: degustação livre (+160 rótulos de cervejas)
Data: 19/11/2016 (sábado)
Horário: 12h - 20h 
Endereço: Campos do Jordão Convention Center
Av. Macedo Soares, 499 - Capivari - Campos do Jordão - SP

Sessão de Negócios
Data: 18/11/2016 (sexta-feira)
Horário: 14h - 18h 
Endereço: Campos do Jordao Convention Center
Av. Macedo Soares, 499 - Capivari - Campos do Jordão - SP

INGRESSOS

Confirme sua presença na página do evento e acompanhe as novidades


SOBRE O SLOW BREW BRASIL
O termo Slow Brew busca sua inspiração no estilo de vida Slow Movement, Slow Life, Slow Food que é difundido na Europa desde a década de 80. São movimentos para se viver calmamente, valorizando a experiência e todos os momentos da vida. O Slow Brew Brasil é um produto da Empresarial Marketing, empresa de consultoria empresarial que atua desde 2000 no mercado.

O CEO Maurício Leandro Fernandes, apreciador de cervejas artesanais, juntamente com Kátia Pereira, hoje curadora do evento, sempre desejaram um festival de cervejas perto de onde moravam. Com muita seriedade e planejamento, criaram em 2014 o Slow Brew Brasil realizado em Ribeirão Preto (SP). Em 2016 o festival traz todo seu portfólio para a charmosa cidade de Campos do Jordão (SP).


SOBRE A FOUNDERS BREWING 

Cervejaria norte-americana de Grand Rapids (MI), criada por Dave Engbers e Mike Stevens. O início da cervejaria foi bem turbulento, com produções medianas e de pouco impacto, decretando quase a sua falência. Foi então que resolveram mudar sua postura, criar cervejas incríveis e não mais pensar em cervejas com apelo apenas comercial. 

Foi com essa filosofia que a Founders começou a crescer e não parou mais. Nos últimos cinco anos foi nome constante na lista das melhores cervejarias do mundo e com vários rótulos entre as 100 melhores, pelo conceituado site Rate Beer. 

MAIS INFORMAÇÕES

SLOW BREW BRASIL
Twitter: slowbrewbrasil
Instagram: slowbrewbrasil

Fonte: Beer Press

Marcas catarinenses criam estilo próprio para reforçar identidade cervejeira do estado

Grupo se reuniu no último sábado (27) para debater as características do setor
Crédito: Divulgação

Batizado de Catharina Sour, bebida é leve e traz sabores de ingredientes nacionais. Primeiro workshop para definições conceituais e técnicas ocorreu no sábado (27), em Florianópolis (SC).

Santa Catarina é um estado ímpar para o mercado cervejeiro. Cerca de 10% dos municípios do estado contam com empresas ligadas ao segmento. São 43 microcervejarias em funcionamento e mais 17 entre ciganas (produzidas de maneira terceirizada), brewpubs (bares que produzem a própria bebida) e indústrias em implantação. O estado também tem a primeira entidade que reúne essas empresas: a Associação das Micro Cervejarias Artesanais de Santa Catarina (Acasc), fundada há oito anos.

E é orquestrada pela Acasc uma iniciativa que pretende carimbar de vez a diferenciação de Santa Catarina neste segmento: um estilo de cerveja artesanal que homenageie a tradição e a inovação que as marcas locais imprimiram no mercado nacional. Batizado de Catharina Sour, o estilo foi definido em conjunto pelos cervejeiros locais e as premissas técnicas foram debatidas em um workshop, que aconteceu no último sábado (27).

De acordo com Carlo Lapolli, presidente da entidade, o próximo passo é estimular que outras cervejarias façam esse estilo para que ele se consolide. "Já temos algumas marcas que estão produzindo uma cerveja ácida inspirada na berliner weisse, como a Lohn Bier, Cerveja Blumenau, Itajahy e Liffey. Já confirmaram que farão também Kairós, Armada e Königs. Agora queremos estimular novos rótulos", explica Lapolli. "Nossa intenção é fazermos um festival desse estilo em novembro, mês de Santa Catarina", acrescenta. 

Características sensoriais 
Tecnicamente, a Catharina Sour é cerveja de trigo clara, refrescante, com uma acidez láctica limpa, adição de frutas e um nível alto de carbonatação. "O sabor e aroma de frutas apoiam a acidez e não devem parecer artificial. O caráter de funky de brettanomyces é restringido. Pode conter especiarias para complementar o sabor da fruta", finaliza Lapolli. 

Sobre a Acasc
Fundada há dois anos para representar as cervejarias artesanais catarinenses, a Associação das Micro Cervejarias de Santa Catarna (Acasc) é uma entidade privada sem fins lucrativos que reúne produtores de cerveja e fornecedores do negócio. São cerca de 30 associadas de diferentes cidades do estado.

Outra luta da associação é a redução da carga tributária, em especial o ICMS. No entendimento da entidade, ele deve ser equiparado ao vinho artesanal que atualmente já possui um tratamento diferenciado em Santa Catarina.

Fonte: Melz

Bierland anuncia os vencedores do 5º Concurso Cervejeiro Caseiro

Vencedores foram conhecidos neste sábado (27), durante a festa em comemoração aos 13 anos da cervejaria.

Na noite deste sábado (27), foram conhecidos os três vencedores do 5º Concurso Cervejeiro Caseiro Bierland. O anúncio foi feito durante a festa em comemoração aos 13 anos da cervejaria, no Bar anexo à Fábrica, em Blumenau (SC). Flávio Domingues, de Poços de Caldas (MG), conquistou o ouro, Darwin Luis Hardt, de Cachoeirinha (RS), levou a prata e Ricardo Francisco Simoni, de Campinas (SP), ficou com o bronze. Eles produziram cervejas no estilo Baltic Porter (BJCP 2008 19C).

Agora, o vencedor terá a oportunidade de produzir sua cerveja artesanal, junto com a equipe da Bierland, em grande escala. O novo rótulo terá uma edição especial a ser lançada pela cervejaria no próximo ano. Para o sócio proprietário da Bierland, Eduardo Krueger, esta edição do concurso mostrou que o mercado cervejeiro é muito forte em todo o país e que o número de cervejeiros caseiros vem aumentando consideravelmente. “Neste ano, as inscrições encerraram em menos de uma hora”, ressalta.

Krueger lembra ainda que o concurso tem o objetivo de fortalecer o vínculo entre as cervejarias artesanais e os cervejeiros caseiros por meio da troca de informações. “Além disso, é uma forma de valorizar a produção artesanal e contribuir para o empreendedorismo cervejeiro”, afirma. O anúncio dos vencedores foi feito durante a festa em comemoração aos 13 anos da Bierland, que iniciou às 15h e contou com as apresentações da banda típica Hausmusikanten e também da banda Dr. Brown.

O 5º Concurso Cervejeiro Caseiro Bierland conta com os patrocínios da Agrária, da WE Consultoria, da Bio4 Soluções Biotecnológicas, Malteria Blumenau e da DrFlavour, todas empresas do setor cervejeiro que, assim como nós, estão amplamente comprometidas com o desenvolvimento da cultura e do mercado cervejeiro brasileiro.

Sobre a Bierland

Localizada em Blumenau (SC), a cervejaria Bierland surgiu da iniciativa de três sócios. Foi inaugurada em agosto de 2003, e traduzindo do alemão, o nome significa “Terra da Cerveja”, uma homenagem à cidade onde está localizada. Atualmente a Bierland produz 14 cervejas entre as de linha e sazonais.

Em doze anos de atividades, a Bierland já é uma das cervejarias artesanais mais reconhecidas do Brasil. Ao todo, são 104 premiações, em competições nacionais e internacionais, como o International Beer Challenge, World Beer Awards, Concurso Brasileiro de Cervejas, South Beer Cup, Copa Cervezas de America, entre outros. Para o sócio proprietário, Eduardo Krueger, as cervejas da Bierland são frutos do trabalho intenso de uma equipe comprometida com a qualidade. “Nossas receitas são inspiradas em estilos de diferentes escolas cervejeiras, tais como alemã, belga, inglesa e norte americana, acrescentadas de uma dose de criatividade e ousadia que traz personalidade a cada uma delas”, destaca Krueger.

As bebidas da cervejaria blumenauense podem ser encontradas em todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Distrito Federal e alguns estados do Norte e Nordeste do país, como Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Pará, Rondônia e Roraima.

Acompanhe-nos
facebook.com/bierland.cervejaria
instagram.com/cervejaria_bierland
twitter.com/cervejabierland

Fonte: Presse Comunicação Empresarial

Cervejaria Oito entra para a Rede My Growler Station



A Cervejaria Oito aderiu à revolução e juntou-se à Rede My Growler Station para promover a cultura do growler, utensílio que está popularizando uma nova forma de fornecimento e consumo de cervejas artesanais. A união de forças visa a atrair cada vez mais apreciadores de cervejas artesanais para dentro das microcervejarias, onde podem recarregar seus growlers com o líquido sagrado direto da fonte.

Na Cervejaria Oito, localizada no Anchieta, tradicional bairro cervejeiro de Porto Alegre, os clientes podem adquirir growlers personalizados com a marca e efetuar recargas com qualquer um dos quatro estilos produzidos pelos cervejeiros Luciano Passos e Sylvio Marmora: Blond, American Pale Ale (APA), Robust Chocolate Porter e India Pale Ale (IPA).

Compre o growler e ganhe recarga grátis
O growler da Cervejaria Oito é vendido a R$ 119 com a primeira recarga incluída. O preço da recarga varia entre R$ 26 e R$ 32. O pagamento pode ser efetuado à vista ou nos cartões de débito e crédito. A cervejaria vende, ainda, cervejas em garrafa, copos e camisetas. A Oito fica na Rua Vitor Valpírio nº 70, tem capacidade produtiva de 3 mil litros por mês e funciona de segunda a sexta-feira das 10h às 18h.

Outra forma de recarregar o growler com as cervejas da Oito é nos eventos em que a microcervejaria marca presença. São feiras, festivais e outras oportunidades para comprar ou recarregar o growler. Confira na Fanpage da Cervejaria Oito no Facebook a agenda de eventos para o mês de setembro.

Growler
O growler é um tradicional utensílio cervejeiro e diversos modelos já se encontram disponíveis nos mercados brasileiro e internacional. O que diferencia o produto da My Growler dos demais é a adoção do padrão americano de growler. O vidro âmbar e tampa rosca são características que proporcionam maior durabilidade das propriedades da cerveja e praticidade para servir e higienizar. O growler americano tem capacidade para 1,89 litros e dimensões compactas que possibilitam o seu armazenamento em pé na geladeira, posição ideal melhor preservar a cerveja.

Os growlers dos estabelecimentos que compõem a Rede My Growler Station apresentam código QR únicos por meio dos quais seus proprietários podem entrar para o My Growler Club, o clube de vantagens da My Growler. Em breve, será possível baixar um aplicativo para criar o perfil do growleiro, cadastrar growlers, encontrar por geolocalização os pontos de recarga mais próximos, registrar consumo, ranquear cervejas, receber cupons de desconto, indicar pontos de recarga e assinar conteúdos exclusivos, dentre outras vantagens.

My Growler Station
O objetivo da My Growler é popularizar no país uma prática de consumo comum na Europa e nos Estados Unidos: a busca de cerveja diretamente na fonte. O passaporte para o consumo de cervejas artesanais frescas no lugar e no momento que escolher é o growler. Já são mais de 20 pontos de recarga credenciados à Rede My Growler Station em 8 estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Ceará e Distrito Federal. E a expansão continua a pleno vapor. A meta é chegar a 40 stations em todas as regiões do país até o fim do ano.

Confira aqui os estabelecimentos credenciados à Rede My Growler Station.

Zehn Bier expande atuação para outros estados brasileiros

Zehn Bier
Cerca de R$ 700 mil estão sendo investidos, entre outras coisas, na ampliação do mercado, com o objetivo de difundir, cada vez mais, a cerveja artesanal

Desde que a Zehn Bier mudou de administração, há pouco mais de um ano, entrou numa rota de crescimento planejado, independente da tão propalada crise alardeada aos quatro cantos do País. O administrador da empresa, Edson Bruning, explica que foi elaborado um planejamento realista sobre de que forma a empresa poderia crescer, quais as necessidades e mercados com potencial. Com esse trabalho em mãos, o departamento comercial começou a atuar, com diversas visitas em regiões consideradas importantes e que ainda não contavam com pontos de vendas da cervejaria.

Desde então, as cervejas da Zehn Bier já podem ser encontradas em grandes supermercados, como Rede Angeloni, Rede Cooper, Fort Atacado, Archer, Rede Top, Rede Premium, Brasão e Rede de Distribuidores Triunfante entre outros. Além disso, os produtos estão sendo colocados também em lojas de conveniência, bares e pubs conceituados do segmento cervejeiro. A Zehn Bier vem efetuando um trabalho de presença na região Sul de Santa Catarina, em parceria com o Distribuidor Aba, além de estar no Rio de Janeiro e evoluindo negociações com São Paulo, Mato Grosso e Distrito Federal. Atualmente, já está com representantes em Pernambuco e Paraíba.


Esse trabalhado aguerrido, em um ano considerado “ruim”, é resultado de um investimento de cerca de R$ 700 mil, previstos até o fim do ano, em marketing, lançamento de uma nova cerveja, estruturação da área comercial, manutenção e reestruturação de equipamentos na fábrica, adequação à legislação e conquista de novos mercados.

A previsão é de que até o fim do ano sejam criados novos 10 postos de trabalho. “Em um ano considerado “ruim”, isso é muito bom. Resolvemos não fazer parte da crise, mas sim trabalhar contra ela. E, pelos resultados que estamos obtendo, acreditamos que em 2017 será melhor ainda”, avisa.

A Cervejaria tem 13 anos de existência e é conhecida pela qualidade do seu produto. No entanto, nos últimos anos não vinha expandido mercado e estava restrita praticamente a Brusque e alguns pontos da região. “O mercado de cervejas artesanais está em ascensão, temos que aproveitar esse momento para apresentar as nossas cervejas”, explica. Nos últimos 12 meses, a produção pulou de seis mil litros para 25 mil litros mensais. A meta é de chegar em 40 mil litros até o fim do ano. Para este ano, a previsão é de um crescimento de 30% com a conquista de novos mercados.

Mercado em expansão


De acordo com Fernando José de Oliveira, sócio-proprietário da empresa, ainda há um amplo mercado de expansão para as cervejas artesanais. “Hoje, não representamos nem 1% do mercado nacional de cervejas. Portanto, as artesanais ainda têm um longo caminho a percorrer. Se a situação econômica do País não estivesse tão complicada, poderíamos, com toda certeza, falar em um crescimento de 50% ao ano”, avalia. Os diretores lembram que em alguns países, como os Estados Unidos, por exemplo, as artesanais já representam 15% do mercado cervejeiro. Na região, as 18 cervejarias artesanais juntas planejam investir até o próximo ano cerca de R$ 12,5 milhões. 

Cervejas

A fabricação do chope e das cervejas Zehn Bier seguem as tradições germânicas de produção de cervejas na qual se utilizam somente os quatro ingredientes que são a água, o malte o lúpulo e as leveduras. Os produtos da Zehn Bier não são filtrados e não possuem nenhum tipo de conservantes e/ou outro ingrediente químico. Tudo é feito de forma artesanal e cuidadosa acompanhada por um mestre cervejeiro experiente. Atualmente, a empresa oferece uma gama de seis produtos que são Pilsen, Pilsen Extra, Weizen, Heller Bock e Ipa, que podem ser adquiridos no estado de chope envazado em barris ou como cervejas envazadas em garrafas de 500 Ml.

Fonte: New Age Comunicação

My Growler comemora presença em oito estados


A revolução no jeito de fornecer e consumir cervejas já é uma realidade no mapa brasileiro. Se a proposta de popularizar o growler para consolidar uma nova forma de relacionamento entre fornecedores e apreciadores do líquido sagrado no Brasil era um sonho até pouco tempo, a arrancada, com o lançamento da My Growler, em junho deste ano, superou expectativas. Em dois meses, já são mais de 20 pontos de recarga credenciados à Rede My Growler Station em 8 estados: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Ceará e Distrito Federal. E a expansão continua a pleno vapor. A meta é chegar a 40 stations em todas as regiões do país até o fim do ano.

Confira aqui os estabelecimentos credenciados à Rede My Growler Station.

O credenciamento de uma My Growler Station passa por duas frentes: a venda de growlers ao consumidor final e o seu abastecimento com cervejas artesanais frescas nas torneiras - pré-requisito exigido pela My Growler. A proposta da empresa é gerar benefícios para as stations, que fidelizam seus clientes, e os consumidores, que pagam mais barato pela cerveja. “O growleiro que for bem atendido ultrapassará a linha da experiência e ficará mais próximo da growler station. As chances de surgirem vínculos criados com este novo estilo de atendimento são imensas”, antecipa Rodrigo Lima Fernandes, CEO da My Growler. E mais: as vantagens do uso do growler se refletem também no meio ambiente, que deixa de receber toneladas de resíduos como garrafas e latas descartáveis.

Além da expansão da rede My Growler Station, com o credenciamento de novos pontos de recarga, os próximos passos incluem o estreitamento da relação da empresa com quem vende e abastece o growler. Os estabelecimentos credenciados à rede podem divulgar eventos e promoções nos canais de comunicação da My Growler no Facebook, no Instagram e junto aos clientes cadastrados. “Estamos desenvolvendo um manual de boas práticas para as stations a fim de padronizar o atendimento ao consumidor, um dos pontos cruciais para que o uso do growler se consolide”, explica Fernandes. “Atenção redobrada ao consumidor e ao utensílio serão valores percebidos em cada recarga”, destaca.

Aplicativo integrará consumidores e fornecedores de cervejas artesanais
A novidade que está no forno é o aplicativo da My Growler. Projetado para aproximar o cliente apaixonado por cerveja artesanal dos pontos de recarga, ele será focado em enriquecer ainda mais a experiência com o growler. Uma das sacadas que vai acompanhar o app é o leitor de código QR que terá todo o histórico de recarga do growler. Será possível, ainda, localizar o ponto de recarga mais próximo do usuário. “Em um futuro próximo, o cliente poderá até mesmo pagar a recarga do growler pelo aplicativo”, diz Fernandes. E com tanta novidade surgindo, ainda adverte: “se você ama cerveja e ainda não tem um growler, em breve terá um”.

Para receber uma proposta de credenciamento à Rede My Growler Station, entre com contato com comercial@mygrowler.com.br. Para receber novidades sobre a My Growler, clique aqui.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Ninkasi Beer Club no Beer Train da Bodebrown


No sábado, dia 27 de agosto enfim fui conhecer e vivenciar a experiência do Beer Train da Bodebrown. Após o Checkin na Estação Rodoferroviária, o aguardado embarque! 


Na foto acima temos Samuel Cavalcanti, um dos proprietários e Mestre Cervejeiro da Bodebrown acompanhado de seu staff, dando boas vindas e anunciando tudo de bom que estava por vir.


Para começar, abertura com Pretzels antes de degustarmos a primeira cerveja. Seriam cinco durante todo o percurso, sendo três da BodeBrown e duas da cervejaria Norte-americana Founders.

Bodebrown/Das Pikaretas SCOTTISH 70 SHILLING

O Cardápio: 

1. Bodebrown/Das Pikaretas SCOTTISH 70 SHILLINGEstilo Scottish 70 Shilling - Graduação alcoólica 3.6%
Harmonizações Pão de aveia au levain. Feito com farinha e flocos de aveia.

2. Founders Brewing Co. (USA) MOSAIC PROMISEEstilo American Pale Ale - Graduação alcoólica 5.5%
Harmonizações Queijo Prima Donna Holandês

3. Bodebrown CARA PRETA
Estilo Mild Ale - Graduação alcoólica 3.8%
Harmonizações Baguette Rústica (Baguette de fermentação natural recheada com linguiça colonial defumada, queijo purungo de leite cru produzidos em Palmeira/PR e pimenta calabresa)

4. Bodebrown/Limoeiro BIÈRE DE TABLE
Trigo Sarraceno, Trigo Spelta & Uvas Brancas
Estilo La Grisette Supérieur - Graduação alcoólica 6.1%
Harmonizações Pão Bretão (Pão de aroma floral produzido com trigo sarraceno e sel gris da Bretanha)

5. Founders Brewing Co. (USA) BREAKFAST STOUT
Estilo Specialty Stout - Graduação alcoólica 8.2%
Harmonizações Queijo Parmesão Uruguaio + Brigadeiro de Chocolate

Bebendo uma Founders Mosaic Promise

Um brinde ao passeio e a linda vista

Cada estilo dentre as cinco disponíveis eram servidas em ordem durante 45 minutos aproximadamente, cada cerveja. Tempo mais que de sobra para curtir bastante cada uma das cervas apresentadas.


Para facilitar o serviço e garantir que o copo permanecesse sempre cheio, a equipe da Bodebrown transitava por todos os vagões com jarras para deleite de todos. 


Para garantir a animação e mais diversão o Grupo curitibano Gaiteiros de Lume, tocando música tradicional de países com influência celta como Irlanda, Escócia, Bretanha (na França), Galícia (na Espanha).






Um pouco da linda paisagem proporcionada pela viagem. Confesso que com tanta cerveja boa, o visual acabou ficando um pouco pra segundo plano...


Com a Chef Vânia Krekniski no Beertrain, com direito a lançamento da cerveja colaborativa Bodebrown / Restaurante Limoeiro com o projeto Bierre de Table-cerveja estilo La Grisette. Feita com o trigo sarraceno, trigo spelta e uvas brancas.


Aqui certamente com a galera mais animada do trem! Amigos representantes das Cidades de Curitiba, Campinas e Belo Horizonte. A bagunça foii boa!!!


O fim da linha se deu na Cidade de Morretes, uma bucólica cidade colonial fundada em 1721. Lá tivemos o nosso almoço comendo um Barreado, ou carne barreada que é um prato típico do litoral paranaense, sendo o mais tradicional do estado. Sua origem é açoriana de um ritual de 300 anos ainda seguido no preparo do prato.


Simplesmente uma experiência incrível que todos deveriam experimentar ao menos uma vez!!! Saúde e até a próxima!!!

Ninkasi Beer Club visita a cervejaria Bastards Brewery


Logo ao chegar fui recebido na Pub&Store da cervejaria, anexa à fábrica, e ganhei um lindo copo de vidro (450 ml), personalizado, para ser utilizado na degustação das cervejas durante a visita. Além disso, um folder com o descritivo de cada um dos rótulos e que conta um pouco do posicionamento institucional da Bastards Brewery. 


Antes de iniciar o tour já aproveitei para beber a Piná a Vivá, uma Imperial India Pale Lager com 8,5% ABV, tirada diretamente do tanque! A Bastards Tour Experience dura cerca de 40 minutos, dependendo do grau de interatividade dos grupos (meu tour durou muito mais...hahaha), e custa R$ 20,00 por pessoa;


Iniciado o tour, já tive direito a degustar uma cerveja de boas vindas, que no caso foi a Zé Galego, uma American Premium Lager com 5,1% ABV. Enquanto experimentava, nos era apresentado um pouco da história do surgimento da Bastards, do seu propósito e do seu posicionamento de mercado.

Em seguida, iniciamos a visita à fábrica, que guiada por um dos mestres cervejeiros que apresentou os ingredientes, receitas, processos de fabricação e diferentes tipos de cervejas que são produzidas.



A essa altura já estávamos degustando a segunda cerveja do tour, a Jean Le Blan, uma Witbier com capim limão, casca de laranja e semente de coentro. 



O passeio é bem descontraído, sem perder o conteúdo, mas o suficiente pra deixar todo mundo bem à vontade. Tudo sem frescura e permitindo por exemplo ao participante pedir mais um refil da cerveja que mais gostou, para fazer perguntas e tirar dúvidas.


Tempo ainda para beber mais uma Piná a Vivá e uma inédita. Direto do tanque a Cerveja Sakeja, de cervejaria de mesmo nome. A primeira cerveja de saquê do Brasil! Elaborada com lúpulos nipônicos Sorachi Ace, arroz e centeio! O lançamento será no dia 14/09 no God Save the Beer, em Curitiba.


Após a visita, mais uma passadinha na Pub&Store para experimentar a Wanted, uma cerveja de edição limitada, projeto contínuo da Bastards Brewery de incentivo ao Cervejeiro Caseiro. A cerveja é uma American Rye Witbier com 4,3 ABV. Foram feitas somente 70 caixas. Muito boa!

O passeio foi super legal! Me senti bebendo umas cervejas com amigos no quintal de casa!

Endereço: R. Paranavaí, 1142 - Emiliano Perneta, Pinhais - PR, 83324-390
(41) 3557.2207 http://bastardsbrewery.com.br/


Ninkasi Beer Club visita a cervejaria Gauden Bier


Na última sexta-feira, dia 26 de agosto estive em Curitiba e aproveitei para visitar a cervejaria Gauden Bier que está localizada no famoso bairro de Santa Felicidade. Seu parque cervejeiro suporta atualmente uma produção de 38.000 litros mês com capacidade total de 120.000 litros mês. Com equipamentos modernos e de alta tecnologia, a Gauden produz não só suas cervejas como para cervejeiros Ciganos da região tal como as cervejarias Tormenta, Dum, Morada, Pagan e F#%*ing Beer.

Loja da Gauden Bier

Growler de 1litro da Gauden Bier

A fábrica possui logo na sua entrada uma simpática lojinha com vários da rótulos das cervejas produzidas por lá. A Gaudenbier está de cara nova, uma vez que recentemente resolveu mudar sua identidade visual. Além desta novidade, a loja da fábrica oferece aos clientes a opção de levar o chope fresco que é tirado todas as sextas-feiras e sábados, num lindo Growler de 1litro.






As visitas acontecem nas sextas feiras as 16h00 e aos sábados as 10h00, durando em média 1 hora. O valor é de R$15,00 por pessoa, com direita a degustação de uma cerveja da Gauden, que nesta sexta foi a Pilsen. Visitei todas as áreas da fábrica, na companhia de um dos Mestres Cervejeiros, Thiago Beetz, que é também proprietário e cervejeiro da Cerveja Tromenta, uma das ciganas produzidas na Gauden e pude conhecer um pouco do processo de produção das cervejas.

Vale muito a pena a experiência!


História da Cervejaria
História da Gaudenbier inicia-se a partir da visão de dois empreendeedores e empresários em desenvolver uma cerveja diferenciada, de primeira linha, oferecendo a um público crítico e muito exigente um produto de qualidade internacional. A Gauden é desenvolvida com água puríssima do Aqüífero Embasamento Cristalino da Bacia Hidrográfica do Iguaçu e utiliza em sua receita exclusiva somente ingredientes selecionados a dedo por nosso mestre cervejeiro, por isso podemos chamar de uma cerveja SUPERIOR. Para alcançar um produto de primeira qualidade foram gastos 2 anos de pesquisas em estudo de maltes nacionais e importados, desenvolvimento de blends, testes e degustações encontrando uma receita única que só o mestre cervejeiro da Gauden tem. A fábrica localizada no famoso bairro de Santa Felicidade em Curitiba no Paraná se mescla ao ambiente e vocação da região, famosa por sua gastronomia, história e muita festa. Gauden, do Latin Gaudiun, muita alegria e felicidade para você!

Onde:
Av. Manoel Ribas 6995 - Santa Felicidade
Curitiba-PR